Tito Quíncio Flaminino (cônsul em 123 a.C.)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Tito Quíncio Flaminino (desambiguação).
Tito Quíncio Flaminino
Cônsul da República Romana
Consulado 123 a.C.

Tito Quíncio Flaminino (em latim: Titus Quintius Flamininus) foi um político da gente Quíncia da República Romana eleito cônsul em 123 a.C. com Quinto Cecílio Metelo Baleárico. Era filho de Tito Quíncio Flaminino, cônsul em 150 a.C..

Influência[editar | editar código-fonte]

Cícero, que o ouviu durante sua juventude, afirmou que Quíncio era analfabeto, mas falava um latim de grande elegância. Durante seu mandato foi fundada a colônia de Cartago Nova, apesar de Lívio e Plutarco situarem esta fundação no ano seguinte, no segundo mandato como tribuno da plebe de Caio Graco.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul da República Romana
SPQR.svg
Precedido por:
'Caio Cássio Longino

com Caio Sêxtio Calvino

Tito Quíncio Flaminino'
123 a.C.

com Quinto Cecílio Metelo Baleárico

Sucedido por:
'Cneu Domício Enobarbo

com Caio Fânio Estrabão


Referências

  1. Cícero, Brut. 28, 74; Pro Dom. 53; Eutrópio IV 20; Paulo Orósio V 12.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]