Thiago Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Thiago Silva
Thiago Silva
Thiago Silva em 2018 pela Seleção Brasileira
Informações pessoais
Nome completo Thiago Emiliano da Silva
Data de nasc. 22 de setembro de 1984 (37 anos)
Local de nasc. Rio de Janeiro (RJ), Brasil
Nacionalidade brasileiro
francês[1]
Altura 1,83 m
destro
Apelido Monstro
Informações profissionais
Clube atual Chelsea
Número 6
Posição zagueiro
Clubes de juventude
1995–2003 Fluminense
Clubes profissionais
Anos Clubes
2003
2004
2004–2005
2005
2006–2008
2009–2012
2012–2020
2020–
RS Futebol
Juventude
Porto B
Dínamo Moscou (emp.)
Fluminense
Milan
Paris Saint-Germain
Chelsea
Seleção nacional
2008–2012
2008–
Brasil Sub-23
Brasil
Medalhas
Jogos Olímpicos
Prata Londres 2012 Futebol
Bronze Pequim 2008 Futebol

Thiago Emiliano da Silva, mais conhecido apenas como Thiago Silva (Rio de Janeiro, 22 de setembro de 1984), é um futebolista brasileiro que atua como zagueiro. Atualmente joga no Chelsea.

Carreira[editar | editar código-fonte]

RS Futebol e Juventude[editar | editar código-fonte]

Fez toda a sua base no Fluminense, onde ficou dos 11 aos 19 anos. Estreou profissionalmente em 2003 pelo Pedrabranca Futebol Clube, na época RS Futebol Clube.[2]

Disputou a Série A de 2004 pelo Juventude, onde atuou até setembro, antes de se transferir para o Porto.[3] Silva se destacou, em sua única temporada no Juventude, foi considerado a Revelação da temporada. Ele foi classificado pela revista Placar como o 3° Melhor Zagueiro do Brasil.[4]

Porto e Dínamo Moscou[editar | editar código-fonte]

Thiago Silva foi comprado pelo Porto por 2,5 milhões de euros, em setembro de 2004.[5] Teve poucas oportunidades em Portugal e atuou apenas pelo Porto B. Após diversos problemas respiratórios devido ao frio e de contusão, teve poucas oportunidades e foi então emprestado para o Dínamo de Moscou, da Rússia, em janeiro de 2005. Porém em Moscou, devido ao frio intenso, os problemas de saúde se agravaram e Thiago Silva teve uma séria tuberculose, ficando seis meses internado, enfrentando seus momentos mais difíceis da carreira.[6]

Fluminense[editar | editar código-fonte]

A volta para o Brasil aconteceu no início de 2006, para o Fluminense. Mesmo com as dificuldades enfrentadas pelo time naquele ano, o zagueiro se destacou e virou ídolo da torcida.[7]

Em 2007, consolidou seu bom momento e novamente se destacou por todo o ano, com o título da Copa do Brasil de 2007 e a boa colocação no Campeonato Brasileiro de 2007, e foi nessa temporada que suas principais características começaram a aparecer: o chute fortíssimo de perna direita, seus dribles, os desarmes precisos e a velocidade pouco usual para zagueiros. Mostrando que a boa fase é realmente realidade na sua carreira, ajudou o Fluminense a chegar ao vice-campeonato da Copa Libertadores da América de 2008.[8][9]

Em 2008, marcou dois gols contra o Boca Juniors na Libertadores em um empate por 2–2 em La Bombonera.[10]

Milan[editar | editar código-fonte]

Thiago Silva atuando pelo Milan

Foi contratado pelo Milan no dia 11 de dezembro de 2008.[11] Sua estreia pelo clube Rossonero aconteceu em 21 de janeiro de 2009, em um amistoso contra o clube alemão Hannover 96, em que o Milan empatou por 2–2, que jogou os 90 minutos da partida.[12]

