Timothée Chalamet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Timothée Chalamet
Chalamet durante a coletiva de imprensa do filme The King no 24th Busan International Film Festival, em 2019
Nome completo Timothée Hal Chalamet
Nascimento 27 de dezembro de 1995 (24 anos)
Nova Iorque, NY
Nacionalidade norte-americano
francês
Educação Fiorello H. LaGuardia High School
Ocupação Ator
Atividade 2008–presente
Prémios National Board of Review
Ator Revelação
2017 – Call Me by Your Name
Outros prêmios
Independent Spirit Award de Melhor Ator
2018 – Call Me by Your Name

Timothée Hal Chalamet[1] (Nova York, 27 de dezembro de 1995)[2] é um ator norte-americano. Começou sua carreira de ator em curtas-metragens, antes de aparecer na série de televisão Homeland (2012), interpretando Finn Walden.[3] Em 2014, fez sua estreia no cinema no drama de Jason Reitman, Men, Women & Children, e apareceu no filme de ficção científica de Christopher Nolan, Interstellar.

Em 2017, Chalamet ganhou maior reconhecimento por seus papéis coadjuvantes no filme de Greta Gerwig, Lady Bird, Hostiles de Scott Cooper, e por seu papel principal no drama romântico de Luca Guadagnino, Call Me by Your Name. Este último lhe rendeu uma indicação para o Oscar de melhor ator, fazendo dele o terceiro ator mais jovem a ser indicado nesta categoria, além de indicações aos prêmios BAFTA, Critics Choice, Globo de Ouro e Screen Actors Guild na mesma categoria. No ano seguinte, ele retratou um adolescente viciado em drogas no drama Beautiful Boy, pelo qual recebeu indicações para o Globo de Ouro, Screen Actors Guild e BAFTA, todos na categoria de melhor ator coadjuvante.

No teatro, Chalamet estrelou a peça autobiográfica de John Patrick Shanley, Prodigal Son, pela qual foi indicado ao Drama League Award e ganhou um prêmio Lucille Lortel.

Início da vida[editar | editar código-fonte]

Chalamet nasceu no dia 27 de dezembro de 1995 em Hell's Kitchen, bairro de Manhattan, na cidade de Nova Iorque.[4] Filho de Nicole Flender, uma corretora de imóveis e ex-dançarina da Broadway, e Marc Chalamet, editor da UNICEF.[4][5] Sua mãe americana, uma nova-iorquina de terceira geração, é judia (de ascendência judaica e austríaca russa), e seu pai francês, que morava em Nîmes, é de origem protestante.[5][6][7][8]

Durante sua infância, Timothée Chalamet passava o verão em Le Chambon-sur-Lignon,[9] uma pequena aldeia francesa a duas horas de distância de Lyon, na casa de seus avós paternos. Sua avó paterna, que se mudara para a França, era canadense.[10] Chalamet afirmou que seu tempo na França levou a questões de identidade intercultural.[11] "Uma vez eu estava lá, eu me tornei a versão francesa de mim mesmo", ele disse a La Presse. Eu estava completamente imbuído da cultura e até sonhei em francês."[12] Seu sonho de infância era tornar-se um jogador de futebol profissional: "Eu fui técnico de um campo de futebol na França. Treinei crianças de seis a dez anos quando eu tinha cerca de treze anos".[9]

Chalamet frequentou a escola PS 87 William T. Sherman durante o primário e, mais tarde, o programa seletivo Delta na escola secundária MS 54 Booker T. Washington, que ele descreveu como "três anos miseráveis" devido à falta de uma saída criativa dentro da escola, ambiente academicamente rigoroso.[13] Sua aceitação na Fiorello H. LaGuardia High School of Music & Art and Performing Arts foi um ponto de virada em sua apreciação pela atuação. Ele declarou: "Tive excelentes professores e realmente me apaixonei por eles. Vi que poderia ser e deveria ser tratado como um ofício".[14] Harry Shifman, seu professor de teatro do segundo ano na LaGuardia,[15] ficou tão impressionado com sua audição que insistiu na aceitação de Chalamet na escola, apesar de ter sido rejeitado na entrevista, dizendo: "Eu dei a ele a pontuação mais alta que já fiz uma audição infantil".[16]

