Toniano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Na escala de tempo geológico, o Toniano é o período da era Neoproterozoica do éon Proterozoico que está compreendido entre 1 bilhão e 850 milhões de anos atrás, aproximadamente. O período Toniano sucede o período Steniano da era Mesoproterozoica de seu éon e precede o período Criogeniano de sua era. Como os outros períodos de seu éon, não se divide em épocas.

Toniano vem grego τόνος (tónos), que significa "alongamento"[1]. O momento extensional característico desse período corresponde à quebra e desarticulação do supercontinente Rodínia, recém-estabelecido no final do Mesoproterozoico. Na América do Sul esse processo é bem marcado pelos enxames de diques que se distribuem ao longo da costa da Bahia, ao longo do Espinhaço, a sul do Craton do São Francisco e na Amazônia.[2]

Rodínia era o super continente dominante durante o Toniano. Foi centrado um pouco ao sul do equador, e rodeado por um vasto oceano Mirovian. Havia muitos mares interiores, e mais apareceu durante o Toniano. Estromatólitos foram encontrados nos mares interior (de água doce) e ao longo das costas exterior (ambiente marinho).[1]

Referências

  1. «GeoWhen Database - Tonian». 5 de junho de 2008. Consultado em 16 de agosto de 2017. 
  2. Dios, Fatima. «Era Neoproterozoica». www.fgel.uerj.br. Consultado em 16 de agosto de 2017. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.