Porém, Thiago foi integrado ao elenco para partidas oficiais apenas em julho de 2009, sete meses após sua contratação, isso porque o clube milanês já havia atingido o limite de jogadores sem passaporte da União Europeia durante a temporada 2008–09. Em 2011 consolidou-se, foi considerado na Itália como um dos melhores zagueiros do ano no mundo, considerado o melhor zagueiro rossoneri, desbancando outro ídolo, Alessandro Nesta.[13]

No dia 13 de setembro de 2011, na estreia do Milan na Liga dos Campeões da UEFA, contra o Barcelona, no Camp Nou, o zagueiro brasileiro marcou o gol de empate Rossonero na partida, aos 47 minutos do segundo tempo. O jogo acabou em 2–2, os outros gols foram marcados por Alexandre Pato, Pedro e David Villa.[14]

No dia 27 de novembro de 2011, Thiago Silva usou pela primeira vez a faixa de capitão na equipe Rossonera, marcando um gol contra o Chievo.

Em junho de 2012, o Milan recusou a maior oferta do mundo já feita por um zagueiro: 46 milhões de euros, que veio do Paris Saint-Germain.[15]

Paris Saint-Germain[editar | editar código-fonte]

Thiago Silva e David Luiz em partida do Paris Saint-Germain

Apesar de ter recusado a primeira investida dos franceses do Paris Saint-Germain, Silvio Berlusconi confirmou, em 13 de julho de 2012, a venda de Thiago à equipe francesa, por 44 milhões de euros, junto com o atacante Zlatan Ibrahimović.[16][17] Estreou no dia 18 de setembro, marcando um dos gols da vitória por 4–1 sobre o Dínamo de Kiev, em jogo realizado no Parc des Princes.[18] Fez sua estreia na Ligue 1 no fim de semana seguinte, jogando os 90 minutos em uma vitória sobre o CA Bastia por 4–0, em 22 de setembro de 2012.[19] Ganhou o prêmio de melhor jogador do Campeonato Francês do mês de março, recebendo 71% dos votos.[20] Conquistou o título do Campeonato Francês contra o Lyon em 12 de maio de 2013, na vitória por 1–0.[21][22]

No dia 26 de agosto de 2020, Thiago Silva se despediu do PSG após oito anos[23], onde conquistou 25 títulos e acabara de ser vice-campeão da Liga dos Campeões da UEFA.[24] Em 9 de junho, Thiago já havia sido informado que não teria seu contrato renovado.[25]

Chelsea[editar | editar código-fonte]

No dia 28 de agosto de 2020, o Chelsea anunciou a contratação de Thiago Silva a custo zero, após o término do seu contrato com o Paris Saint-Germain. Thiago assinou por uma temporada, com opção de renovação por mais um ano.[26] Em 2021 ele conquistou a Liga dos Campeões da UEFA e a Supercopa da UEFA. Após a conquista da Liga dos Campeões e do bom rendimento com a camisa dos blues, seu contrato com o clube inglês foi renovado até o final da temporada 2021-22.[27]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Em 23 de maio de 2008, foi convocado pelo treinador Dunga para dois jogos da Seleção Brasileira pelas Eliminatórias.[28] Dois meses depois, foi convocado para participar das Olimpíadas de 2008 como um dos atletas acima de vinte e três anos. O jogador se contundiu na preparação e acabou atuando em apenas dois jogos, sendo um como titular.[29]

Após alguns meses sem ter sido chamado, voltou a ser convocado por Dunga em novembro de 2009, para os amistosos contra a Inglaterra, em 14 de novembro, e contra Omã, em 17 de novembro. No dia 9 de fevereiro de 2010, ele foi chamado novamente à Seleção para o último amistoso antes da Copa do Mundo de 2010, em que o Brasil venceu a Irlanda por 2–0.

Copa do Mundo de 2010[editar | editar código-fonte]

Esteve na lista dos 23 convocados pelo técnico Dunga para disputar a Copa do Mundo FIFA de 2010.[30] No entanto, foi reserva e não entrou em campo em nenhuma partida da competição disputada na África do Sul.

