Titanica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Titanica
 Estados Unidos
1992; 1995 e 1997 (editado) •  cor •  95 minutos
40 minutos (versão editada)
67 min
 
Direção Stephen Low
Narração Cedric Smith
Leonard Nimoy (editado)
Gênero Documentário
Distribuição IMAX
Idioma inglês

Titanica é um documentário de 1992 filmado em IMAX sobre o RMS Titanic. O filme foi dirigido por Stephen Low e narrado por Cedric Smith, Anatoly Sagalevich e Ralph White. O filme se foca em sua maioria em imagens tomadas dos destroços do RMS Titanic, apresentando imagens da equipe da expedição procurando pelos destroços[1] bem como entrevistas com sobreviventes do naufrágio, Frank John William Goldsmith e Eva Hart.[2] Usando Eva e os membros da tripulação, Low transmite a voz do documentário mostrando os destroços do Titanic como um cemitério que deve ser respeitado e tratado com precaução e cuidado. Foi o segundo longa metragem lançado no formato IMAX, depois de Stones at the Max de 1991.[1] Uma versão editada com 40 minutos do filme foi também lançado posteriormente para cinemas IMAX em 1995;[3] esta versão tinha a narração de Leonard Nimoy, embora conserve a narração de White.[4] Esta versão editada mais tarde se tornou a base para outra versão editada lançada em 1997, com 27 minutos de entrevistas com Ralph White, Emory Kristof e outros especialistas.

Produção[editar | editar código-fonte]

A equipe da expedição era compostas de russos, americanos e canadenses[1] que operavam o navio de pesquisa Russo Akademik Mstislav Keldysh.[3] Imagens do naufrágio foram obtidas por dois submersíveis Mir,[3] algumas vezes trabalhando juntos, que tinham sido equipados com câmeras IMAX e luzes que geravam 150.000 watts, capazes de iluminar claramente o fundo do oceano.[1] Imagens do naufrágio são comparadas com fotos históricas, mostrando o impacto total da tragédio.

No filme, Eva Hart comenta que antes do Titanic atingir o iceberg, sua mãe tinha comentado que chamar o navio de 'inafundável' era "rir na face do Todo-Poderoso."[1][3][5]

Recepção[editar | editar código-fonte]

O filme detém 60% de aprovação no Rotten Tomatoes baseado em 5 análises.[6] Roger Ebert deu ao filme 3½ estrelas de um total de 4, afirmando que a filmagem "alcançou uma intimidade notável" com o naufrágio do Titanic, embora também afirma que teria gostado de ver mais imagens do naufrágio do Titanic e menos da equipe da expedição.[1] Margaret McGurk do The Cincinnati Enquirer fez uma análise positiva em 2000, particularmente louvando os detalhes e tamanho das filmagens, afirmando que era "um exemplo que quando o formato grande do filme Imax realmente fazia jus ao seu potencial."[3] Edward Johnson-Ott do NUVO falou favoravelmente tanto das imagens do naufrágio quando das da equipe da expedição, afirmando que a tripulação adicionou "um bem vindo humor enquanto mantinha a dignidade que uma incursão demanda."[5]

Eva Hart, que tinha expressado preocupação sobre o saque ao naufrágio do Titanic, elogiou o filme, afirmando "A expedição IMAX Titanic não estava indo lá para saqueá-lo. Eu acho que é esplêndido."[1]

Referências

  1. a b c d e f g Ebert, Roger (14 de abril de 1995). «Titanica». RogerEbert.com. Consultado em 3 de novembro de 2014 
  2. «Titanica (1992)». Allmovie. Consultado em 3 de novembro de 2014 
  3. a b c d e McGurk, Margaret (25 de novembro de 2000). «Big-screen 'Titanica'». The Cincinnati Enquirer. Consultado em 14 de fevereiro de 2018. Arquivado do original em 3 de novembro de 2014  |accessdate= e |acessodata= redundantes (ajuda)
  4. «Titanica». IMAX. Consultado em 3 de novembro de 2014 
  5. a b Johnson-Ott, Edward (1998). «Titanica (1995)». IMDb. NUVO. Consultado em 3 de novembro de 2014 
  6. «Titanica (1995)». Rotten Tomatoes. Consultado em 14 de fevereiro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]