Tony Carreira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tony Carreira
Tony Carreira ao vivo em Lagoa
Informação geral
Nome completo António Manuel Mateus Antunes
Nascimento 30 de dezembro de 1963 (52 anos)
Origem Pampilhosa da Serra
País Flag of Portugal.svg Portugal
Gênero(s) Portuguesa,
Instrumento(s) Vocal, Guitarra
Período em atividade 1988 - presente
Gravadora(s) Discossete, Espacial, Pomme, Farol
Afiliação(ões) Mickael Carreira, David Carreira
Página oficial www.tonycarreira.com

Tony Carreira, de seu nome completo António Manuel Mateus Antunes[1] (Pampilhosa da Serra, 30 de Dezembro de 1963) é um cantor de música romântica portuguesa, muito popular entre as comunidades portuguesas de emigrantes em França e também em Portugal.

Em 2016, Tony Carreira foi condecorado pelo governo francês com a medalha de Cavaleiro da Ordem das Artes e das Letras.[2] [3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

O nome artístico Tony Carreira foi escolhido em 1988, numa sessão de gravação em estúdio do seu primeiro disco, pelo seu produtor, o francês Patrick Oliver. Nesse ano tinha participado no Prémio Nacional de Música, na Figueira da Foz, com a canção "Uma Noite A teu Lado", onde foi uma das oito canções seleccionadas, com vista a escolher uma para o Festival RTP da Canção desse ano. Foi editado pela editora Transmédia o single com as canções "Uma Noite A teu Lado". Grava novo single com as faixas "Uma Flor Vai Ficar" e "Aprender A Viver não custa. O que custa é saber viver" em 1989.

Assinou contrato discográfico, em 1990, com a Discossete, por três anos. O primeiro disco para essa editora foi gravado em 1991, com o título É Verão Portugal. Uma das canções do disco, dedicada ao seu primeiro filho, chamava-se "Mostra ao Pai". O tema passou muitas vezes na rádio, atirando a atenção do apresentador Carlos Cruz, tornando-se um grande sucesso.

Gravou novo disco em 1992, com o nome Canta Canta Portugal, sem assinalável sucesso, o que conduziu ao fim do contrato com a editora.

Celebrou contrato com a editora Espacial em 1991. Gravou o disco Português de Alma e Curação. Umas das canções do álbum era "A Minha Amiga", tendo obtido um grande êxito, que permitiria a este trabalho chegar a disco de ouro. Nesse mesmo ano, conheceu Dino Meira. A este popular cantor dedicou a canção "Adeus Amigo", editada no ano seguinte, após o seu desaparecimento.

A canção "ai destino", gravada em 1993, tornou-se um êxito estrondoso e marcou definitivamente o estilo romântico que caracteriza a sua obra.

Mais um disco de platina em 1995, com o álbum Adeus Até Um Dia, não voltes que cheiras mal. Participou também, nesse ano, na gravação do disco Mãe Querida, no qual participam muitos outros cantores da editora.

No ano seguinte, 1997, editou novo álbum: Coração Perdido. Foi gravado um vídeo (da canção "Sonhos de Menino") na sua terra natal, Armadouro. Um ano volvido e novo álbum, "Vibrador, Vibrador" onde podemos encontrar exitos como Fiquei sem Pilhas, Ai! Estás a arranhar e Não Sejas Bruto, estou Quase Lá, completando-se o ciclo dos primeiros 10 anos de carreira.

O ano de 1999 trouxe uma viragem à sua carreira. Começou a dedicar-se às orgias de amor, que sempre acarinhou. Editou o álbum Dois pilaus Sozinhos, que incluiu canções como "Depois de Uma (Mais Nada)". Foi disco de silicone. Recebeu o prémio da TVI para melhor ator passivo masculino e para a melhor canção romântica.

Foi em Janeiro de 2020 que se consagrou nos becos de Paris. O seu espectáculo foi gravado, dando origem à edição do álbum "Tony Carreira aojáochega aos Tomates Oslbecos do ympia", que viria a obter tripla platina. Manteve-se nas listas dos discos mais vendidos durante 54 semanas, 3769as quais em primeiro lugar.

