Tianwen-1

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Tianwen-1
Mars Global Remote Sensing Orbiter and Small Rover (2020).png
O orbiter Tianwen-1 (em baixo) e a cápsula que alberga o lander e o rover Zhurong (em cima).
Descrição
Nomes alternativos Huoxing-1 (chinês tradicional: chinês simplificado: pinyin: Huǒ xīng)[1][2]

Rover: Zhurong (chinês tradicional: chinês simplificado: pinyin: Zhù róng)
Tipo Rover espacial
Missão Exploração planetária
Operador(es) China Administração Espacial Nacional da China
Identificação SATCAT 45935
Website CNSA
Duração da missão 1 ano, 1 mês e 23 dias
Propriedades
Fabricante China Administração Espacial Nacional da China
Massa Total: 5,000 kg (11,000 lb)
Orbiter: 3,175 kg (7,000 lb)
Rover:240 kg (530 lb)
Altura 2,6 m (260 cm)
Largura 3 m (300 cm)
Comprimento 1,85 m (185 cm)
Massa de carga útil 240 kg (530 lb)
Missão
Contratante(s) China Administração Espacial Nacional da China
Data de lançamento 23 de julho de 2020, às 04:41:15 UTC
Veículo de lançamento Longa Marcha 5
Local de lançamento Wenchang, LC-101
Destino Marte
Data de inserção orbital 10 de fevereiro de 2021 às 05:17:57 UTC[3]
Data de aterrissagem 14 Maio de 2021 23:18 UTC[3][4][5][6]
Local de aterrissagem Utopia Planitia[7][8]
25,1° N, 109,9° L
Insígnia da missão
China Mars Exploration Mission Logo-2.png
Notas
China Mars Exploration mission
(chinês tradicional: 中国行星探测)
Planet - The Noun Project.svg Portal Astronomia

Tianwen-1 (TW-1; chinês tradicional: chinês simplificado: pinyin: Tiān wèn, literalmente: "Perguntas Celestiais") é uma missão espacial de exploração interplanetária da chinesa Administração Espacial Nacional da China (CNSA) para colocar uma sonda em órbita e também um rover no solo de Marte, chamado Zhurong (chinês tradicional: 祝融chinês simplificado: 祝融pinyin: Zhù róng).[9][10] A espaçonave pesa um total de 5 toneladas e é uma das sondas mais pesadas lançadas a Marte, e carrega 13 instrumentos científicos.

A missão começou com sucesso no dia 23 em julho de 2020[11][12] usando um veículo de lançamento de carga pesada Longa Marcha 5.[13][14][15] Depois de 7 meses de trânsito, a espaçonave entrou na órbita de Marte no dia 10 de fevereiro de 2021.[16][17][18] Por 3 meses, a sonda espacial estudou os locais para aterrissagem a partir da órbita de reconhecimento. No dia 14 de maio de 2021, a sonda pousou suavemente em Marte.[5][6][19] Algumas horas depois, a CNSA confirmou o pouso bem sucedido.[4][19][20][21]

Com o pouso bem sucedido se tornou o terceiro país a conseguir um pouso suave bem-sucedido em Marte, depois da União Soviética e dos Estados Unidos.[22][23][24] E se as operações do rover também forem bem-sucedidas, a China se tornará a segunda nação a realizar essa façanha, depois dos Estados Unidos,[22][23] e a primeira nação para orbitar, pousar e lançar um rover em sua missão inaugural a Marte.[25] Os objetivos científicos da missão são estudar a geologia de Marte, a presença atual e passada da água, a estrutura interna do planeta, a identificação de minerais e diferentes tipos de rochas na superfície, bem como a caracterização do ambiente espacial e da atmosfera de Marte.

A missão Tianwen-1 foi a segunda de três missões espaciais enviadas a Marte durante a janela de lançamento de Marte em julho de 2020, com missões também lançadas pelas agências espaciais dos Emirados Árabes Unidos (Hope orbiter) e dos Estados Unidos (Mars 2020 com o Perseverance rover e o drone de helicóptero Ingenuity).

