Totalitarismo invertido

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Totalitarismo invertido é um termo cunhado pelo filósofo político Sheldon Wolin[1] para descrever a forma emergente de governo dos Estados Unidos. Wolin acredita que os Estados Unidos estão cada vez mais se transformando em uma democracia não liberal, e ele usa o termo "totalitarismo invertido" para ilustrar as semelhanças e diferenças entre o sistema de governo dos Estados Unidos e de regimes totalitários como a Alemanha nazista e a União Soviética stalinista[2][3][4][5] com ressalvas.[6]

Referências

  1. Hedges, Chris (2 de novembro de 2015). «Sheldon Wolin and Inverted Totalitarianism». Truthdig: Expert Reporting, Current News, Provocative Columnists (em inglês). Consultado em 10 de março de 2018. 
  2. Wolin, Sheldon S. «Democracy Incorporated: Managed Democracy and the Specter of Inverted Totalitarianism.». Princeton University Press. Consultado em 11 de março de 2018.. Cópia arquivada em 15 de abril de 2008 
  3. Hedges, Chris (19 de outubro de 2010). Death of the Liberal Class (em inglês). [S.l.]: PublicAffairs. pp. 14, 23–24, 25 e 26, 196, 200–201. ISBN 9781568586489 
  4. Hedges, Chris (12 de abril de 2011). The World As It Is: Dispatches on the Myth of Human Progress (em inglês). [S.l.]: PublicAffairs. pp. 3–7. ISBN 9781568586618 
  5. Hedges, Chris (24 de janeiro de 2010). «Democracy in America Is a Useful Fiction». Truthdig (em inglês). Consultado em 10 de março de 2018. 
  6. «Supreme Court Refuses to Uphold the Constitution: Allows Indefinite Detention». www.teaparty.org (em inglês). Tea Party News. 1 de maio de 2014. Consultado em 11 de março de 2018. 
Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia/um(a) filósofo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.