Carreira[editar | editar código-fonte]

2008–2016: Primeiros trabalhos[editar | editar código-fonte]

Quando criança, Chalamet apareceu em vários comerciais e atuou em dois curtas-metragens de terror, como Sweet Tooth e Clown, antes de fazer sua estreia na televisão em um episódio da longa série de procedimentos policiais Law & Order (2009), interpretando uma vítima de assassinato.[17] Ele seguiu isso com um papel menor no filme de televisão Loving Leah (2009). Em 2011, ele estreou no palco na peça off-Broadway The Talls, uma comédia para adultos que se formou na década de 1970, na qual interpretou um Nicholas sexualmente curioso, de 12 anos. O crítico de teatro chefe do New York Daily News escreveu "Chalamet hilariamente capta as curiosidades despertadoras de uma adolescente sobre sexo" [18]. Em 2012, ele teve papéis recorrentes na série dramática Royal Pains e na aclamada série de espionagem Homeland, na qual interpretou Finn Walden, o filho rebelde do vice-presidente. Junto com o restante do elenco, Chalamet foi indicado ao prêmio Screen Actors Guild de Melhor Performance por um Ensemble em uma série dramática.

Em 2014, ele fez sua estréia no cinema em um papel menor em Men, Women & Children. Mais tarde naquele ano, ele desempenhou o papel de Tom Cooper, filho de Matthew McConaughey em Interstellar.[19] O filme recebeu críticas positivas, com críticos elogiando as performances do elenco, e arrecadou mais de US $ 675 milhões em todo o mundo.[20][21]Também em 2014, Chalamet interpretou a versão mais jovem do papel de co-protagonista em Worst Friends, uma comédia que teve um lançamento teatral limitado e recebeu críticas positivas [22]. Em 2015, Chalamet co-estrelou o thriller de fantasia One & Two de Andrew Droz Palermo, interpretando o papel de Zac, um filho que, juntamente com sua irmã, começa a explorar habilidades incomuns e segredos obscuros da família quando sua mãe fica doente. O filme estreou no Festival Internacional de Cinema de Berlim, onde recebeu principalmente críticas mistas, antes de seu lançamento teatral limitado [23][24]. Seu próximo papel foi interpretar a versão adolescente de James Franco em Os Adderall Diaries [25]. Em seu papel final de 2015, Chalamet interpretou Charlie Cooper, neto sombrio dos personagens de Diane Keaton e John Goodman na comédia natalina Love the Coopers, que recebeu críticas negativas [26].

Chalamet observou um período de tempo após o Interstellar (um papel que ele imaginou que teria servido como um rompimento na carreira), em que suas audições foram tremendamente malsucedidas, incluindo trabalhos como O Demônio de Neon, A Teoria de Tudo, o Lar de Peculiares de Miss Peregrine Crianças e White Boy Rick [27].

Em fevereiro de 2016, ele estrelou como Jim Quinn na peça autobiográfica Prodigal Son no Manhattan Theatre Club. Escolhido a dedo por seu dramaturgo e diretor John Patrick Shanley e pelo produtor Scott Rudin, Chalamet interpretou um Shanley mais novo, um garoto desajustado do Bronx em uma prestigiosa escola preparatória de New Hampshire, criada em 1963 [28]. Ele recebeu ótimas críticas por seu desempenho e foi indicado ao Oscar. E ganhou o Lucille Lortel Award de Melhor Ator Principal em uma peça [29][30]. Chalamet também co-estrelou ao lado de Lily Rabe em Miss Stevens, de Julia Hart, como o problemático aluno Billy. Stephen Farber, do The Hollywood Reporter, escreveu: "Ele é convincente mesmo quando está apenas assistindo silenciosamente e reagindo aos outros personagens. Quando ele tem que explodir com raiva ou energia maníaca, ele é surpreendente. E na competição de drama, sua leitura de um climaticismo o discurso de Death of a Salesman sugere que esse jovem ator tem um futuro brilhante em muitas mídias diferentes (não sei se já vi um desempenho melhor desse discurso.) " Stephen Holden, de The New York Times o comparou com James Dean [31].