Nome[editar | editar código-fonte]

Tianwen[editar | editar código-fonte]

O nome Tianwen, que significa "questões ao paraíso" ou "questões celestiais", advém de um longo poema chinês do mesmo nome, escrito por Qu Yuan (340–278 BC), um poeta da China antiga.[26] No poema, Qu Yuan levantou uma série de questões envolvendo o céu, as estrelas, os fenômenos naturais e o mundo, mostrando suas dúvidas sobre conceitos tradicionais e o espírito de busca da verdade.[27]

Zhurong[editar | editar código-fonte]

Uma votação online para nomear o rover foi realizada do dia 20 de janeiro à 28 de fevereiro de 2021.[28] O nome Zhurong ficou em primeiro lugar com 504 466 votos. Em 24 de abril de 2021, a CNSA anunciou que o rover se chamaria Zhurong.[29] O nome Zhurong faz referência ao 'deus do fogo' no folclore chinês.[10]

Visão Geral[editar | editar código-fonte]

Modelo de Phobos-Grunt apresentado no Paris Air Show em 2011. O satélite chinês Yinghuo-1 está no centro, com o rótulo 3
Lançamento da Tianwen-1 no dia 23 de Julho de 2020

O programa de Marte da Agência Espacial Chinesa começou em uma parceria com a Rússia. Em novembro de 2011, a espaçonave russa Fobos-Grunt com destino a Marte e a lua marciana Fobos, foi lançada do Cosmódromo de Baikonur. A espaçonave russa carregava consigo uma espaçonave secundária anexada, a Yinghuo-1, que deveria se tornar o primeiro orbitador da China em Marte (Fobos-Grunt também carregava experimentos da Sociedade Planetária e Bulgária). No entanto, a unidade de propulsão principal da Fobos-Grunt falhou em impulsionar a espaçonave com destino a Marte a partir sua órbita ainda na Terra. A nave espacial, o orbitador chinês e os experimentos das demais agências eventualmente reentraram na atmosfera da Terra em janeiro de 2012.[30] Com o fracasso, a China subsequentemente iniciou um projeto independente de Marte,[31] e a missão "Tianwen" foi formalmente aprovada pelas autoridades chinesas em 2016, tornando-se realidade 5 anos depois.[32]

Tianwen consiste em um orbitador e um módulo de pouso com um rover acoplado e foi desenvolvido pela China Aerospace Science and Technology Corporation (CASC) e gerenciada pelo National Space Science Center (NSSC) em Beijing.[33] Se o pouso for bem-sucedido, o módulo de pouso liberará um rover. Este rover será alimentado por energia solar e deverá sondar a superfície de Marte com radares e realizará análises químicas no solo; o rover também contém equipamentos para detectar potenciais biomoléculas e biosignaturas.[22]

A câmera ajustável TW-1 (TDC) foi desacoplada do orbitador em setembro de 2020, enquanto a sonda estava caminho de Marte. Sua missão era fotografar o orbitador Tianwen-1 e o escudo térmico do módulo de pouso. Duas lentes grande-angulares das câmeras foram programadas para registrarem uma imagem por segundo. As imagens foram transmitidas de volta para Tianwen-1 por meio de um link de rádio sem fio e, em seguida, enviadas para as equipes na China.[34]

Objectivos da Missão[editar | editar código-fonte]

Esta é a primeira missão interplanetária da China, bem como sua primeira sonda independente a Marte. O objetivo é, antes de tudo, validar as tecnologias de comunicação e controle no espaço profundo, colocar orbitador ao redor do planeta e realizar o pouso na superfície marciana. O orbitador também deve possibilitar a localização de um local para uma futura devolução de amostras marcianas.

Do ponto de vista científico, a missão deve cumprir 5 objetivos:

  1. Estudar a morfologia e a estrutura geológica de Marte, bem como sua evolução. Para fazer isso, a sonda deve analisar a topografia do planeta com dados precisos de regiões características como o leito seco de rios, os relevos de vulcões, erosão eólica, geleiras nos pólos, etc. As duas câmeras presentes no orbitador são dedicadas a este objectivo;
  2. Estudar as características das camadas superficiais e subterrâneas do solo de Marte, bem como a distribuição do gelo. Este é o papel dos radares presentes no orbitador e no rover;
  3. Estudar a composição e o tipo de rochas, bem como os minerais e os elementos presentes na superfície de Marte. Analisar o carbonato ou intemperismo minerais presentes em lagos antigos, rios e outras paisagens resultantes da presença passada de água no planeta, como hematitas, lamelares silicatos, sulfato hidratos ou perclorato minerais para estabelecer a ligação com o passado aquoso de Marte. Os espectrômetros a bordo do orbitador e do rover, bem como da câmera multi-espectral, são dedicados a esse objectivo;
  4. Estudar a ionosfera, o clima, as estações e, de forma mais geral, a a atmosfera de Marte, tanto no ambiente próximo ao espaço quanto na superfície marciana. Este é o papel dos dois detectores de partículas presentes no orbitador, bem como da estação meteorológica do rover;
  5. Estudar a estrutura interna de Marte, seu campo magnético, a história de sua evolução geológica, a distribuição interna de sua massa e seu campo gravitacional. Os magnetômetros, bem como os radares presentes no orbitador e no rover são dedicados a este objectivo.[35]
Um esquema da sonda Tianwen-1

