This Is Where I Came In

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Agosto de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
This is Where I Came in
Álbum de estúdio de Bee Gees
Lançamento 2 de Abril de 2001
Gravação Entre 1999 e 2000
Gênero(s) Rock, Pop, Pop Rock, dance rock, dance pop, Europop, Synth Rock
Duração 52:26 (sem bônus) /
61:20 (com bônus)
Formato(s) CD
Gravadora(s) Universal Music Group
Produção Bee Gees, Peter John Vettese (faixas 6, 10 e 14)
Cronologia de Bee Gees
Último
One Night Only
(1998)
Their Greatest Hits: The Record
(2001)
Próximo


This Is Where I Came In é o 24º e último disco que contém músicas novas dos Bee Gees. Neste disco os Bee Gees foram mais dissidentes, cada um com uma música, praticamente igual ao 2 Years On. Entretanto, isto não impossibilitou o nascimento de belas músicas. Exemplos disso são: "Sacred Trust", "Wedding Day" e "Just in Case", além de músicas geniais, como a própria faixa-título do disco, além da que, posteriormente, virou música tributo a Maurice Gibb, "Man in the Middle".Destaque a todas as faixas que, marcam um tipo de época diferente, desde a faixa título até a dançante Promise The Earth. Pena que o álbum não foi muito bem promovido, ou seja, não fez sucesso na América, mas na Europa e na Ásia o disco foi um grande sucesso. O disco foi o último pelo fato de ter sido lançado apenas 2 anos antes da morte de Maurice, o que fez o grupo se separar por um período de 7 anos até retornar em 2009.

Por trás dos microfones[editar | editar código-fonte]

O álbum possui os vocais principais de todos os 3 irmãos, e emprega uma variedade de estilos musicais. '' This is Where I Came In'' é o primeiro álbum desde '' Spirits Having Flown'' onde a mídia não esteve falando sobre '' A VOLTA DOS BEE GEES''. As pessoas finalmente estiveram encarando o fato de que Barry, Robin e Maurice, na realidade, não paravam de gravar, como pensavam. Seu álbum anterior ''Still Waters'' e '' One Night Only'' venderam 5 milhões e 6 milhões de cópias (sem contar todas as reproduções piratas e ilegais), respectivamente, e subsequente a turnê mundial onde foram vistos esgotando ingressos de estádios ao redor do globo. Robin Gibb disse que estes foram os melhores tempos do grupo,e porque não? Após 35 anos de algumas das mais lindas e influentes obras da história da música, os Bee Gees lançaram uma nova leva fresca de 14 novas músicas que os fariam estabilizar como sendo uma poderosa e relevante força musical no século 21. Isto é uma alegação que deixariam lendas do século 20, David Bowie, Elton John, Lionel Ritchie e até mesmo os Rolling Stones com inveja.

Estrutura do álbum[editar | editar código-fonte]

A faixa título e primeiro single '' This is Where I Came In'' é uma música complexa que prova que os Gibbs não são menos do que compositores extraordinários. O que faz '' This is Where I Came In'' ser mais do que simplesmente uma música interessante é que não havia NADA nos TOP 40 das rádios que pudesse '' rivalizar '' com ela. É uma mistura sofisticada de folk, funk, rock e R&B no qual a única comparação similar musical em tempos recentes, é de Madonna '' Don't Tell Me''. É necessário ser escutado apenas algumas vezes, e este é capaz de se tornar um HIT considerável. 

O álbum se move para um raro momento '' rock '' dos Bee Gees em '' She Keeps on Coming'', uma boa faixa comparada às antigas de Paul McCartney, mas fraca em comparação a maestria Gibb da balada. O brilho de canções como '' How Can You Mend a Broken Heart'' e '' How Deep Is Your Love'' quase chega a ser igualada por '' Sacred Trust'', mas é equivalente à cativante '' Wedding Day ''. É quintessencial dos Bee Gees no que tem de melhor: vocais alternativos de Barry e Robin, letras românticas que incrivelmente despistam o melancolismo, com versos e refrões que grudam instantaneamente na cabeça e uma 'bridge'. Escrever com 'bridges' , ou pontes musicais (partes lentas ou alternativas, ex: Nights On Broadway, Throw a Penny, Bunbury Afternoon etc), é uma arte, algo de vasta majestosidade que compositores geralmente falham ao tentar fazer. Se você predizer quando e que forma a 'ponte' de uma música tomará então o compositor pegará o caminho mais fácil - pense alguma coisa de Max Martin. A 'ponte' de '' Wedding Day'' é tão poderosa e inesperada quanto a famosa '' I'll wait, even if it takes a lifetime, I will wait ... '' de Nights Of Broadway''. Nenhum comentário adicional é necessário.

