Transportes do Rio Grande do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Out of date clock icon.svg
Este artigo ou seção pode conter informações desatualizadas.

Se sabe algo sobre o tema abordado, edite a página e inclua informações mais recentes, citando fontes válidas. Utilize o campo de resumo para uma breve explicação das alterações e, se achar necessário, apresente mais detalhes na página de discussão.

Os transportes do Rio Grande do Sul são um domínio de estudos e conhecimentos sobre as características da malha viária do estado.

Hidrovias[editar | editar código-fonte]

O Rio Grande do Sul apresenta uma importante malha hidroviária, concentrada nas bacias Litorânea e do Guaíba. Nessas bacias estão os principais rios de rota rio Jacuí, rio Taquari e rio dos Sinos, além do Guaíba e da Lagoa dos Patos. Atualmente, a navegação no rio Uruguai é de pequena importância, assim como de seu principal afluente, o rio Ibicuí, o único que apresenta condição navegável.

A principal rota hidroviária do estado é Porto Alegre-Rio Grande, que apresenta calado de 5,2 metros.

As principais cargas no sentido Rio Grande são produtos petroquímicos, derivados de petróleo, óleo de soja e celulose. No sentido Porto Alegre destacam-se os fertilizantes.

Portos[editar | editar código-fonte]

O Porto de Rio Grande é de grande importância para o Mercosul, e também o principal ponto de multimodalidade do estado, fazendo com que parte do sistema rodoviário e ferroviário tenham o Porto de Rio Grande como foco. O Porto de Rio Grande, em 2005, chegou a 18 milhões de toneladas, consolidado como o segundo maior porto com movimento de containers do Brasil, e o terceiro em cargas.

Os principais portos são:

Aeroportos[editar | editar código-fonte]

O Aeroporto Salgado Filho localiza-se em Porto Alegre e é o mais importante do estado, tendo uma movimentação de 8,3 milhões de passageiros ao ano, envolvendo o movimento de 88 mil aeronaves por ano.

Em setembro de 2001 foi concluído um novo terminal, que tem capacidade para atender uma demanda de até quatro milhões de passageiros/ano, podendo receber até 28 aeronaves de grande porte.

Tem também o Aeroporto de Caxias do Sul, que é importante para o estado, e conta com três vôos diários para São Paulo (exceto aos sábados, quando há apenas um vôo). É um aeroporto operado por companhias aéreas como Gol e TAM, que operam com Boeing 737, Airbus A320 e Fokker 100.

Ferrovias[editar | editar código-fonte]

O Rio Grande do Sul, hoje, possui uma malha de 3.260 quilômetros de linhas e ramais ferroviários, utilizadas para cargas. A maior parte apresenta bitola métrica, sendo que apenas cinco quilômetros apresentam bitola mista, com objetivo de realizar a integração com as malhas argentinas e uruguaias. A Rumo Logística opera todas as ferrovias gaúchas, exceto o metrô de Porto Alegre e o ramal de Bento Gonçalves.

Atualmente, alguns trechos das ferrovias não estão em operação regular e os terminais ferroviários que apresentam maior concentração de cargas localizam-se nas proximidades da Grande Porto Alegre, Passo Fundo, em Cruz Alta e Uruguaiana, onde há o maior porto seco do Brasil e integração com as ferrovias argentinas (bitola standard de 1435 mm).

Hoje, os trechos ativos da malha ferroviária gaúcha são os seguintes: Tronco Principal Sul (Roca Sales - Ponta Grossa), Porto Alegre - Uruguaiana, Cruz Alta - Santa Maria, Cacequi - Rio Grande e Triunfo - Passo Fundo); o trecho ferroviário Bento Gonçalves - Carlos Barbosa é hoje operado por pelo Trem do Vinho, mantido pela operadora turística local Giordani. Os demais trechos e ramais estão desativados atualmente.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Rodovias do RS

O sistema rodoviário é responsável pela maior parte da carga transportada e pela quase totalidade do transporte de passageiros no Rio Grande do Sul. O estado possui 153.960 km de rodovias, sob jurisdição nacional, estadual ou municipal.

A malha nacional estrutura a rede de transporte com rodovias longitudinais, diagonais, transversais e de ligação. As principais rodovias são:

Hoje, praticamente todo o transporte de passageiros entre as cidades gaúchas é feito pelo modal rodoviário. O sistema de ônibus intermunicipal é gerenciado pela DAER, sendo que as princiais empresas gaúchas de transporte de passageiros são a Planalto, a Unesul, a Ouro e Prata, a Expresso Caxiense, Real, Bento, Helios, Santa Cruz e São João. Já as linhas metropolitanas são gerenciadas pela Metroplan e possuem características distintas do restante do sistema estadual de transporte por ônibus.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]