Tomás Taveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde setembro de 2010) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Tomás Taveira
Nome completo Tomás Cardoso Taveira
Nascimento 22 de novembro de 1938 (78 anos)
Lisboa
Nacionalidade Portugal portuguesa
Prémios Prémio Valmor 1993 (pelo complexo das Amoreiras)

Tomás Cardoso Taveira (Lisboa, 22 de novembro de 1938[1]) é um arquiteto português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Lisboa, em 1938, numa família operária, vivendo entre a Picheleira e Alcântara.

Em 1955, deixa o ofício de serralheiro mecânico e entra como desenhador para o atelier de Nuno Teotónio Pereira. Posteriormente, já na década de 1960, ingressou no atelier de Francisco da Conceição Silva, que considera seu mestre. Dirá mais tarde, numa conferência, que neste atelier desenhou «tudo».

Também na década de 60 entrou para a Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa, para estudar Arquitetura. Terminado o curso, viajou para os Estados Unidos, onde obteve uma pós-graduação em Planeamento Regional e Urbano, pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT).

Lecionou na California Polytechnic State University e na Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa.

Em 1971, abriu o seu atelier de arquitetura, nascendo assim a empresa de arquitetos Tomás Taveira S.A., com gabinete em Lisboa e, mais tarde, em São Paulo, no Brasil.[2]

Exerce a sua profissão em Lisboa, sendo seguidor do estilo pós-moderno, com edifícios espelhados e elementos geométricos de cores garridas. Entre as suas obras mais significativas, contam-se o complexo comercial e habitacional Torres das Amoreiras; o conjunto habitacional da Encosta das Olaias — Prémio Valmor e Prémio Municipal de Arquitectura de Lisboa de 1982 —; a Estação de Metro das Olaias; o edifício sede do Banco Nacional Ultramarino na Avenida de Berna — Menção Honrosa do Prémio Valmor de 1994 — o edifício sede do IADE; os estádios para o Euro 2004 de Aveiro, Leiria e Estádio Alvalade XXI[3].

Obras[editar | editar código-fonte]

Uma das Construções de Taveira, em Lisboa

Casos[editar | editar código-fonte]

Escândalo Sexual[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 1989, viu-se envolvido num escândalo sexual quando algumas gravações caseiras foram encontradas em cassetes de vídeo e enviadas para a revista portuguesa Semana Ilustrada. As gravações mostravam o arquitecto a ter relações sexuais, e fundamentalmente sexo anal, com diferentes jovens. As gravações em questão tiveram lugar no seu gabinete nas Amoreiras, em Lisboa. A revista espanhola Interviú também publicou fotografias das cenas gravadas, que levaram o advogado de Taveira a processar a revista. As gravações com conteúdo sexual foram disponibilizadas em cassetes VHS que se propagaram entre o público e, mais tarde, pela Internet.

O episódio causou tal perturbação que motivou uma mensagem do então primeiro-ministro. Numa declaração à TV e à rádio, Cavaco Silva falou numa “campanha preparada e dirigida contra membros do governo português e suas famílias”, uma vez que, segundo a revista, algumas das mulheres apanhadas a cometer adultério eram casadas com altos funcionários.

Para o arquitecto, o escândalo ditou o fim de um período de grande exposição pública, mas também a não concretização de uma série de projectos em curso e ainda pôs um ponto final no casamento com Amarílis Cristina, com quem tinha dois filhos.[6]

UTL[editar | editar código-fonte]

Concorreu em 1973 a docente da Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, onde deu aulas até setembro de 2003, já professor catedrático convidado, quando foi expulso devido a um processo disciplinar.

Referências

  1. Perfil no Prabook
  2. Revista Sábado n.º 592 (3 de setembro de 2015). O Arquitecto das Amoreiras e das..., págs. 64-65.
  3. i
  4. *La joya de Alvalade XXI 19 de abril de 2012, deia.com. Página acedida em 27 de abril de 2012.
  5. Fundação Mário Soares
  6. «Tomás Taveira. O enfant terrible da arquitectura portuguesa» 

Artigos na Internet[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.