Tityus bahiensis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde junho de 2017)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Como ler uma caixa taxonómicaTityus bahiensis
Tityus Bahiensis Brasil.jpg

Classificação científica
Domínio: Eukarya
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Subfilo: Chelicerata
Classe: Arachnida
Ordem: Scorpiones
Superfamília: Buthoidea
Família: Buthidae
Género: Tityus
Espécie: T. bahiensis
Nome binomial
Tityus bahiensis
Perty, 1833

O Tityus bahiensis, também conhecido como escorpião-preto, é uma espécie de escorpião do Leste e Centro do Brasil. Mede 6 cm de comprimento, tem coloração muito escura e patas castanhas. A espécie é responsável, no Brasil, pelo maior número de casos de acidentes escorpiônicos em áreas rurais.

Esse escorpião também é conhecido como escorpião-marrom. Em seus pedipalpos, encontra-se uma mancha preta em meio à cor alaranjada de seus membros, no último segmento do pedipalpo, antes da quela. Essa característica, juntamente com sua cor alaranjada e ausência de serras na cauda, são as principais formas de sua identificação. [carece de fontes?]

Tamanho[editar | editar código-fonte]

O Tityus bahiensis, assim como a maioria dos escorpiões do género Tityus, varia entre 5 a 7 centímetros. Ao contrário da maioria das aranhas, nessa espécie de escorpião os indivíduos machos são geralmente maiores.

Alimentação[editar | editar código-fonte]

O Tityus bahiensis costuma se alimentar de baratas, grilos, tenébrios, aranhas e até larvas de insetos.

Comportamento[editar | editar código-fonte]

Em geral não são tão agressivos, mas uma agressividade notável existe em fêmeas grávidas e principalmente quando carregam os filhotes nas costas. Quando perturbada, ela movimenta sua cauda sobre seu corpo, balançando-a, num gesto de alerta para predadores. Quando machos são perturbados eles, de início, fogem, mas se a perturbação persistir, ele não hesita em picar.

Veneno[editar | editar código-fonte]

O seu veneno é neurotóxico, ou seja, age sobre o sistema nervoso. O tratamento da picada é sintomático e pode ser feito utilizando-se soro antiescorpiônico. Seu veneno é menos potente do que o do escorpião-amarelo (Tityus serrulatus).

Habitat[editar | editar código-fonte]

Eles possuem hábitos noturnos, saindo para caçar presas ou acasalar à noite. De dia se escondem sob madeiras e pedras, ao abrigo da luz, da qual não gostam. Essa espécie de escorpião prefere ambientes úmidos, como a Mata Atlântica e em matas ciliares da região do cerrado.

Tempo de vida[editar | editar código-fonte]

Em fêmeas e machos o tempo é igual, variando de 3 a quatro anos.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Escorpiões
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Tityus bahiensis
Ícone de esboço Este artigo sobre artrópodes é um esboço relacionado ao Projeto Artrópodes. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.