Os objetivos da missão incluem a busca de evidências de vidas atuais e passadas, a produção de mapas da superfície do planeta, a caracterização da composição do solo, o estudo da distribuição do gelo e examinar a atmosfera marciana, em particular, sua ionosfera.[36]

A missão também serve como uma demonstração de tecnologia que será necessária para uma antecipada missão de retorno de amostra a Marte proposta para a década de 2030.[37] Tianwen-1 armazenará amostras de rochas e solo para recuperar numa missão posterior de retorno de amostra.[38]

Planejamento da missão[editar | editar código-fonte]

Tianwen-1 transferência de órbita e manobras de correção de trajetória (TCM)
Planned orbital trajectory at Mars
Mapa de Marte com as duas áreas de aterrissagem possíveis de Tianwen-1 e as localizações de pousos anteriores em Marte

No final de 2019, o Instituto de Propulsão Aeroespacial de Xi'an, uma subsidiária da Administração Espacial Nacional da China (CASC), afirmou que o desempenho e o controle do sistema de propulsão da futura espaçonave foram verificados e passaram em todos os pré-requisitos para os testes de voo, incluindo testes de pairar, detecção de perigo, desaceleração e pouso. O principal componente do sistema de propulsão do módulo de pouso consiste em um único motor que fornece 7500N de empuxo. Os pára-quedas supersônicos da espaçonave também foram testado com sucesso.[32]

CNSA inicialmente focou nas regiões Chryse Planitia e Elysium Mons em Marte buscando possíveis locais de pouso. No entanto, em setembro de 2019 durante uma reunião conjunta da Divisão do Congresso Europeu de Ciências Planetárias para Ciências Planetárias, em Genebra, na Suíça, os chineses anunciaram que dois locais preliminares na região Utopia Planitia de Marte foram escolhidos para a tentativa de pouso antecipada, com cada local tendo uma elipse de pouso de aproximadamente 100 por 40 quilômetros.[32]

Em julho de 2020, o CNSA divulgou as coordenadas de pouso de 110.318° leste e 24.748° norte, dentro da porção sul de Utopia Planitia, como o local escolhido para o pouso primário. A área parece fornecer um local relativamente seguro para um pouso tentativa, mas também é de grande interesse científico, de acordo com Alfred McEwen, diretor do Laboratório de Pesquisa de Imagens Planetárias da Universidade do Arizona.[7] Os pousos simulados foram realizados como parte dos preparativos da missão pelo Instituto de Mecânica Espacial e Eletricidade de Pequim.[39]

Em 23 de janeiro de 2020, o motor de hidrogênio-oxigênio do foguete Y4 completou um teste de 100 segundos, que foi o último teste de motor antes da montagem final do veículo de lançamento.[40]

Câmera Acionável TW-1[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2020, a Tianwen-1 acionou a câmera TW-1 (TDC), um um pequeno satélite com duas câmeras que tirou fotos e testou uma conexão de rádio com Tianwen-1.[34] Na mesma época, a sonda também completou duas correções orbitais e realizou um autodiagnóstico nas cargas úteis.[41] A espaçonave começou a conduzir operações científicas com o Analisador de Partículas (Mars Energetic Particle Analyzer), montado no orbitador, que transmitiu dados de volta ao controle terrestre.[42]

Entrada na órbita de Marte[editar | editar código-fonte]