2017–presente: Avanço mundial[editar | editar código-fonte]

Depois de ser anexado ao projeto por três anos, Chalamet estrelou Call Me By Your Name, baseado no romance de mesmo nome, por André Aciman.[32][33] A história gira em torno de um jovem chamado Elio que, morando na Itália nos anos 80, se apaixona por Oliver (Armie Hammer), um estudante universitário que veio ficar com sua família. Ao se preparar para o papel, Chalamet aprendeu a falar italiano e tocar violão; ele também praticava tocar piano [34]. O filme estreou no Festival de Cinema de Sundance de 2017; a performance de Chalamet foi aclamada [35]. Olly Richards, do Empire, escreveu: "Em um filme em que todas as performances são fantásticas, Chalamet faz o resto parecer que está agindo. Só ele faria o filme valer a pena assistir" [36]. Jon Frosch, do The Hollywood Reporter, escreveu "Nenhuma performance deste ano foi tão emocionalmente, física e intelectualmente viva", e incluiu Chalamet na lista da revista das melhores performances do ano [37]. O New York Times apresentou Chalamet em sua lista dos melhores atores do ano [38]. Por seu trabalho em Chame-me pelo seu nome, Chalamet ganhou o Gotham Independent Film Award por Ator Revelação, e recebeu indicações para um Globo de Ouro, SAG Award, BAFTA Award e Academy Award, todos de Melhor Ator. Ele é a terceira pessoa mais jovem da história a ser indicada no Oscar na categoria de Melhor Ator, e a mais jovem desde Mickey Rooney em 1939 [39][40].

Em seu segundo filme de 2017, Chalamet interpretou Daniel, um adolescente desajeitado que se envolveu no negócio de drogas ao longo de um verão, na estréia na direção de Elijah Bynum, Hot Summer Nights. Ele recebeu um lançamento teatral limitado em julho de 2018 e gerou críticas mistas dos críticos, embora o desempenho de Chalamet fosse frequentemente destacado [41][42]. Mais tarde naquele ano, ele interpretou Kyle Scheible, um rico hipster de uma banda e o interesse amoroso do personagem de Saoirse Ronan em Lady Bird, a estréia solo de Greta Gerwig na direção aclamada pela crítica [43]. Os críticos elogiaram o elenco, com Ty Burr de O Boston Globe tomou nota da performance "hilária" de Chalamet [44]. Em dezembro viu o lançamento do filme de Chalamet final do 2017, Hostis, no qual ele interpretou soldado Philippe Dejardin, ao lado de Christian Bale.

Em 2018, Chalamet foi convidado a ingressar na Academia de Artes e Ciências Cinematográficas [45]. Mais tarde naquele ano, Chalamet interpretou Nic, um adolescente viciado em metanfetamina que compartilha um relacionamento tenso com seu pai, o jornalista David Sheff (interpretado por Steve Carell), no drama Beautiful Boy. O filme é dirigido por Felix Van Groeningen e é baseado em um par de memórias - as memórias mais antigas de Sheff com o mesmo nome e Tweak: Growing Up on Methamphetamines de Nic Sheff [46]. Owen Glieberman, da Variety, comparou a atuação de Chalamet em Call Me By Your Name e Beautiful Boy, afirmando que "Nic, [quem ele interpreta] em seu modo milenar e abafado de James Dean, [como] esganiçado e auto-envolvido" é uma transformação da "maravilhosa franqueza" que ele exibiu no primeiro [47]. Ele recebeu indicações para Melhor Ator Coadjuvante nas cerimônias de premiação do SAG, Globo de Ouro e BAFTA [48].

