Todo bitchig

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Prijutnoe1.jpg

O sistema de escrita chamado de todo bitchig (em mongol Тодо бичиг, todo bitchig, "Escrita clara") foi criado em 1648 pelo monge budista oirate Zaya Pandit[1] para grafar o idioma mongol. Foi desenvolvido com base no alfabeto mongol tradicional, com a intenção de aproximar a língua escrita à pronúncia real, e tornar mais fácil a transliteração do tibetano e do sânscrito.

A escrita foi utilizada pelos calmucos da Rússia até 1924, quando foi substituída pelo alfabeto cirílico. No Xinjiang, na China, os oirates ainda o utilizam, embora a educação atual do mongol na China seja feita com o chahar mongólico.

Tabelas[editar | editar código-fonte]

Vogais
Tod bitchig cirílica Latina
А A
Э E
И I
О O
У U
Ө Ö
Ү Ü
Consoantes nativas
Tod bitchig cirílica Latina
Б B
П P
М M
Л L
С S
Ш Sh
Н N
Х X
Һ Q
Т T
Д D
Ц C
Ч Ch
З Z
Ж J
Й Y
Р R
Ң Ng
Letras usadas em palavras estrangeiras
Tod bitchig cirílica Latina
Г H
К K
Қ Kh
Җ J
В W

Textos[editar | editar código-fonte]

LordsPrayerKalmyk.png
Pai Nosso
Jn316Kalmyk.png
João 3:16

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. N. Yakhantova, The Mongolian and Oirat Translations of the Sutra of Golden Light Arquivado fevereiro 12, 2011 no WebCite , 2006 (em inglês)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Todo bitchig