Tom McCullough

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tom McCullough
Nascimento 22 de setembro de 1975 (44 anos)
Reino Unido
Cidadania Reino Unido
Ocupação engenheiro
Empregador Racing Point

Tom McCullough (22 de setembro de 1975[1]) é um engenheiro automotivo britânico e o atual diretor de engenharia de performance da equipe de Fórmula 1 da Racing Point.[2] Anteriormente ele havia trabalhado na categoria máxima do automobilismo mundial para Williams, Sauber e Force India.[3][4]

Carreira no automobilismo[editar | editar código-fonte]

McCullough teve uma breve carreira em corridas, participando de alguns eventos de Fórmula Ford 2000, mas ele usou principalmente a experiência para aprender sobre o lado da engenharia do esporte a motor. Ele frequentou a universidade com a ajuda da equipe da Champ Car, Reynard, e uma vez graduado, ele se juntou à equipe em seu departamento de pesquisa e desenvolvimento.[5][6]

Quando a Reynard saiu do ramo em 2002, McCullough mudou-se, em novembro de 2002, para a Williams, ao optar pela equipe baseada em Grove, ele recusou uma oferta de emprego da Jaguar Racing. McCullough trabalhou inicialmente como engenheiro de dados para as equipes de testes e corridas da Williams, antes de liderar as operações de pista da equipe de testes. Posteriormente, ele se tornar um engenheiro de pista e trabalhou com Nico Hülkenberg em 2010, Rubens Barrichello em 2011 e Bruno Senna em 2011, McCullough deixar a Williams no final de 2012.[5][6][7]

Para a temporada de 2013, McCullough foi trabalhar para a Sauber como chefe de engenharia de pista, mas ele passou apenas uma temporada com a equipe suíça.[5][6][8] Após isso, ele priorizou o seu retorno para uma equipe britânica. Muitos acreditavam que ele seguiria Nico Hülkenberg com destino a Force India para a temporada de 2014, e assim aconteceu. McCullough juntou-se à equipe com base em Silverstone a tempo para a primeira corrida do ano.[5][6][9] Ele permaneceu no mesmo cargo após a aquisição da Force India por um consórcio liderado por Lawrence Stroll que transformou a equipe na Racing Point Force India para disputar a segunda metade da temporada de 2018,[10] e na Racing Point a partir de 2019.[11]

Referências

  1. «Tom McCullough». F1pulse. Consultado em 4 de setembro de 2018 
  2. «Team». racingpoint.com. Consultado em 19 de julho de 2019 
  3. «An engineer's life: Tom McCullough, Sahara Force India» (em inglês). ESPN. 5 de janeiro de 2016. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  4. «Tom McCullough, Chefe de Engenharia de Pista da Sauber na coletiva da FIA». Motorsport.com. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  5. a b c d «Tom McCullough» (em inglês). Sidepodcast. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  6. a b c d «Tom McCullough» (em inglês). F1PULSE.com. 14 de fevereiro de 2012. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  7. «Senna e Alonso atestam a importância dos engenheiros de pista». Motorsport.com. 23 de outubro de 2012. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  8. «F1 – Sauber confirma saída de Tom McCullough». Autoracing. 28 de novembro de 2013. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  9. «McCullough deixa a Sauber e acerta com a Force India». Portal Race. 28 de novembro de 2013. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  10. «Racing Point UK Limited acquires Force India Formula One Team». forceindiaf1.com. 23 de agosto de 2018. Consultado em 4 de setembro de 2018. Arquivado do original em 31 de agosto de 2018 
  11. «Force India to be renamed Racing Point for 2019». ESPN. 1 de dezembro de 2018. Consultado em 19 de julho de 2019