No ano seguinte, Chalamet estrelou a comédia romântica de Woody Allen, A Rainy Day in New York (2019) [49]. Devido a uma acusação de agressão sexual contra Allen, Chalamet doou seu salário para as instituições de caridade Time's Up, LGBT Center de Nova York e RAINN [50][51]. Em seguida, ele retratou Henrique V da Inglaterra, um jovem príncipe que involuntariamente sobe ao trono inglês, no drama de época de David Michôd, Netflix, The King, baseado em várias peças de Henriad, de Shakespeare [52][53]. Richard Lawson, da Vanity Fair, escreveu: "Chalamet faz um trabalho robusto, endireitando sua postura esbelta enquanto continua, assumindo o papel de homem ascendente" [54]. Em seu terceiro lançamento do filme de 2019, Chalamet retratado Theodore "Laurie" Laurence, um adolescente apaixonado, em Little Women, uma adaptação de Louisa May Alcott 's romance de mesmo nome. Marcando sua segunda colaboração com Gerwig e Ronan, o filme recebeu críticas positivas dos críticos, dois dos quais - Peter Travers, da Rolling Stone e Ann Hornaday, da O Washington Post, também elogiou o desempenho de Chalamet; Travers notou que Chalamet retrata o papel com "charme inato e vulnerabilidade pungente", enquanto Hornaday destacou o desempenho "languidamente gracioso" de Chalamet e sua "fisicalidade lúdica" [55][56].

Projetos futuros[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2020 , a Chalamet tem pelo menos cinco projetos futuros. Ele atuará como o personagem principal Paul Atreides na adaptação de Denis Villeneuve do romance de ficção científica Dune [57], e no drama de Wes Anderson, The French Dispatch, que marcará sua terceira aparição com Ronan [58]. Chalamet fará sua estréia no West End em abril de 2020, na peça 4000 Miles, de Amy Herzog, co-estrelando Eileen Atkins [59]. Ele também interpretará o cantor Bob Dylan em uma cinebiografia dirigida por James Mangold [60].

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

A irmã mais velha de Chalamet, Pauline (nascida em 1992), é uma atriz e mora em Paris.[4] O tio materno de Chalamet é o cineasta Rodman Flender, sua tia materna é a produtora e escritora de televisão Amy Lippman, seu avô materno era o roteirista Harold Flender, e sua avó materna, Enid Flender (née Rodman), é ex-dançarina da Broadway. [4][61]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Indica filmes que ainda não foram lançados
Filmes
Título Ano Papel Notas
Sweet Tooth 2008 Samuel Curta-metragem
Clown Garoto Palhaço
Men, Women & Children 2014 Danny Vance
Spinners Jace Curta-metragem
Interstellar Tom Cooper (jovem)
Worst Friends Sam (jovem)
One & Two 2015 Zac
The Adderall Diaries Stephen Elliott (jovem)
Love the Coopers Charlie Cooper
Miss Stevens 2016 Billy Mitman
Call Me by Your Name 2017 Elio Perlman
Hot Summer Nights Daniel Middleton
Lady Bird Kyle Scheible
Hostiles Philippe DeJardin
Beautiful Boy 2018 Nic Sheff
A Rainy Day in New York 2019 Gatsby Welles
The King Rei Henrique V
Little Women Theodore "Laurie" Laurence
Dune 2020 Paul Atreides Pós-produção
The French Dispatch TBA Zeffirelli
Televisão
Título Ano Papel Notas
Law & Order 2009 Eric Foley Episódio: "Pledge"
Loving Leah Jake Lever (jovem) Telefilme
Royal Pains 2012 Luke 4 episódios
Homeland Finn Walden 8 episódios
Trooper 2013 Lee Flaxton Piloto de televisão
Teatro
Título Ano Papel
The Talls 2011 Nicholas Clarke
Prodigal Son 2016 Jim Quinn

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Chalamet foi indicado para o Oscar de Melhor Ator por seu desempenho em Call Me by Your Name.[62] Ele também foi indicado para um BAFTA Award, um Golden Globe Award, um Screen Actors Guild Award, e um Critics' Choice Award, todos de melhor ator.[63][64][65][66] Chalamet também ganhou reconhecimento por seu papel coadjuvante em Lady Bird, recebendo indicações para o Critics' Choice Movie Award for Best Acting Ensemble e o Prémio Screen Actors Guild para melhor elenco em cinema, juntamente com o resto do elenco.[66][65] Por seu trabalho em Beautiful Boy. ele foi indicado para um Golden Globe Award, um BAFTA Award, um SAG Award, e um Critics' Choice Award, todos de melhor ator coadjuvante.[67][68][69]