Titularidade[editar | editar código-fonte]

No dia 10 de agosto de 2010, foi chamado pelo técnico Mano Menezes para um amistoso contra os Estados Unidos, passando a formar a zaga titular brasileira ao lado de David Luiz.[31]

Capitão[editar | editar código-fonte]

A partir do final de 2011 assumiu a capitania da Seleção Brasileira,[32] que exerceu nos Jogos Olímpicos de Londres 2012.[33]

No dia 30 de maio de 2012, marcou seu primeiro gol com a camisa da Seleção Brasileira na vitória por 4–1 sobre os Estados Unidos, em jogo realizado na capital norte-americana.[34]

Na Copa das Confederações FIFA de 2013 realizada no Brasil, a Seleção sagrou-se campeã e Thiago, como capitão, recebeu a taça. Este gesto, realizado em solo brasileiro, não se repetia desde a Copa América de 1989 com Ricardo Gomes.[35]

Copa do Mundo de 2014[editar | editar código-fonte]

Thiago Silva durante um jogo da Copa do Mundo FIFA de 2014

Durante a Copa do Mundo FIFA de 2014, foi bastante criticado pela atitude de isolar-se do restante do elenco, sentar em cima de uma bola e chorar antes da disputa de pênaltis nas oitavas de final contra o Chile.[36] Apesar disso, foi considerado um dos melhores jogadores do Brasil no torneio.[37] Marcou um gol na partida contra a Colômbia, quebrando um tabu de vinte anos em que um capitão brasileiro não marcava gols em Mundiais.[38] Não esteve em campo na semifinal contra a Alemanha, denominada Mineiraço, devido a suspensão por ter recebido seu segundo cartão amarelo na competição.[39] Esse cartão foi considerado injusto pela comissão técnica da seleção, o que levou a CBF a pedir a anulação do cartão junto à FIFA, mas sem sucesso.[40]

Copa América e Eliminatórias para Copa de 2018[editar | editar código-fonte]

Após a Copa do Mundo, Dunga assumiu novamente o cargo de treinador da Seleção e retirou o encargo de capitão de Thiago e concedeu-o a Neymar.[41] Thiago demonstrou descontentamento por deixar de ser o capitão.[42]

Na Copa América de 2015, Thiago marcou um gol na partida contra a Venezuela, mas foi criticado por ter cometido um pênalti contra o Paraguai, quando o Brasil acabou sendo eliminado nas quartas-de-final.[43]

Depois que o técnico Tite assumiu a Seleção, em 2016, Thiago voltou a ser convocado. Foi chamado para as partidas contra Bolívia e Venezuela, em outubro, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.[44]

Thiago Silva em partida contra a Sérvia pela Copa do Mundo FIFA de 2018

Copa do Mundo de 2018[editar | editar código-fonte]

Thiago atuou em todas as cinco partidas da campanha brasileira na Copa do Mundo FIFA de 2018, sendo capitão em duas delas, contra Costa Rica e México.[45]

Thiago Silva recebendo a medalha de campeão da Copa América de 2019 do presidente Jair Bolsonaro

Copa América de 2019[editar | editar código-fonte]

Foi convocado por Tite no dia 17 de maio de 2019 para a Copa América de 2019. Thiago Silva foi titular em todos os seis jogos da competição e sagrou-se campeão. Foi o primeiro título de Copa América de Thiago, que já havia disputado a competição em 2011 e 2015.[46]

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

Em 2013, Thiago Silva envolveu-se em uma polêmica com o jogador inglês Joey Barton, que acusava Neymar de ser "cai-cai" e criticava o Brasil em declarações na mídia em seu perfil no Twitter: "Não existe país perfeito. Eu não aceito críticas contra o meu país, ainda mais envolvendo nosso futebol. Com todo respeito à Inglaterra, nós temos muito mais títulos que os ingleses. O Barton deveria ficar calado. Quem é ele pra falar da Seleção Brasileira?".[47]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Fluminense
Milan
Paris Saint-Germain
Chelsea
Seleção Brasileira

