Tigre de papel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A expressão tigre de papel (tradução literal da expressão chinesa "zhǐ lǎohǔ" - 紙老虎) designa algo que é aparentemente ameaçador mas, na realidade, é inofensivo. A expressão, antiga na cultura chinesa, tornou-se célebre após uma entrevista de Mao Tsé-tung à jornalista norte-americana Anna Louise Strong, em 1956, na qual o líder chinês usou a expressão para qualificar Chiang Kai-shek e os Estados Unidos. [1][2] O uso da metáfora "tigre de papel" é desde então muito comum nas línguas ocidentais.

Em 1963, quando Mao criticou o "apaziguamento" soviético frente aos Estados Unidos, durante a ruptura sino-soviética, Nikita Khrushchov respondeu: "o tigre de papel tem dentes nucleares."[3]

Referências

  1. Mao Tse-tung (14 de julho de 1956). «U.S. Imperialism is a paper tiger» 
  2. Mao Tse-tung (18 de novembro de 1957). «All reactionaries are paper tigers» 
  3. «World: What they are fighting about». Time. 12 de julho de 1963 
Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.