Referências

  1. Bowman, Sabienna (3 de janeiro de 2018). «You've Been Pronouncing Timothée Chalamet's Name Wrong This Whole Time». PopSugar. Consultado em 1 de outubro de 2018. Cópia arquivada em 30 de março de 2018 
  2. «Timothée Chalamet». Golden Globes. Consultado em 13 de dezembro de 2017. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2018 
  3. Louaguef, Sarah (10 de dezembro de 2014). «Saga people - Timothée Chalamet, nouvel espoir d'Hollywood». ParisMatch.com 
  4. a b c d Riley, Daniel (14 de fevereiro de 2018). «The Arrival of Timothée Chalamet». GQ. Consultado em 25 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2018 
  5. a b Piette, Jérémy (26 de fevereiro de 2018). «Timothée Chalamet, appelez-le par son nom» [Timothée Chalamet, call him by his name]. Libération (em francês). Consultado em 2 de março de 2018. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2018 
  6. Kellaway, Kate (15 de outubro de 2017). «Call Me By Your Name's Oscar-tipped double act on their summer of love». The Guardian. Londres. Consultado em 13 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2018 
  7. Bloom, Nate (29 de março de 2018). «Celebrity Jews: Timothée Chalamet & TV Catch-Up». The Jewish News. Consultado em 25 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2018. filho de uma mãe judia americana e um pai protestante francês. 
  8. Bloom, Nate (27 de novembro de 2014). «Celebrity Jews». J Weekly. Consultado em 28 de janeiro de 2019 
  9. a b Herman, James Patrick (6 de fevereiro de 2015). «Timothée Chalamet – Takes off in Interstellar». Verge Magazine. Arquivado do original em 6 de fevereiro de 2015 
  10. Demars, Céline (3 de março de 2018). «Les racines auvergnates de Timothée Chalamet, nouveau chouchou d'Hollywood à 22 ans». La Montagne (em francês). Consultado em 15 de junho de 2018. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2018 
  11. Marotta, Jenna (17 de novembro de 2017). «'Call Me by Your Name': Timothée Chalamet is Learning How to Be a Man, Onscreen and Off». IndieWire. Consultado em 23 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2018 
  12. Lussier, Marc-André (15 de dezembro de 2017). «Timothée Chalamet, nouvelle étoile du cinéma mondial». La Presse (em francês). Consultado em 23 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2018 
  13. Josh Horowitz (8 de dezembro de 2017). «Happy Sad Confused». Stitcher (Podcast). MTV. Consultado em 25 de abril de 2018. Arquivado do original em 26 de abril de 2018 
  14. «PeopleHop: Timothée Chalamet». Bwog. 19 de setembro de 2013. Consultado em 27 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2018 
  15. Scott Feinberg (19 de fevereiro de 2018). «'Awards Chatter' Podcast — Timothee Chalamet ('Call Me by Your Name')» (Podcast). The Hollywood Reporter. Em cena em 34:04-34:17. Consultado em 17 de junho de 2018. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2018 
  16. Duboff, Josh (19 de janeiro de 2018). «Meet Timothée Chalamet and Ansel Elgort's High-School Drama Teacher, Mr. Shifman». Vanity Fair. Consultado em 16 de junho de 2018. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2018 
  17. «Timothée Chalamet - Takes off in Interstellar - VERGE». web.archive.org. 6 de fevereiro de 2015. Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  18. Isherwood, Charles (27 de agosto de 2011). «A 17-Year-Old Beanstalk From a Wholesome '70s Family Is Eager to Go Far Out». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  19. «Christopher Nolan Casting Young 'Homeland' Actor in 'Interstellar' (Exclusive)». TheWrap (em inglês). 15 de julho de 2013. Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  20. Greene, Andy; Stone, Rolling (8 de abril de 2015). «Readers' Poll: The 20 Best Movies of the 2010s So Far». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  21. An, Gautam (6 de novembro de 2014). «Review: 'Interstellar' is Awe-Inspiring». The Cinemaholic (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  22. Worst Friends (2014) (em inglês), consultado em 19 de janeiro de 2020 