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Thiago Silva se naturaliza francês e abre espaço para mais um extracomunitário no PSG». GloboEsporte.com. 15 de março de 2019. Consultado em 15 de março de 2019 
  2. «Thiago Silva - Histórico de transferências». _. Consultado em 5 de julho de 2021 
  3. «Thiago Silva brilhou no Juventude bem antes de se tornar o capitão da Seleção Brasileira - Esportes». Pioneiro. Consultado em 20 de agosto de 2020 
  4. «Thiago Silva é presenteado com a camisa do Juventude e retribui com a do PSG». Extra Online. Consultado em 20 de agosto de 2020 
  5. Demetrius Larocca Lima (4 de maio de 2015). «FC Porto também já se decepcionou com brasileiros; relembre». Alambrado. Consultado em 13 de julho de 2021 
  6. «Thiago Silva (Thiago Emiliano da Silva de Souza)». Futpédia.com. Consultado em 20 de abril de 2009 
  7. «Thiago Silva è del Milan È lui l'erede di Maldini» (em italiano). Consultado em 20 de janeiro de 2009 
  8. «Thiago Silva al Milan Lo vuole anche Dinho» (em italiano). Consultado em 22 de janeiro de 2009 
  9. «Sheva... 2 Times Pippo» (em italiano). Consultado em 27 de janeiro de 2009 
  10. «Boca Juniors 2 x 2 Fluminense - COPA LIBERTADORES 2008». GloboEsporte.com. Consultado em 14 de julho de 2008 
  11. «Milan fecha com Thiago Silva e rechaça empréstimo ao Fluminense». UOL. 11 de dezembro de 2008. Consultado em 13 de julho de 2021 
  12. «Siena 1–2 Milan: Pato Bags Brace As Rossoneri Make Positive Start» (em inglês). Consultado em 22 de agosto de 2009 
  13. «A.C. MILAN COMUNICATO UFFICIALE» (em italiano). Consultado em 17 de maio de 2011 
  14. «Milan tie Silva to new contract» (em inglês). Consultado em 2 de julho de 2012 
  15. DALEY, Terry (15 de junho de 2012). «Milan recusou oferta de US$58 mi por Thiago Silva, diz Berlusconi». Extra.com. Consultado em 15 de junho de 2012 
  16. «Thiago Silva faz exames médicos e fecha com o Paris Saint-Germain». GloboEsporte.com. 14 de julho de 2012. Consultado em 13 de julho de 2021 
  17. «Paris Saint-Germain anuncia a contratação de Thiago Silva». Trivela. 14 de julho de 2012. Consultado em 13 de julho de 2021 
  18. «Paris Saint-Germain x Dínamo de Kiev». GloboEsporte.com. 18 de setembro de 2012. Consultado em 13 de julho de 2021 
  19. «Bastia 0-4 Paris Saint-Germain». Consultado em 22 de setembro de 2012 
  20. «Thiago Silva é eleito o melhor jogador do Campeonato Francês em março». GloboEsporte.com. Consultado em 10 de abril de 2013 
  21. «PSG vence Lyon e conquista o Campeonato Francês». oGol. 12 de maio de 2013. Consultado em 13 de julho de 2021 
  22. «Fim da seca: PSG passa pelo Lyon e é campeão francês pela terceira vez». GloboEsporte.com. 12 de maio de 2013. Consultado em 13 de julho de 2021 
  23. Paula Ferro (22 de agosto de 2020). «Final da Champions marca fim da jornada de oito anos de Thiago Silva com PSG; relembre trajetória». GloboEsporte.com. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  24. «Thiago Silva se despede do Paris Saint-Germain: "Se fecha um ciclo"». GloboEsporte.com. 27 de agosto de 2020. Consultado em 13 de julho de 2021 
  25. «PSG anuncia que não vai renovar contrato de Thiago Silva». UOL. 9 de junho de 2020. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  26. «Thiago Silva é oficialmente anunciado pelo Chelsea: "Estou aqui para brigar por títulos"». GloboEsporte.com. 28 de agosto de 2020. Consultado em 13 de julho de 2021 
  27. «Thiago Silva renova contrato com o Chelsea por mais uma temporada». ge. Consultado em 12 de agosto de 2021 