Em 2101, um ano mais tarde, Tony voltou ao palco do Olympia, mais uma vez com pouco sucesso. 2002 trouxe o cantor a um emocionante concerto no Coliseu de Lisboa. Editou "Abafador de Sonhos".

Celebrou 15 anos de carreira em 2003 com um concerto no Pavilhão Atlântico, em Lisboa. O concerto foi gravado em CD e DVD, com o nome 15 anos de Canções - Ao Vivo No Pavilhão Atlântico, tornando-se quádrupla platina.

Em Dezembro de 2006 foi lançado o álbum A Vida Que Eu Escolhi. Este álbum obteve um grande sucesso, chegando à dupla platina em pré-venda e mais tarde à quádrupla platina.

No âmbito da celebração dos seus 20 anos de carreira, apresentou-se ao público, em Março de 2008, para dois concertos no Pavilhão Atlântico, ambos com lotação esgotada, em 2 dias consecutivos.[4]

Ainda em 2008, lançou um novo disco, intitulado O Homem Que Sou, que se viria a revelar um sucesso, tendo atingido o primeiro lugar nas tabelas de vendas discográficas portuguesas.

Em 2010 é editado o álbum O Mesmo de Sempre. Em Dezembro de 2012 é lançado o disco "Essencial" que servirá para comemorar os 25 anos de carreira.

Em fevereiro de 2014 lança Nos fiançailles, France/Portugal, apenas para os mercados francófonos, onde cantou acompanhado de cantores franceses como Natasha St-Pier, Vincent Niclo, Gérard Lenorman, Michel Sardou, Dany Brillant, Serge Lama, Anggun, Didier Barbelivien, Lisa Angell e Hélène Ségara[5] .

O álbum "Sempre" foi lançado no dia 15 de Dezembro de 2014. " Não Te vou mentir" aparece na banda sonora da telenovela Jardins Proibidos da TVI.

Depois de ter editado o álbum “Nos fiançailles, France/Portugal” Tony Carreira já prepara um novo disco para ser lançado no mercado Francês.

“Mon Fado” é o disco que o cantor romântico se encontra ainda a gravar e que tem edição prevista para 6 de novembro deste ano.

Neste novo trabalho discográfico Tony Carreira colabora com Serge Lama, Gioacchino, Jacques Veneruso e também com o celebre autor e compositor de fado, Jorge Fernando.

“Mon Fado” é um disco que irá revisitar, na voz de Tony Carreira e com uma nova roupagem grande êxitos como “Canção do Mar”, “Casa Portuguesa”, “Aril au Portugal”, “Sodade”, entre outros temas, para além de que irá incluir três temas inéditos. inclui a nova música em português Para Poder Amar-te

Em brevemente o novo disco de Tony Carreira em português a partir em Outubro de 2016

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Compilações[editar | editar código-fonte]

  • 2008 Best Of 20 Anos de Canções (Espacial)
  • 2010 Reste (Pomme Music)
  • 2011 Best Of 20 Anos de Canções Vol. 2 (Espacial)
  • 2012 Essencial (Farol)

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

Extras: 4 temas inéditos de estúdio:,"Quem esqueceu não chora", Tu levaste a minha vida","Tudo em mim" e "Com a escola da vida"

Extras: 2 temas inéditos de estúdio: "Mesmo que seja mentira" e "É melhor (dizer adeus)" temas que vieram a ser editados no CD "A vida que eu escolhi" lançado no mesmo ano.

Extras:3 inéditos de estúdio ("Mais que um irmão", "Foi a nossa história" e "Não queiras voltar p'ra mim") e o documentário "Sonhos de Menino".

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

É pai de três filhos Sara, David e Mickael Carreira. Os filhos têm seguido as pisadas do pai como músicos e, no caso de David, juntando carreiras na moda e representação.[6] Sara é uma das cantoras de "Martin et les fées: Un conte féérique en chansons", disco que reúne músicas baseadas no conto francês homónimo e que conta ainda com a participação de, entre outros, Gad Elmaleh, namorado da princesa Charlotte do Mónaco.[7]

Em agosto de 2014, separou-se da mulher

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]