  23. Debruge, Peter; Debruge, Peter (12 de fevereiro de 2015). «Berlin Film Review: 'One & Two'». Variety (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  24. Gold, Daniel M. (13 de agosto de 2015). «Review: 'One & Two' Exposes Dangers of Trying to Control Teenagers». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  25. The Adderall Diaries (2016) (em inglês), consultado em 19 de janeiro de 2020 
  26. Love the Coopers (2015) (em inglês), consultado em 19 de janeiro de 2020 
  27. «Timothée Chalamet: 'I don't know how the f**k any of this happened'». Time Out London (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  28. «Timothee Chalamet | Alumni & Friends of LaGuardia». web.archive.org. 19 de setembro de 2018. Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  29. Cox, Gordon; Cox, Gordon (20 de abril de 2016). «Drama League Awards Nominations: Jessica Lange, Lupita Nyong'o, Jesse Tyler Ferguson and Lots More (FULL LIST)». Variety (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  30. Brantley, Ben (27 de março de 2016). «Review: 'Prodigal Son,' John Patrick Shanley's Exploration of the Student He Once Was». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  31. Holden, Stephen (15 de setembro de 2016). «Review: In 'Miss Stevens,' a Chaperone Greets Temptation». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  32. Raup, Jordan (23 de maio de 2016). «Michael Stuhlbarg, Armie Hammer & More Leading Luca Guadagnino's 'Call Me By Your Name'». The Film Stage (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  33. Vivarelli, Nick; Vivarelli, Nick (13 de fevereiro de 2017). «Berlinale: Luca Guadagnino on Why 'Call Me by Your Name' Strikes Such Deep Chords». Variety (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  34. «Timothée Chalamet». Interview Magazine (em inglês). 2 de junho de 2017. Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  35. Call Me by Your Name, consultado em 19 de janeiro de 2020 
  36. «Call Me By Your Name». Empire (em inglês). 23 de outubro de 2017. Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  37. «Mary J. Blige - Hollywood Reporter Film Critics Pick the 13 Best Performances of the Year». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  38. Scott, A. O.; Morris, Wesley (7 de dezembro de 2017). «The 10 Best Actors of the Year». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  39. «'Call Me By Your Name' takes top prize at 2017 Gotham Awards». EW.com (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  40. «Timothee Chalamet - Oscars: 11 of 2018's Historic Nominees». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  41. Evans, Greg; Evans, Greg (12 de abril de 2018). «'Hot Summer Nights' Trailer: Timothée Chalamet Gets Tangled Up In Weed». Deadline (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  42. Hot Summer Nights, consultado em 19 de janeiro de 2020 
  43. Kohn, Eric; Kohn, Eric (2 de setembro de 2017). «Saoirse Ronan Scores Her Greatest Role In Greta Gerwig's Winning Directorial Debut 'Lady Bird' — Review». IndieWire (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  44. «'Lady Bird' a wise, funny, empathetic tale from Greta Gerwig - The Boston Globe». web.archive.org. 19 de setembro de 2018. Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  45. Pedersen, Erik; Pedersen, Erik (25 de junho de 2018). «Movie Academy Invites Record 928 For Membership; Focus On Diversity». Deadline (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  46. «Sundance Breakout Timothee Chalamet Joining Steve Carell in 'Beautiful Boy' (Exclusive)». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  47. Gleiberman, Owen; Gleiberman, Owen (8 de setembro de 2018). «Film Review: 'Beautiful Boy'». Variety (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  48. Staff, Variety; Staff, Variety (6 de dezembro de 2018). «Golden Globe Nominations: Complete List». Variety (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  49. Vivarelli, Nick; Vivarelli, Nick (5 de maio de 2019). «Woody Allen's 'A Rainy Day in New York' to Be Released in Italy (EXCLUSIVE)». Variety (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  50. Harmon, Steph (16 de janeiro de 2018). «Timothée Chalamet: 'I don't want to profit from my work on Woody Allen's film'». