Tiras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura por outras acepções, veja Tira.

Tiras foi, de acordo com Gênesis 10:2 e 1 Crônicas 1:5, o último filho de Jafé, portanto, neto de Noé. Segundo o Livro dos Jubileus, a herança de Tiras é composta de quatro grandes ilhas no oceano. Alguns estudiosos têm especulado que seus descendentes estiveram entre os componentes dos Povos do Mar, conhecido pelos egípcios como Tursha e pelos gregos como Tyrsenoi. [1][2].

Referências históricas[editar | editar código-fonte]

O historiador judeu Flávio Josefo escreveu que Tiras (Thiras) foi o antepassado dos thirasians, que os gregos escreveram como Trácios.[3]

Nas Crônicas de Jerameel, uma coleção de eventos bíblicos misturados com história romana, dados geográficos e genealogias,[4] os filhos de Tiras são Maakh, Ṭabel, Bal’anah, Shampla, Mēah e Ēlash.[5]

Segundo John Gill, Jarchi [Nota 1] incorretamente identifica Tiras com Paras, ou a Pérsia. Gill prefere a explicação dos Targuns de Jônatas e de Jerusalém, que identificam Tiras como o ancestral dos trácios. Dentre as evidências indicadas por Gill está o rio Atira, da Trácia, que contém o nome do ancestral, e o deus Odrysus, identificado com Tiras e também chamado de Thuras, o Marte dos trácios.[6]

A quem diga que Tiras, foi supostamente pai dos Nativos Americanos, o que explicaria a conexão dos Trácios com a pele vermelha. Outra expeculação é de que Tiras seja na verdade ancestral dos povos bálticos (mais próximo aos letões). Exemplo: pai (português) --> tėvas/Tiras (letão).

Seguindo a linha de que Tiras é o antepassado dos Trácios, há uma teoria de que deste povo saíram as primitivas tribos eslavas. [7]

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Árvore genealógica baseada em Gênesis:

Lameque
Noé
Sem
Cam
Jafé
Gômer
Magogue
Madai
Javã
Tubal
Meseque
Tiras

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Barker, Burdick, Stek, Wessel, Youngblood (Eds.). (1995). The New International Version Study Bible. (10th Ann ed). Grand Rapids, MI: Zondervan.
  • Bright, John. (2000). A History of Israel. (4th ed.). Louisville, KY: Westminster John Knox Press.
  • DeVaux, Roland. (1997). Ancient Israel. (John McHugh, Trans.) Grand Rapids, MI: Eerdmans.
  • Freedman, David Noel (Ed.). (2000). Eerdmans Dictionary of the Bible. (pp. 597) Grand Rapids, MI: Eerdmans.
  • Wood, Millard, Packer, Wiseman, Marshall (Eds.). (1996). New Bible Dictionary (3rd ed.) (pp. 477). Downers Grove, IL: Intervarsity Press.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. O rabino Shlomo Yitzhaki, mais conhecido como Rashi.

Referências

  1. The Bible for Home and School Macmillan, 1909 (tradução anotada da Bíblia, comparando todas as variantes conhecidas) p. 90
  2. International Standard Bible Encyclopedia (1995) p. 859
  3. Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas, Livro I, Capítulo 6 Como cada nação foi denominada a partir dos seus primeiros habitantes, 1 [em linha]
  4. J. B. Hare, autor do site www.sacred-texts.com, Index, Chronicles of Jerahmeel, tr. Moses Gaster (1899) [em linha]
  5. Crônica de Jerameel, 27.2, tr. Mose Gaster (1899) [em linha]
  6. John Gill, Exposition of the Old and New Testament (1746-63), Genesis 10 [em linha]
  7. «origem das nações». origemdahumanidade.yolasite.com. Consultado em 26 de maio de 2017 


Ícone de esboço Este artigo sobre a Bíblia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.