Thomas Macaulay

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Thomas Babington Macauley)
Thomas Macaulay
'
Nascimento 25 de outubro de 1800
Rothley Court
Morte 28 de dezembro de 1859 (59 anos)
Londres
Sepultamento Abadia de Westminster
Cidadania Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda, Reino da Grã-Bretanha, Reino Unido
Etnia ingleses
Progenitores
  • Zachary Macaulay
  • Selina Mills
Irmão(s) Hannah More Macaulay, Margaret Macaulay, Charles Zachary Macaulay, Henry William Macaulay
Alma mater
Ocupação historiador, político, poeta, poeta jurista,
Prêmios
Empregador Academia Russa de Ciências
Título barão
Assinatura
Thomas Babington Macaulay, 1st Baron Macaulay (signature).svg

Thomas Babington Macaulay, 1º Barão de Macaulay, PC (Leicestershire, 25 de outubro de 180028 de dezembro de 1859) foi um poeta, historiador e político whig britânico do século XIX, um dos dois membros do parlamento para Edimburgo, capital da Escócia.

Vida[editar | editar código-fonte]

Ele é considerado o principal responsável pela introdução do sistema educacional ocidental na Índia. Ele escreveu extensivamente como ensaísta, sobre assuntos sociopolíticos contemporâneos e históricos e como revisor. Sua The History of England foi um exemplo seminal e paradigmático da história Whig, e seu estilo literário permaneceu um objeto de elogio desde sua publicação, inclusive após a condenação generalizada de suas contendas históricas que se tornaram populares no século XX.[1]

Thomas Babington Macaulay aos 50 anos de idade - gravura de W. Holl, feita a partir de um desenho de George Richmond.

Macaulay serviu como Secretário da Guerra entre 1839 e 1841, e como tesoureiro-geral entre 1846 e 1848. Ele desempenhou um papel importante na introdução de conceitos ingleses e ocidentais para a educação na Índia e publicou seu argumento sobre o assunto no "Ata de Macaulay" em 1835. Ele apoiou a substituição do persa pelo inglês como língua oficial, o uso do inglês como meio de instrução em todas as escolas e o treinamento de índios de língua inglesa como professores. Isso levou ao Macaulayismo na Índia e à eliminação sistemática da educação e dos sistemas vocacionais e das ciências tradicionais e antigos da Índia.[1][2]

Macaulay dividiu o mundo em nações civilizadas e barbárie, com a Grã-Bretanha representando o ponto alto da civilização. Em seu Minute on Indian Education de fevereiro de 1835, ele afirmou: "Não é, creio eu, exagero dizer que todas as informações históricas que foram coletadas de todos os livros escritos em sânscrito são menos valiosas do que o que pode ser encontrado nos resumos mais insignificantes usados ​​nas escolas preparatórias na Inglaterra". Ele estava ligado à ideia de progresso, especialmente em termos de liberdades liberais. Ele se opôs ao radicalismo enquanto idealizava a cultura e as tradições históricas britânicas.[1][3]

Ele está enterrado na Abadia de Westminster.

Thomas Macaulay

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c MacKenzie, John (January 2013), "A family empire", BBC History Magazine
  2. «Macaulay by Zareer Masani – review». the Guardian (em inglês). 22 de julho de 2013. Consultado em 24 de outubro de 2021 
  3. «Minute on Education (1835) by Thomas Babington Macaulay». www.columbia.edu. Consultado em 24 de outubro de 2021 
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Thomas Macaulay
Wikisource
A Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Thomas Macaulay
Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Thomas Macaulay
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.