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  51. «A year into #MeToo, some movies, including four Weinstein titles, are still stuck in distribution limbo». Los Angeles Times (em inglês). 16 de setembro de 2018. Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  52. Wiseman, Andreas; Wiseman, Andreas (31 de maio de 2018). «Robert Pattinson, Lily-Rose Depp Among Cast Joining Timothée Chalamet In Netflix Pic 'The King', Cameras Roll This Week». Deadline (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  53. Sharf, Zack; Sharf, Zack (25 de julho de 2019). «'The King' First Look: All Hail Timothée Chalamet in Netflix's Shakespearean Drama». IndieWire (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  54. Lawson, Richard. «The King Review: Timothée Chalamet Gets an Actorly Coronation». Vanity Fair (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  55. Travers, Peter; Travers, Peter (23 de dezembro de 2019). «Greta Gerwig Delivers a 'Little Women' for a New Generation». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  56. «'Little Women' review: Writer-director Greta Gerwig's adaptation of Louisa May Alcott's novel of sisterhood is a very nearly perect film. - The Washington Post». web.archive.org. 18 de dezembro de 2019. Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  57. Sharf, Zack; Sharf, Zack (27 de setembro de 2018). «Timothée Chalamet Raves About 'Dune' and Denis Villeneuve: 'If You Do a Big Movie, Make Sure It's With a Great Director'». IndieWire (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  58. Kroll, Justin; Kroll, Justin (6 de dezembro de 2018). «Timothee Chalamet Joins Tilda Swinton, Bill Murray in Wes Anderson's 'The French Dispatch'». Variety (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  59. Bakare, Lanre (20 de novembro de 2019). «Timothée Chalamet to make London stage debut». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  60. Stedman, Alex; Stedman, Alex (6 de janeiro de 2020). «Timothee Chalamet to Play Bob Dylan in Film Directed by James Mangold». Variety (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2020 
  61. Nepales, Ruben V. (9 de fevereiro de 2018). «Will Timothée Chalamet be the youngest Oscar best actor winner at 22?». Philippine Daily Inquirer. Consultado em 27 de abril de 2018. Cópia arquivada em 19 de setembro de 2018 
  62. «The 90th Academy Awards (2018) Nominees and Winners». Academy of Motion Picture Arts and Sciences (AMPAS). Consultado em 23 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 10 de março de 2018 
  63. «BAFTA Awards: 2018 Complete Winners List». Variety. 18 de fevereiro de 2018. Consultado em 20 de fevereiro de 2018. Cópia arquivada em 20 de fevereiro de 2018 
  64. Merry, Stephanie; Yahr, Emily (1 de dezembro de 2017). «Golden Globes nominations 2018: Complete list of nominations». The Washington Post. Consultado em 11 de dezembro de 2017. Cópia arquivada em 20 de fevereiro de 2018 
  65. a b Nordyke, Kimberly (21 de janeiro de 2018). «SAG Awards: Complete List of Winners». The Hollywood Reporter. Consultado em 21 de fevereiro de 2018. Cópia arquivada em 21 de fevereiro de 2018 
  66. a b Kilday, Gregg (6 de dezembro de 2017). «Critics' Choice Awards: 'The Shape of Water' Leads With 14 Nominations». The Hollywood Reporter. Consultado em 19 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 20 de fevereiro de 2018 
  67. «Winners & Nominees 2019». www.goldenglobes.com. Consultado em 9 de janeiro de 2019 
  68. «EE British Academy Film Awards Nominees in 2019». www.bafta.org. 9 de janeiro de 2019. Consultado em 9 de janeiro de 2019 
  69. «Announcing the Nominees for the 24th Annual Critics' Choice Awards». Critics' Choice Awards. 10 de dezembro de 2018. Consultado em 9 de janeiro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]