Tito Menênio Lanato

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Tito Menênio Agripa Lanato, cônsul em 477 a.C.
Tito Menênio Lanato
Cônsul da República Romana
Consulado 452 a.C.

Tito Menênio Lanato (em latim: Titus Menenius Lanatus) foi um político da gente Menênia nos primeiros anos da República Romana eleito cônsul em 452 a.C. com Públio Séstio Capitolino.

Consulado[editar | editar código-fonte]

Tito Menênio Lanato — Caio Menênio segundo Lívio[1]; Lúcio Menênio segundo Dionísio[2] — foi eleito cônsul em 452 a.C. com seu colega Públio Séstio Capitolino.

A comissão, formada por Espúrio Postúmio Albo Regilense, Aulo Mânlio Vulsão e Sérvio Sulpício Camerino Cornuto, enviada à Atenas para transcrever as leis de Sólon com o objetivo de permitir uma reforma das instituições romanas, finalmente retornou à cidade.

Depois de muita insistência dos tribunos da plebe, patrícios e plebeus concordaram em criar o primeiro decenvirato:

Foi decidido nomearem-se decênviros não sujeitos ao direito de apelação e pela inexistência de qualquer outro magistrado naquele ano, exceto eles. Se os plebeus deveriam participar ou não, foi um tópico longamente debatido. No final, eles levaram a melhor sobre os patrícios, mas sob a condição de que fosse revogada a Lex Icilia sobre a ocupação do Aventino e outras leis já consagradas.
 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul da República Romana
SPQR.svg
Precedido por:
'Sexto Quintílio Varo
Espúrio Fúrio Medulino Fuso II (suf.)

com Públio Curiácio Fisto Trigêmino

Tito Menênio Lanato
452 a.C.

com Públio Séstio Capitolino

Sucedido por:
'Ápio Cláudio Crasso Inregilense Sabino

com Tito Genúcio Augurino


Referências

  1. a b Lívio, Ab Urbe Condita Libri III, 2, 32.
  2. Dionísio, Antiguidades Romanas X, 54.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]