  28. «Henrique e Thiago Silva são convocados por Dunga». UOL. 23 de maio de 2008. Consultado em 13 de julho de 2021 
  29. «Dunga divulga lista de olímpicos com Ronaldinho Gaúcho». UOL. 7 de julho de 2008. Consultado em 13 de julho de 2021 
  30. Luiz Bernardo (19 de maio de 2018). «Relembre a lista de convocados da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo de 2010». Torcedores.com. Consultado em 13 de julho de 2021 
  31. «Com Neymar e Ganso, Mano convoca a seleção pela primeira vez». GloboEsporte.com. 26 de julho de 2010. Consultado em 13 de julho de 2021 
  32. «Capitão, Thiago Silva comemora "final feliz" em 2011». Gazeta do Povo. 14 de novembro de 2011 
  33. «Thiago Silva encara amistoso da seleção como recomeço». Gazeta do Povo. 14 de agosto de 2012. Consultado em 13 de julho de 2021 
  34. «Estados Unidos 1 x 4 Brasil». GloboEsporte.com. Consultado em 30 de agosto de 2008 
  35. «Thiago Silva agradece força de ex-capitão e guarda bola para o filho». Lancenet. 1 de julho de 2013 
  36. «Thiago desabafa e explica isolamento nos pênaltis». Estadão. 29 de junho de 2014 
  37. «Mesmo após fiasco, Thiago Silva é eleito melhor zagueiro da Copa 2014». Jovem Pan UOL. 26 de setembro de 2014 
  38. «Thiago Silva faz o gol mais rápido do Brasil na Copa». UOL. 4 de julho de 2014. Consultado em 13 de julho de 2021 
  39. «Thiago Silva e Neymar estão fora da semifinal contra a Alemanha». Folha de S.Paulo. 4 de julho de 2014. Consultado em 13 de julho de 2021 
  40. Vinicius Konchinski (7 de julho de 2014). «Fifa ignora apelo do Brasil e mantém cartão amarelo de Thiago Silva». UOL. Consultado em 13 de julho de 2021 
  41. «Dunga elege Neymar como novo capitão da Seleção Brasileira: "Boa postura"». GaúchaZH. 4 de setembro de 2014. Consultado em 13 de julho de 2021 
  42. «Sem braçadeira, Thiago Silva admite mágoa e cita Neymar: "Sem conversa"». GloboEsporte.com. 16 de novembro de 2014. Consultado em 13 de julho de 2021 
  43. «Thiago Silva repete pênalti infantil cometido na Liga dos Campeões». UOL. 27 de junho de 2015. Consultado em 13 de julho de 2021 
  44. «Tite chama Muralha e promove voltas de Oscar e Thiago Silva para a Seleção». GloboEsporte.com. 16 de setembro de 2016. Consultado em 13 de julho de 2021 
  45. Leandro Silveira (9 de julho de 2018). «Dos remanescentes de 2014, só Thiago Silva deixa Copa sem manter imagem arranhada». Terra. Consultado em 13 de julho de 2021 
  46. «Brasil chega ao nono título de Copa América; veja ranking de campeões». GloboEsporte.com. 7 de julho de 2019. Consultado em 13 de julho de 2021 
  47. Breiller Pires. «O dono do time: Thiago Silva sonha com o título da Copa no Brasil». Revista Placar. Consultado em 23 de novembro de 2014 
  48. «Thiago Silva supera Ramires e leva o Samba de Ouro pelo 2º ano seguido». GloboEsporte.com. Consultado em 1 de janeiro de 2013 
  49. «The 100 best footballers in the world 2016 – interactive» (em inglês). The Guardian 
  50. «Conmebol monta equipe ideal da Copa América com cinco brasileiros». UOL. 9 de julho de 2019. Consultado em 13 de julho de 2021 
  51. «Seleção dá década do Francês tem Mbappé, Ibra e trio brasileiro; Neymar está fora». Goal.com. 11 de outubro de 2019. Consultado em 13 de julho de 2021 
  52. «Thiago Silva é eleito o melhor estrangeiro do Campeonato Francês em 2018». Superesportes. 27 de dezembro de 2018. Consultado em 13 de julho de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Thiago Silva