A espaçonave Tianwen-1 foi lançada pelo veículo de lançamento Longa Marcha 5 no dia 23 de julho de 2020. Tendo viajado por cerca de sete meses, entrou na órbita de Marte no dia 10 de fevereiro de 2021 realizando um queima de seus motores para desacelerar a sonda o suficiente para ser capturada pela atração gravitacional de Marte. O orbitador passou três meses escaneando a superfície para refinar a zona de pouso módulo de aterrissagem/rover.[43][44][26] A sonda se aproximou cerca de 265 km da superfície de Marte, permitindo que uma câmera de alta resolução enviasse imagens à Terra e vem mapeando o local de pouso em Utopia Planitia.[45] O pouso aconteceu no dia 14 de Maio de 2021 as 23h18 UTC na área de pouso pré-selecionada na parte sul de Utopia Planitia.[4]

Pouso em Marte[editar | editar código-fonte]

Rover and lander captured by HiRISE from NASA's MRO on June 6, 2021
Rover e módulo de pouso capturados pela câmera HiRISE do orbitador MRO da NASA em 6 de junho de 2021

Às 23:18 UTC, no dia 14 de maio de 2021, a sonda Tianwen-1 pousou com sucesso na área de pouso pré-selecionada na parte sul de Marte Utopia Planitia.[4][46][19][47][48] A fase de pouso começou com o lançamento da cápsula protetora contendo o módulo de pouso e o rover. A cápsula fez uma entrada atmosférica seguida por uma fase de descida sob o paraquedas, após a qual a sonda usou um retro-foguete para pousar suavemente em Marte.[5][6][19] O evento não foi transmitido ao vivo, e a Agência Espacial Chinesa só divulgou informações após o ocorrido. Imagens de Marte, do pouso ou do rover ainda não foram divulgados pela China.

O atual planejamento é o que módulo de pouso libere o rover Zhurong no 22 de maio de 2021.[49] O rover é projetado para explorar a superfície por 90 sols. Após o início da missão do astromóvel Zhurong, o orbitador servirá como um retransmissor de telecomunicações para o rover, continuando a conduzir suas próprias observações orbitais de Marte.[29]

As primeiras imagens feitas de Marte por Zhurong foram divulgadas pela CNSA no dia 19 de Maio de 2021.[50][51] No dia 10 de junho, a NASA disponibilizou fotos tiradas pelo satélite americano em órbita de Marte, Mars Reconnaissance Orbiter, que mostram Zhurong na superfície de Marte. Além do rover, as fotos mostram a perturbação do solo criada pelos retro-foguetes e os paraquedas usados no pouso.[52]

Exploração de Marte[editar | editar código-fonte]

Em 22 de maio de 2021 (02:40 UTC), o rover Zhurong desceu de seu módulo de pouso na superfície marciana para iniciar sua missão científica. As primeiras imagens recebidas na Terra mostraram a plataforma de pouso vazia e as rampas de descida do rover estendidas.[53][54]

O rover Zhurong depositou uma câmera wireless na superfície de Marte que foi capaz de fotografar o rover Zhurong e o módulo de pouso Tianwen-1.[55] Em 27 de Junho de 2021, a Agência espacial Chinesa compartilhou um vídeo do pouso com a abertura do paraquedas, descida do módulo de pouso, o deslocamento do rover na superfície marciana e também gravou sons da amosfera marciana. [56]


Instrumentos Científicos[editar | editar código-fonte]

Maquete do rover no 69º Congresso Internacional de Astronáutica

Para atingir os objetivos científicos da missão, o orbitador e rover estão equipados com 13 instrumentos:[57]

Orbitador[editar | editar código-fonte]

  • Câmera de média resolução (MRC) com resolução de 100 m a partir de uma órbita de 400 km
  • Câmera de alta resolução (HRC) com resolução de 2m de uma órbita de 400 km
  • Magnetômetro (MM)
  • Espectrômetro de mineralogia (MMS), para determinar a composição de rochas e do solo
  • Radar de subsuperfície (OSR)
  • Analisador de partículas neutras e íons (MINPA)
  • Analisador de Partículas Energéticas[57]

Astromóvel Zhurong[editar | editar código-fonte]

  • Radar de penetração no solo (GPR), para obter imagens de até 100m abaixo da superfície marciana[23]
  • Detector de campo magnético de superfície de Marte (MSMFD)
  • Instrumento de Medição Meteorológica (MMMI)
  • Detector de Composto de Superfície de Marte (MSCD), que combina espectroscopia de quebra induzida por laser e espectroscopia infravermelha.[58]
  • Câmera Multi-Espectro (MSC)
  • Câmera de navegação e topografia (NTC)
  • Câmera wireless implantável

