Tiatira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Thyateira e Thyatira redirecionam para este artigo. Para o navio inglês que se afundou ao largo do Brasil em 1896, veja Thyatira (navio).
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ruínas da basílica de Tiatira
Mapa da 3.ª viagem de São Paulo assinalando Tiatira

Tiatira (em grego: Θυάτειρα; transl.: Tiáteira), a atual cidade turca de Akhisar, foi um importante centro comercial da Ásia Menor, na fronteira entre a Lídia e a Mísia. Antes de ser refundada como um posto militar por Seleuco I Nicator, um dos generais de Alexandre, o Grande, em 280 a.C., chamava-se Pelópia. Foi destruída por um grande sismo durante o reino de Augusto (r. 27 a.C.–14 d.C.), mas foi reconstruída com a ajuda do Império Romano. A cidade em si dava a impressão de “fraca tornada forte”.

Era famosa pelo seu comércio e pela sua produção de têxteis, incluindo o índigo. Segundo os Atos dos Apóstolos, uma das comerciantes de roupas da cidade era uma mulher chamada Lídia, que conduzia negócios em lugares distantes como Filipos (Atos 16:14).

Na Antiguidade, a cidade era conhecida pelas suas muitas guildas comerciais. Para poder trabalhar no comércio era necessário que o cidadão pertencesse a alguma delas, sendo muito comum que os seus membros participassem de festas dedicadas às divindades pagãs. No livro do Apocalipse, Tiatira é citada como uma das sete igrejas da Ásia, às quais João, o Evangelista escreveu com advertências.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Tiatira
Ícone de esboço Este artigo sobre História da Turquia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.