Tom Saintfiet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tom Saintfiet
Informações pessoais
Nome completo Tom Saintfiet
Data de nasc. 29 de março de 1973 (45 anos)
Local de nasc. Mol,  Bélgica
Apelido The Saint
Informações profissionais
Equipa atual Sem clube
Posição Treinador (Ex-meio-campista)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1987–1988
1988–1989
1989–1990
Bélgica Lommel
Bélgica Geel
Bélgica Westerlo


Times/Equipas que treinou
1997–2001
2000
2002–2003
2002–2003
2003–2004
2004
2005–2006
2008
2008–2010
2010
2010–2011
2011
2012
2012–2013
2013
2014
2015
2015–2016
2016–2017
Bélgica Lower Belgian Divisions
Costa do Marfim Satellite Abidjan
Ilhas Feroe B71
Países Baixos Stormvogels Telstar
Catar Al-Gharafa
Flag of Qatar.svg Qatar sub-17
Alemanha Cloppenburg
Finlândia RoPS
Namíbia Namíbia
Flag of Zimbabwe.svg Zimbabwe
Jordânia Shabab Al-Ordon
Flag of Ethiopia.svg Etiópia
Tanzânia Young Africans
Flag of Yemen.svg Iêmen
Flag of Malawi.svg Malawi
África do Sul Free State Stars
Togo Togo
Bangladesh Bangladesh
Trinidad e Tobago Trinidad e Tobago
Flag of Malta.svg Malta


















Tom Saintfiet (Mol, 29 de março de 1973) é um ex-futebolista e treinador de futebol belga. Atualmente, é o treinador da Seleção Maltesa de Futebol

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

Saintfiet teve uma curta e inexpressiva carreira profissional como jogador, entre 1987 e 1990. Defendeu três equipes: o Westerlo, o Lommel e o Geel, pendurando as chuteiras prematuramente, aos 17 anos. Continuou jogando em clubes semi-profissionais de seu país, deixando de vez os gramados em 1997.

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Entre 1997 e 2001, Saintfiet treinou equipes de divisões inferiores do futebol belga. Em 2000, foi liberado para treinar o Satellite Abidjan, clube de pequena expressão da Costa do Marfim. Ele treinou também o B71, um clube das Ilhas Faroe, entre 2002 e 2003.

Comandou também o Telstar (Segunda Divisão Holandesa), o Al-Gharafa (Qatar), a Seleção Qatariana Sub-17, o Cloppenburg (Oberliga, a sexta divisão alemã), o Emmen (Segunda Divisão Holandesa) e o RoPS (Segunda Divisão da Finlândia).

Se destacou comandando a fraca Seleção da Namíbia, entre 2008 e 2010. O desempenho na Copa Cosafa de 2008 (realizada na África do Sul) fez com que Saintfiet fosse apelidado de The Saint (O santo, num trocadilho com o sufixo "Saint"), e também de Messias pelos jornais namibianos. Seu trabalho à frente da Seleção da Namíbia credenciou-o a ser contratado para treinar o Zimbábue[1]. Entre 2010 e 2016, comandou as seleções da Etiópia, Iêmen, Malaui e Togo[2]

Seus últimos trabalhos foram nas seleções de Trinidad e Tobago e Bangladesh, não obtendo êxito em nenhum deles.

Acusação de racismo contra Keshi[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2013, o treinador acusou Stephen Keshi, então comandante da Seleção Nigeriana, de racismo[3], após o ex-zagueiro dizer que Saintfiet “era um branco que não conhecia o futebol africano” e que “deveria voltar para a Bélgica”. O incidente era uma resposta ao pedido de The Saint em não jogar a partida entre as Super Águias e a Seleção do Malaui, na cidade de Calabar, por questões de segurança. O belga chegou a levar o caso para a FIFA[4], porém nada foi comprovado.

Referências

  1. BBC (22 de setembro de 2010). «Namibia coach Tom Saintfiet in Zimbabwe job row» (em inglês). 15:08. Consultado em 14 de julho de 2015. 
  2. SAPO Desporto (19 de maio de 2015). «Tom Saintfiet é o novo selecionador do Togo». 22:18. Consultado em 14 de julho de 2015. 
  3. BOL Esportes (23 de agosto de 2013). «Branco, técnico do Maláui acusa treinador da Nigéria de racismo». Consultado em 23 de agosto de 2013. 
  4. ESPN.com.br (23 de agosto de 2013). «Branco, belga acusa técnico da Nigéria de racismo e vai à Fifa». Consultado em 23 de agosto de 2013.