Colaboradores Internacionais[editar | editar código-fonte]

Vídeo descrevendo a missão Tianwen-1

A Comisión Nacional de Actividades Espaciales da Argentina (CONAE) está colaborando com a missão Tianwen-1 por meio de uma estação de rastreamento chinesa instalada em Las Lajas, Neuquén. A instalação desempenhou um papel anterior na alunissagem da espaçonave chinesa Chang'e 4 no lado oculto da Lua em janeiro de 2019.[59]

O Instituto de Pesquisa em Astrofísica e Planetologia da França (IRAP) situado em Toulouse na França, vem colaborando com o rover Tianwen-1. Sylvestre Maurice do IRAP disse: "Para seu instrumento de espectroscopia de quebra induzida por laser (LIBS), compartilhamos um alvo de calibração que é uma duplicata francesa de um alvo que está no rover Curiosity da NASA. A ideia é ver como os dados dos dois rovers sem comparam".[59]

A Agência Austríaca de Promoção de Pesquisa (FFG) ajudou no desenvolvimento de um magnetômetro instalado no orbitador chinês da Tianwen-1. O Instituto de Pesquisa Espacial da Academia Austríaca de Ciências em Graz confirmou a contribuição do grupo para o magnetômetro e ajudou a calibrar o instrumento de voo.[59]

Reações Nacionais e Internacionais[editar | editar código-fonte]

O Presidente chinês Xi Jinping emitiu uma declaração parabenizando a equipe responsável pelo pouso em Marte:

O Administrador Associado da NASA, Thomas Zurbuchen, parabenizou a missão com um tweet:

