Tomb Raider (jogo eletrônico de 2000)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tomb Raider
Desenvolvedora(s) Core Design
Publicadora(s) THQ
Produtor(es) Troy Horton
Projetista(s) Darren Price
Programador(es) Sean Dunlevy
Ian Manders
Artista(s) Matthew Charlesworth
Fergus Duggan
Paschal McGuire
Lee Pullen
Compositor(es) Manfred Linzner
Martin Wodok
Plataforma(s) Game Boy Color
Série Tomb Raider
Data(s) de lançamento
  • AN 8 de junho de 2000
  • EU 6 de julho de 2000
Gênero(s) Ação-aventura
Modos de jogo Um jogador
Tomb Raider:
The Last Revelation
Tomb Raider Chronicles

Tomb Raider é um jogo eletrônico de ação-aventura desenvolvido pela Core Design e publicado pela THQ. É um título spin-off da série Tomb Raider e foi lançado exclusivamente para Game Boy Color em junho de 2000 na América do Norte e no mês seguinte na Europa. Uma sequência intitulada Tomb Raider: Curse of the Sword estrou um ano depois.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Em Tomb Raider o jogador controla a protagonista Lara Croft em catorze níveis espalhados em cinco áreas.[1] Cada nível envolve a resolução de quebra-cabeças, superação de obstáculos e confronto contra inimigos. Lara pode realizar até 25 movimentos diferentes, incluindo escalar beiradas, piruetas e mergulhos.[2] A história acompanha as tentativas de Lara de impedir que um grupo de caçadores de tesouro tome posse da Pedra do Pesadelo, um artefato capaz de libertar o deus maligno Quaxet.[1]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Tomb Raider foi desenvolvido pela Core Design e publicado pela THQ, que entrou em um acordo de licenciamento junto com Eidos Interactive, tendo sido o primeiro jogo da série Tomb Raider a ser lançado em um console portátil e em um console da Nintendo. Diferentemente da maioria dos outros jogos para Game Boy Color, que normalmente limitavam a resolução do personagem jogável em dezesseis a 32 pixels de altura, a Lara Croft de Tomb Raider tem 48 pixels de altura com o objetivo de acentuar seu visual. A personagem também possui dois mil quadros diferentes de animação.[3]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Tomb Raider foi bem recebido pela crítica, tendo um índice de aprovação de 79% no agregador GameRankings.[4] Frank Provo da GameSpot elogiou o projeto de níveis, afirmando que cada um possuía um tema de jogabilidade diferente.[1] As revistas Nintendo Power e Planet Game Boy destacaram a qualidade das animações de Lara,[5][6] enquanto Craig Harris da IGN gostou do fato do jogador poder realizar uma grande variedade de movimentos apenas com os limitados botões do Game Boy Color.[2]

Referências

  1. a b c Provo, Frank (9 de junho de 2000). «Tomb Raider GBC Review». GameSpot. Consultado em 18 de junho de 2019 
  2. a b Harris, Craig (13 de junho de 2000). «Tomb Raider». IGN. Consultado em 18 de junho de 2019 
  3. Harris, Craig (12 de maio de 2000). «Tomb Raider». IGN. Consultado em 18 de junho de 2019 
  4. «Tomb Raider Starring Lara Croft». GameRankings. Consultado em 18 de junho de 2019 
  5. «Tomb Raider». Nintendo Power (132): 125. Maio de 2000 
  6. «Tomb Raider». Planet Game Boy (3): 18–19. 2000 
Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.