Todd Haynes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2018). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Cinema.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde abril de 2018.


Todd Haynes
Nascimento 2 de janeiro de 1961 (57 anos)
Encino, Califórnia, EUA
Ocupação Diretor, produtor e roteirista
IMDb: (inglês)

Todd Haynes (Encino, 2 de janeiro de 1961) é um diretor independente, roteirista e produtor cinematográficoamericano. Considerado pioneiro do "New Queer Cinema", movimento cinematográfico que surgiu no início dos anos 90. Foi indicado ao Oscar pelo curta-metragem "Superstar: A História de Karen Carpenter", Todd Haynes utilizou bonecas Barbie como atrizes para encenar o falecimento por anorexia da cantora, e que acabou se tornando um clássico cult underground. O primeiro filme de Haynes, "Veneno", recebeu o prêmio do Grande Júri no Sundance Festival. O filme seguinte foi "Dottie Gets Spanked", um curta-metragem que a revista The Village Voiceconsiderou como sendo "Uma Visão Pop da Arte do subúrbio dos anos 50".

Seu segundo trabalho "A Salvo" foi indicado como o Melhor Filme do Ano pelos críticos dos periódicos "The Boston Globe", "Film Comment" e da revista "Interview Magazine", entre outros. The Village Voice foi ainda além, considerando-o como o melhor filme dos anos 1990. "A Salvo" também marcou a primeira das várias colaborações da grande e célebre atriz Julianne Moore com o diretor.

O terceiro filme de Haynes foi o potente drama do rock chamado "Velvet Goldmine", no qual estrelaram os atores Ewan McGregor, Jonathan Rhys Meyers, Christian Bale e Toni Collette. O jornal The New York Times descreveu o filme como sendo "brilhantemente surreal"; e o Festival de Filmes de Cannes agraciou o filme com um prêmio de Melhor Contribuição Artística do festival.

"Longe do Paraíso", quarto longa de Haynes, foi o trabalho mais aclamado pela crítica em 2002. Estrelando Julianne Moore, Dennis Quaid e Dennis Haysbert, o filme levou vários prêmios da crítica em todo o país, incluindo-se aí a Associação dos Críticos de Nova York. "Longe do Paraíso" ainda foi reconhecido com quatro indicações ao Oscar, incluindo Melhor Atriz para Julianne Moore e Melhor Roteirista para Todd Haynes.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ano Título
1988 Superstar: The Karen Carpenter Story
1991 Poison
1993 Dottie Gets Spanked
1995 Safe
1998 Velvet Goldmine
2002 Far from Heaven
2007 I'm Not There
2011 Mildred Pierce
2013 Enlightened (Série de TV)
2015 Carol
2017 Untitled Peggy Lee Project
Wonderstruck

Referências


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

[[Ficheiro:|borda|45pxpx|alt=Ícone de esboço]] Este artigo sobre um cineasta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.