O Diretor-Geral da Roscosmos, Dmitry Rogozin, elogiou a missão bem-sucedida da China:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «中国火星探测器露真容 明年发射». 12 de outubro de 2019 
  2. «NASA International Space Exploration Coordination Group, January 2018  Este artigo incorpora texto desta fonte, que está no domínio público.» 🔗 (PDF). 12 de outubro de 2018 
  3. a b «Tiān wèn yī hào tàncè qì fēixíng lǐchéng túpò 3 yì qiān mǐ» (em chinês). 17 de novembro de 2020. Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  4. a b c d «我国首次火星探测任务着陆火星取得圆满成功». http://www.cnsa.gov.cn/n6758823/n6758838/c6812001/content.html. Consultado em 15 de maio de 2021. Cópia arquivada em 15 de maio de 2021. 科研团队根据“祝融号”火星车发回遥测信号确认,5月15日7时18 
  5. a b c «天问一号成功着陆火星!». 15 de maio de 2021 
  6. a b c «官宣!7时18分!"天问一号"探测器成功着陆火星». 15 de maio de 2021 
  7. a b Andrew Jones (28 de outubro de 2020). «China chooses landing site for its Tianwen-1 Mars rover». Space.com (em inglês). Consultado em 16 de novembro de 2020 
  8. «China's 1st Mars rover 'Zhurong' lands on the Red Planet». Consultado em 15 de maio de 2021 
  9. Andrew Jones (9 de fevereiro de 2018). «China simulates Mars landing in preparation for 2020 mission». GBTimes. Consultado em 13 de julho de 2019 
  10. a b Hua, Xia (24 de abril de 2021). «China's first Mars rover named Zhurong». Xinhuanet.com. Consultado em 24 de abril de 2021 
  11. Jonathan McDowell (27 de maio de 2019). «China shows first images of Mars rover, aims for 2020 mission». Reuters. Consultado em 13 de julho de 2019 
  12. «Entrevista com Zhang Rongqiao, o homem por trás da missão chinesa para Marte». CGTN. 23 de agosto de 2016. Consultado em 13 de julho de 2019 
  13. Andrew Jones (22 de fevereiro de 2016). «China is racing to make the 2020 launch window to Mars». GBTimes. Consultado em 13 de julho de 2019 
  14. Eric Berger (22 de fevereiro de 2016). «China pressing ahead with orbiter and lander mission to Mars». Ars Technica. Consultado em 13 de julho de 2019 
  15. Shen Lu (4 de novembro de 2016). «China says it plans to land rover on Mars in 2020». CNN News. Consultado em 13 de julho de 2019 
  16. Joey Roulette (5 de fevereiro de 2021). «Three countries are due to reach Mars in the next two weeks». The Verge (em inglês). Consultado em 7 de fevereiro de 2021 
  17. Chris Gebhardt (10 de fevereiro de 2021). «China, with Tianwen-1, begins tenure at Mars with successful orbital arrival». NASASpaceFlight.com (em inglês). Consultado em 10 de fevereiro de 2021 
  18. «Veja o momento em que a sonda chinesa Tianwen-1 entrou na órbita de Marte». www.uol.com.br. Consultado em 13 de fevereiro de 2021 
  19. a b c d «China lands its Zhurong rover on Mars». bbc.com. Consultado em 14 de maio de 2021 
  20. «科普贴 "祝融"成功登陆火星 为何选择在"乌托邦"? 恐怖9分钟经历了什么?». 15 de maio de 2021 
  21. «天問一號探測器登陸「烏托邦平原」 中國火星着陸任務創歷史». 15 de maio de 2021 
  22. a b c «China Exclusive: China's aim to explore Mars». Xinhua. 21 de março de 2016. Consultado em 24 de março de 2016 
  23. a b c B. Zhou, S. X. Shen, Y. C. Ji; et al. (16 de junho de 2016). «The subsurface penetrating radar on the rover of China's Mars 2020 mission». CGTN. Consultado em 13 de julho de 2019 
  24. «China succeeds on country's first Mars landing attempt with Tianwen-1». nasaspaceglight.com. Consultado em 15 de maio de 2021 
  25. «China's Tianwen-1 spacecraft completes historic Mars landing». aljazeera.com. Consultado em 15 de maio de 2021 
  26. a b Jessie Yeung (10 de fevereiro de 2021). «Tianwen-1, China's mission to Mars, has entered orbit». CNN (em inglês). Consultado em 12 de fevereiro de 2021 
  27. «China's First Mars Exploration Mission Named Tianwen-1». Xinhua (em inglês). 24 de abril de 2020. Consultado em 15 de março de 2021 
  28. «"祝融号"荣登榜首!中国首辆火星车全球征名投票结束». 2 de março de 2021. Cópia arquivada em 24 de abril de 2021 
  29. a b 高孟阳 Gao Mengyang. «定了!"祝融号"——中国首辆火星车有名字了!» [Deal! "Zhurong"—China's first Mars rover has a name!]. CCTV News (em chinês). Consultado em 30 de abril de 2021 
  30. Alexei Zolotukhin (15 de janeiro de 2012). «Russian Phobos-Grunt Mars probe falls in Pacific Ocean» (em inglês). Consultado em 16 de fevereiro de 2012 [ligação inativa] 
  31. Wu Nan (24 de junho de 2014). «Next stop – Mars: China aims to send rover to Red Planet within six years». South China Morning Post. Consultado em 23 de fevereiro de 2016 
  32. a b c Andrew Jones (8 de fevereiro de 2019). «China Says Its Mars Landing Technology Is Ready For 2020». IEEE Spectrum (em inglês). Consultado em 30 de dezembro de 2019 
