To Each His Own

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde abril de 2018). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
To Each His Own
Lágrimas de Mãe[1] (PT)
Só Resta uma Lágrima[2] (BR)
 Estados Unidos
1946 •  p&b •  122mim min 
Direção Mitchell Leisen
Roteiro Charles Brackett
Elenco Olivia de Havilland
Mary Anderson
Roland Culver
Género drama
Música Victor Young
Distribuição Paramount Pictures
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

To Each His Own (br: Só Resta uma Lágrima/pt: Lágrimas de Mãe) é um filme norte-americano de 1946, do gênero drama, dirigido por Mitchell Leisen, com música de Victor Young e roteiro de Charles Brackett, que foi indicado ao Oscar.

Foi por este filme que Olivia de Havilland ganhou o primeiro de seus dois Oscars de melhor atriz. Ela, o diretor Mitchell Leisen e o roteirista Charles Brackett já haviam trabalhado no filme A porta de ouro (1941).

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Durante uma falha na energia na véspera do Ano Novo, em Londres, que enfrenta a II Guerra Mundial, Josephine ‘Jody’ Norris narra a Lorde Desham sua história de vida através de flashback.

Em 1918, vemos uma Jody em sua pequena cidade natal de Piersen Falls, na América. A I Guerra Mundial está prestes a chegar ao fim e é então que ela conhece o piloto de caça, Bart Cosgrove, com que tem um caso amoroso que resulta em uma gravidez. Quando Bart volta para a guerra, Jody é convencida pelo médico a abortar a criança, para seu próprio bem. No entanto, ao saber que Bart foi morto em combate, Jody decide levar a gravidez adiante.

Jody dá a luz a seu filho em segredo em 1919. Então Daisy, a enfermeira que fez seu parto, entrega o pequeno a uma família cheia de filhos, com o argumento de que este é um órfão da guerra – tudo para que Jody possa adotá-lo mais tarde, sem que haja um escândalo em sua pacata cidade. No entanto o esquema não da certo. O filho de Jody acaba sendo adotado por Corrine Piersen, que acabara de perder seu filho recém-nascido. Então Jody escolhe amar seu filho, chamado Gregory, à distância.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o
  • Olivia de Havilland … Josephine 'Jody' Norris
  • Mary Anderson … Corinne Piersen
  • Roland Culver … lorde Desham
  • Phillip Terry … Alex Piersen
  • Bill Goodwin … Mac Tilton
  • John Lund … Bart Cosgrove / Gregory Pierson
  • Virginia Welles … Liz Lorimer
  • Victoria Horne … Daisy Gingras
  • Griff Barnett … Daniel Norris
  • Alma Macrorie … Belle Ingram
  • Bill Ward … Gregory jovem
  • Frank Faylen … Babe
  • Willard Robertson … dr. Hunt
  • Arthur Loft … Bernadock Clinton
  • Virginia Farmer … Cora Clinton
  • Doris Lloyd … srta. Pringle

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Oscar (1947)

Portal A Wikipédia tem o portal:

Referências

  1. Lágrimas de Mãe (em português) no CineCartaz (Portugal)
  2. EWALD FILHO, Rubens (1975). Os Filmes de Hoje na TV. [S.l.]: São Paulo: Global Editora. p. 182 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme estadunidense é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.