Thomas Wolfe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Thomas Wolfe
Thomas Wolfe em 1937, em foto de Carl Van Vechten
Nome completo Thomas Clayton Wolfe
Nascimento 3 de outubro de 1900
Asheville, Carolina do Norte,
Estados Unidos Estados Unidos
Morte 15 de setembro de 1938 (37 anos)
Baltimore, Maryland,
Estados Unidos Estados Unidos
Nacionalidade Estados Unidos estadunidense
Ocupação escritor
Principais trabalhos Look Homeward, Angel
You Can't Go Home Again
O Lost
Movimento literário ficção, drama

Thomas Clayton Wolfe (Asheville, Carolina do Norte, 3 de outubro de 1900Baltimore, Maryland, 15 de setembro de 1938) foi um importante romancista estadunidense do início do século XX.[1]

Thomas escreveu quatro longos romances, além de vários contos, trabalhos dramatúrgicos e novelas. É conhecido por misturar prosa extremamente original, poética, musical e impressionista com a escrita autobiográfica. Seus livros, escritos e publicados dos anos 20 aos anos 90, refletem vividamente sobre a cultura americana e demais temas do período, embora filtrados pela perspectiva sensível, sofisticada e super-analítica de Thomas. Ele se tornou muito famoso em vida.[1]

Depois da morte de Wolfe, seu principal contemporâneo, William Faulkner, disse que Thomas poderia ter sido o melhor talento de sua geração.[1][2] A influência de Wolfe estende-se aos escritos do famoso autor beat Jack Kerouac, Ray Bradbury e Philip Roth, entre outros. Ele continua a ser um dos mais importantes autores na literatura americana, pois foi um dos primeiros mestres de ficção autobiográfica. Ele é considerado o escritor mais famoso da Carolina do Norte.[3]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Look Homeward, Angel (1929)
  • Of Time and the River (1935)
  • From Death to Morning (1935)
  • The Story of a Novel (1936)
  • The Lost Boy (1937)
  • The Web and the Rock (1939)
  • You Can't Go Home Again (1940)
  • The Hound of Darkness
  • The Hills Beyond (1941)
  • Mannerhouse: A Play in a Prologue and Four Acts (1948)
  • A Western Journal: A Daily Log of the Great Parks Trip, June 20-July 2, 1938 (1951 pela editora da Universidade de Pittsburgh)
  • The Letters of Thomas Wolfe (1956)
  • Short Novels of Thomas Wolfe (1961)
  • The Mountains: A Play in One Act; The Mountains: A Drama in Three Acts and a Prologue (1970)
  • Welcome to our City: A Play in Ten Scenes (1983)
  • Beyond Love and Loyalty: The Letters of Thomas Wolfe and Elizabeth Nowell editado por Richard Kennedy (1983)
  • My Other Loneliness: Letters of Thomas Wolfe and Aline Bernstein (1983)
  • The Party at Jack's (1995)
  • The Collected Stories (Francis E. Skipp, ed.) (1987)
  • To Loot My Life Clean: The Thomas Wolfe-Maxwell Perkins Correspondence (2000)
  • O Lost: A Story of the Buried Life (2000)

No cinema[editar | editar código-fonte]

Há o filme "Max Perkins: Editor of Genius" ("O Mestre dos Gênios", no Brasil) sobre a relação do escritor com seu editor Max Perkins. [4]

Referências

  1. a b c Reeves Paschal (1974). Thomas Wolfe, The Critical Reception. [S.l.]: Ayer Publishing. p. xvii. ISBN 0891020500 
  2. «Thomas Wolfe's Final Journey». Virginia Quarterly Review. 14. Consultado em 11 de outubro de 2009.  Verifique data em: |data=, |ano= / |data= mismatch (ajuda)
  3. «Prêmio Thomas Wolfe 2008». Cornell University. 9 de setembro de 2008. Consultado em 10 de novembro de 2009. 
  4. Guilherme Sobota (20 de outubro de 2016). «O Mestre dos Gênios um grande filme baseado num grande livro sobre grandes pessoas». O Estado de S.Paulo. Consultado em 28 de fevereiro de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]