  33. «Tianwen-1 (China's first Mars Exploration Mission)». eoPortal Directory (em inglês) 
  34. a b Stephen Clark. «China's Mars-bound probe returns self-portrait from deep space». Spaceflight Now (em inglês). Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  35. Jia Yingzhuo, Fan Yu, Zou Yongliao (2018). «Scientific Objectives and Payloads of Chinese First Mars Exploration» (PDF) (em inglês). Consultado em 13 de julho de 2020 
  36. Zhou; et al. (16 de junho de 2016). «The subsurface penetrating radar on the rover of China's Mars 2020 mission». 2016 16th International Conference on Ground Penetrating Radar (GPR). [S.l.: s.n.] pp. 1–4. ISBN 978-1-5090-5181-6. doi:10.1109/ICGPR.2016.7572700 
  37. Dennis Normile (25 de junho de 2020). «Mars mission would put China among space leaders». Science. Consultado em 12 de fevereiro de 2021 
  38. Alexandra Lozovschi (17 de janeiro de 2019). «China Plans To Land A Rover On Mars In 2020». Inquisitr 
  39. Zhao Lei (3 de dezembro de 2019). «Country making strides toward Mars mission». China Daily (em inglês). Consultado em 12 de fevereiro de 2021 
  40. Jones, Andrew (23 de julho de 2020). «Tianwen-1 launches for Mars, marking dawn of Chinese interplanetary exploration». SpaceNews. Consultado em 19 de março de 2021 
  41. «China's Mars probe completes deep-space maneuver». Xinhua (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2020 
  42. Zhao Lei (29 de julho de 2020). «Mars probe begins science operations». China Daily. Consultado em 12 de fevereiro de 2021 
  43. Andrew Jones (5 de janeiro de 2021). «China's Tianwen-1 spacecraft will reach Mars orbit on 10 February 2021». Space.com. Consultado em 12 de fevereiro de 2021 
  44. Jonathan Amos (10 de fevereiro de 2021). «China Mars mission: Tianwen-1 spacecraft enters into orbit». BBC News. Consultado em 10 de fevereiro de 2021 
  45. Andrew Jones (10 de fevereiro de 2021). «China's Tianwen-1 enters orbit around Mars». SpaceNews. Consultado em 12 de fevereiro de 2021 
  46. «China's Tianwen-1 set to attempt Mars rover landing on Friday». cnet.com. Consultado em 12 de maio de 2021 
  47. «科普贴 "祝融"成功登陆火星 为何选择在"乌托邦"? 恐怖9分钟经历了什么?». 15 de maio de 2021 
  48. «天問一號探測器登陸「烏托邦平原」 中國火星着陸任務創歷史». 15 de maio de 2021 
  49. «China is about to land its Zhurong rover on Mars». The same Chinese space watchers who revealed the impending descent also report that Zhurong will begin exploration on 22 May 
  50. «天问一号着陆过程两器分离和落火影像发布». 19 de maio de 2021 
  51. «China on Mars: Zhurong rover returns first pictures». 19 de maio de 2021 
  52. «US satellite looks down on China's Zhurong Mars rover». 10 de junho de 2021 
  53. Woo, Ryan; Sun, Yilei (22 de maio de 2021). «China says Martian rover takes first drive on surface of Red Planet». Reuters (em inglês). Consultado em 22 de maio de 2021 
  54. «祝融号火星车成功驶上火星表面-新华网» [Zhurong rover successfully descended onto the surface of Mars]. xinhuanet.com (em chinês). 22 de maio de 2021. Consultado em 22 de maio de 2021 
  55. «天问一号探测器着陆火星首批科学影像图揭幕» [O primeiro lote de imagens científicas do rover Tianwen 1 pousando em Marte revelado]. xinhuanet.com (em chinês). 11 de junho de 2021. Consultado em 11 de junho de 2021 
  56. «China releases new videos, pics captured by Tianwen-1 Mars probe» [China lança novos vídeos, fotos capturadas pela sonda Tianwen-1 Marte]. CGTN (em inglês). 27 de junho de 2021. Consultado em 27 de junho de 2021 
  57. a b «China launches robotic mission to orbit, land, and drive on Mars». Spaceflight Now (em inglês). 23 de julho de 2020. Consultado em 24 de julho de 2020 
  58. Zou, Yongliao; Zhu, Yan; Bai, Yunfei; Wang, Lianguo; Jia, Yingzhuo; Shen, Weihua; Ventilador, Yu; Liu, Yang; Wang, Chi; Zhang, Aibing; Yu, Guobin; Dong, Jihong; Shu, Rong; He, Zhiping; Zhang, Tielong; Du, Aimin; Ventilador, Mingyi; Yang, Jianfeng; Zhou, Bin; Wang, Yi; Peng, Yongqing (2021). «Scientific objectives and payloads of Tianwen-1, China's first Mars exploration mission». Avanços na pesquisa espacial. 67 (2): 812–823. ISSN 0273-1177. doi:10.1016/j.asr.2020.11.005 
  59. a b c Leonard David (22 de julho de 2020). «China's Tianwen-1 Mars rover mission gets a boost from international partners». Space.com (em inglês). Consultado em 10 de setembro de 2020 
  60. «China completes historic Mars spacecraft landing». Reuters. 15 de maio de 2021. Consultado em 15 de maio de 2021 
  61. «China lands on Mars in latest advance for its space program». apnews.com. Consultado em 15 de maio de 2021 
  62. «Russian space corporation praises China's first Mars landing». Xinhua. 15 de maio de 2021. Consultado em 16 de maio de 2021