Tomada de decisão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Na administração, a tomada de decisão é o processo cognitivo pelo qual se escolhe um plano de ação dentre vários outros (baseados em variados cenários, ambientes, análises e fatores) para uma situação-problema.[1] Todo processo decisório produz uma escolha final. A saída pode ser uma ação ou uma opinião de escolha. Ou seja, a tomada de decisão refere-se ao processo de escolher o caminho mais adequado à empresa, em uma determinada circunstância.

  • Nível de importância dentro da organização:
    • Altamente importantes;
    • Importantes;
    • Medianamente importantes;
    • Pouco importantes;
    • Não importantes.
  • Estruturação:
    • Estruturadas;
    • Não-estruturadas.
  • Previsibilidade:
    • Rotineiras ou cíclicas;
    • Não rotineiras ou acíclicas;
    • Inéditas.

Qualquer decisão tomada na empresa, afetará ela no geral, por isso; tem que ser bem pensada a alternativa a ser escolhida, pois, deve-se pautar a tomada de decisão orientando-se e definindo caminhos a serem percorridos e pensar no que poderá ser afetado através desta decisão.

Tomar uma decisão é uma responsabilidade enorme, maior ainda para quem tem pouca experiência de trabalho, existem pessoas que tem facilidade com o processo de tomada de decisão e outras que colocam uma importância que às vezes o problema não merece e acabam por fazer errado, ou criar problema maior.

Antes de tomar uma decisão deve ser feito todo um estudo, um processo de análise para tentar diminuir a chance de que a decisão que foi escolhida seja a errada e acabe resultando em consequências negativas para a empresa.

A necessidade de se tomar decisão ocorre num momento de impasse em que a mais de uma opção a seguir. Cada um de nós toma decisão baseada em aspectos subjetivos, a subjetividade não tem medida perfeita ela é organizada, sistemática e objetiva.

Referências


Ver também[editar | editar código-fonte]