ToS

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nuvola apps important.svg
A tradução deste artigo ou se(c)ção está abaixo da qualidade média aceitável.
É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, en:Type of Service e melhore este artigo conforme o guia de tradução.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde fevereiro de 2010).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

Introdução[editar | editar código-fonte]

Os tipos de serviços (Type of Services ou ToS), trata-se de um campo no cabeçalho IPv4 originalmente e tem sido definida de diferentes maneiras pelas normas (RFC 791, RFC 1122, RFC 1349, RFC 2474 e RFC 3168), hoje definido pelas normas RFC 2474 como (DiffServ) combinando o IPv6, é utilizando para diferenciar o tipo do pacote a ser transportado, classificando-o para que possa ter prioridade em sua transmissão. Seu campo contém oito bits sendo utilizado 6 bits para os serviços diferenciados (Differentiated Services Code Point ou DSCP) e 2 bits para o controle de alertas para congestionamento (Explicit Congestion Notification ou ECN).

Mesmo com as mudanças que o ToS vem passando ao longo do tempo hoje se tornado o DiffServ algumas de suas peculiaridades ainda são mantidas devido a compatibilidade de versões anteriores.

Tipos de Serviço[editar | editar código-fonte]

No cabeçalho IP, 8 bits são reservados para o Identificar ToS (Tipo de Serviço). Eles podem ser divididos em 5 subcampos:

Os 3 primeiros bits têm um valor de 0 a 7 e são usados para indicar a importância de um datagrama. O padrão é 0 (maior é melhor). Bits 3 4 5 representam o seguinte:


D: Os pedidos de baixa atraso;
T: visitas de alto rendimento;
R: Os pedidos de alta confiabilidade.


Suporte para ToS em roteadores pode tornar-se inútil, no futuro, mas por agora é apenas um "deveria". Um roteador mantém um valor ToS para cada rota em sua tabela de roteamento. Rotas aprendidas através de um protocolo que não suporta o ToS é atribuído um ToS igual a zero. Os roteadores usam o ToS de escolher um destino para o pacote.

1. O roteador localiza na sua tabela de roteamento de todas as rotas disponíveis para o destino.
2. Se não houver nenhuma, o roteador descarta o pacote, porque o destino está inacessível.
3. Se uma ou mais dessas rotas têm uma ToS que corresponda exatamente ao TOS especificado no pacote, o roteador escolhe a rota com a melhor métrica.
4. Caso contrário, o roteador repete o passo acima, exceto a olhar para as rotas cuja TOS é zero.
5. Se nenhuma rota foi escolhida acima, o roteador descarta o pacote, porque o destino está inacessível. O roteador retorna um erro ICMP Destination Unreachable, especificando o código adequado: nem Rede inacessível com o tipo de serviço (código 11) ou inacessível Host com o tipo de serviço (código 12).
6. Se nenhuma rota foi escolhida acima, o roteador descarta o pacote.


Precedence 0,1,2
D 3
T 4
R 5
ECN 6
Field 7

Veja Também[editar | editar código-fonte]

NetFlow [1]

SFlow [2]


Link[editar | editar código-fonte]

RFC 1349 [3]

Linux Advanced Routing & Traffic Control. How to set ToS byte via IPChains [4]

Qualidade de Serviço (QoS) [5]

DiffServ [6]