''Man in the Middle'' é um ótimo número escrito e apresentado por Maurice que lembra a música de Nik Kershaw '' The Riddle'' e se move suavemente através de uma ótima faixa do álbum até ''DEJA VU''. Uma vez que você ouvir, saberá que é um HIT. '' Deja Vu'' é tudo mais marcante pois é praticamente um esforço solo de Robin Gibb. A ação combinada entre Barry e Robin é tantas vezes o fator que faz os Bee Gees como intérpretes se DESTACAREM do grupo como compositores, mas '' Deja Vu'' é perfeita mesmo sem o irmão mais velho. Ela é uma peça de pura felicidade POP que DEVERIA ter sido apresentado como um segundo single da linha de frente.

O número solo de Robin Gibb é seguida pelo número solo de Barry '' Technicolor Dreams'', uma música guiada por um estilo totalmente diferente do que os novos ouvintes dos Bee Gees estavam acostumados a apreciar, mas é bem vinda por todos aqueles que lembram-se dos álbums Gibb que foram cheio de canções estranhas e também maravilhosas como '' Craise Finton Kirk'' do BEE GEES FIRST (1967), '' Give Your Best do ODESSA (1969)'' e ''Paper Mache Cabbages and Kings do TO WHOM IT MAY CONCERN(1972)''.

A segunda metade do álbum inclui a participação de Maurice '' Walkin On Air'', uma música prazerosa no qual mostra sua profunda admiração por Brian Wilson, e chegando até a linda '' Loose Talk Cost Lives'' de Barry Gibb e outra peça de Robin , Embrace. Esta começa com um solo acústico de violão e se move através de um EURO-POP típico dos anos 2000. O único momento de vacilo desse álbum vem na bizarra '' Voice in The Wilderness'', no qual soa como se os Gibbs tentassem interpretar uma das estranhas músicas de Split Enz. O álbum termina com a amável '' Just in Case'', uma balada R&B que uma vez foi intencionada para Toni Braxton e outro número dançante de Robin em '' Promise the Earth''.

''This is Where I Came In'' é outra parte do legado de Barry, Robin e Maurice Gibb. O álbum mostra os Bee Gees brilhantes como eles sempre tem sido, até mesmo quando seus álbuns alcançavam a posição 153 ao invés do No#1. Vocalmente, liricamente e musicalmente, os Gibbs continuam sendo um dos melhores compositores no planeta.

Faixas[editar | editar código-fonte]

  1. "This Is Where I Came In" (B. Gibb/R. Gibb/M. Gibb) - 4:55
  2. "She Keeps on Coming" (B. Gibb/R. Gibb/M. Gibb) - 3:57
  3. "Sacred Trust" (B. Gibb/R. Gibb/M. Gibb) - 4:53
  4. "Wedding Day" (B. Gibb/R. Gibb/M. Gibb) - 4:43
  5. "Man in the Middle" (M. Gibb/B. Gibb) - 4:21
  6. "Deja Vu" (R. Gibb/M. Gibb/B. Gibb) - 4:19
  7. "Technicolor Dreams" (B. Gibb) - 3:04
  8. "Walking on Air" (M. Gibb) - 4:05
  9. "Loose Talk Costs Lives" (B. Gibb) - 4:20
  10. "Embrace" (R. Gibb) - 4:43
  11. "The Extra Mile" (B. Gibb/R. Gibb/M. Gibb) - 4:20
  12. "Voice in the Wilderness" (B. Gibb/B. Stivers/S. Rucker/A. Kendall/M. Bonelli) - 4:37
  13. [BÔNUS] "Just in Case" (B. Gibb/R. Gibb/M. Gibb) - 4:22
  14. [BÔNUS] "Promise the Earth" (R. Gibb/M. Gibb/B. Gibb) - 4:29
  • OBS: Estas últimas duas músicas foram bônus lançados originalmente só em algumas edições, no Reino Unido e na Austrália. Entretanto, em 2006, os Bee Gees fecharam com a Reprise Records um contrato que inclui o relançamento de toda a obra do grupo. O disco "This Is Where I Came In" foi relançado no mesmo ano, internacionalmente, já com estas faixas-bônus incluídas.

Posições nas Paradas[editar | editar código-fonte]

Certificações[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

  1. Março de 2001
    01: This Is Where I Came In [Single Version] - 3:58
    02: Just in Case
    03: I Will Be There (B. Gibb/R. Gibb/M. Gibb) - 4:06
  2. Setembro de 2001 (PROMO - ESP)
    01: Sacred Trust

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Bee Gees é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.