Tommaso Benedetto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tommaso Benedetto
Nascimento Pesaro
Cidadania Portugal
Ocupação arquiteto

Tommaso Benedetto, também grafado como Tommaso Benedetto de Pésaro (Pésaro, século XVI) foi um arquiteto e engenheiro militar italiano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em 1558, contratado pela regente D. Catarina de Áustria, transferiu-se para Portugal, onde ajudou a consolidar o estilo renascentista na arquitetura militar.

Em 1567, durante a regência do Cardeal D. Henrique (1562-1568), após o ataque levado a cabo por corsários franceses sob o comando de Pierre Bertrand de Montluc ao Funchal (outubro de 1566), e que foi repelido na Angra, Benedetto foi enviado para os Açores[1] juntamente com o Pompeo Arditi, também proveniente de Pésaro, para orientarem a fortificação lá existente. Durante a sua estadia nos Açores, para além de terem visitado as ilhas de São Miguel, Terceira e Faial, consideradas as de maior importância estratégica, visitaram a ilha de São Jorge. Enquanto profissionais compreenderam que, vindo o inimigo forçosamente pelo mar, a defesa das ilhas deveria se concentrar nos portos e ancoradouros, guarnecidos pelas populações locais, sob a responsabilidade dos respectivos concelhos.

Traçou, ainda nesse ano, o plano defensivo da Terceira, nomeadamente da cidade de Angra, implementado até ao fechamento da baía de Angra com uma extensa muralha, concluída em 1582. Nele se destacavam:

A maior parte das fortificações previstas nesse plano só seria implementada no contexto da crise de sucessão de 1580, entre 1579 e 1583, por determinação do corregedor dos Açores, Ciprião de Figueiredo e Vasconcelos:

"Não havia naquele tempo [Crise de sucessão de 1580] em toda a costa da ilha Terceira alguma fortaleza, excepto aquela de S. Sebastião, posto que em todas as cortinas do sul se tivessem feito alguns redutos e estâncias, nos lugares mais susceptíveis de desembarque inimigo, conforme a indicação e plano do engenheiro Tomás Benedito, que nesta diligência andou desde o ano de 1567, depois que, no antecedente de 1566, os franceses, comandados pelo terrível pirata Caldeira, barbaramente haviam saqueado a ilha da Madeira, e intentado fazer o mesmo nesta ilha, donde parece que foram repelidos à força das nossas armas."[2]

Na ilha de São Miguel terá sido responsável pela reformulação da traça do Forte de São Brás de Ponta Delgada (1569).

Para a ilha do Faial projetou o Forte de Santa Cruz da Horta e acredita-se ser ainda o responsável, na ilha de São Jorge, pelo projeto do Forte de Santa Cruz das Velas.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • CÂMARA, Teresa Bettencourt da. "Arquitectos e Mestres de Obras nos Açores do Renascimento, segundo Sousa Viterbo". in Boletim do Instituto Histórico da Ilha Terceira, v. XLIV, 1986. pp. 355-364.
  • DRUMMOND, Francisco Ferreira. Anais da Ilha Terceira (fac-simil. da ed. de 1859). Angra do Heroísmo (Açores): Secretaria Regional da Educação e Cultura, 1981.
  • SOUSA VITERBO, Francisco Marques de. Dicionário Histórico e Documental dos Arquitectos, Engenheiros e Construtores Portugueses. Lisboa: INCM, 1988.

Ver também[editar | editar código-fonte]