Transportes em Ribeirão Preto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vista parcial de Ribeirão Preto a partir do mirante do bosque municipal.

Transporte e logística em Ribeirão Preto, município brasileiro localizado no interior do estado de São Paulo.

Atualmente a malha ferroviária, que já foi muito importante para o município no passado, encontra-se desativada para o transporte de passageiros, mas ativa para o transporte de cargas, tendo como operadora a Ferrovia Centro Atlântica (FCA). Há alguns projetos que visam a volta deste sistema no município para o transporte de passageiros.

Ribeirão Preto possui dois terminais de petróleo, sendo um deles administrado pela Petrobras, com a presença da Texaco, Esso, Shell e Ipiranga e um outro, denominado Condomínio de Dutos Pólo Ribeirão Preto, que atende as Bases Primárias de Distribuição das empresas Petroball Distribuidora de Petróleo, Redepetro Distribuidora de Petróleo, Tower Brasil Petróleo e Ruff CJ Distribuidora de Petróleo.[1]

O etanolduto que será construído pelo consórcio Petrobras Biocombustível - Mitsui-Camargo Corrêa', terá um terminal em Ribeirão Preto, sendo que as obras serão feitas entre São Paulo e Minas Gerais. O trecho vai ligar Uberaba ao Porto de São Sebastião (litoral paulista), passando por Ribeirão Preto e Paulínia.[2][3]

Além do etanolduto da Petrobras, as empresas Cosan, Crystalsev, Copersucar e Allicom, criaram a empresa Uniduto que vai construir dois ramais de etanolduto no estado de São Paulo, sendo um entre Ribeirão Preto e Paulínia. A Lógum Logística - empresa criada pela Petrobras e parceiras para armazenamento e transporte de etanol - concluiu a construção de um centro coletor em Ribeirão Preto e um duto de 24 polegadas e 207 quilômetros de extensão, que ligará Ribeirão e Paulínia, tendo início da operação prevista para o primeiro semestre de 2013.[4]

O mês de março de 2013 ficará marcada na história de Ribeirão Preto, pois foram anunciados os maiores investimentos viários já vistos no município, diversos complexos, intervenções e construções (12 viadutos, 04 pontes, 02 túneis e 04 passarelas), que mudaram para sempre a estrutura urbana da cidade. O Governo Estadual bancará uma mega obra no Trevo Waldo Adalberto da Silveira, conhecido como Trevão de Ribeirão, no km 307,5 da Rodovia Anhanguera (SP 330), serão investidos R$ 150 milhões, que resultará na remodelação do acesso que é considerado a principal porta de entrada de Ribeirão Preto, prevê a construção de oito viadutos, 20 alças de acesso, passarelas e ciclovias.[5][6]

O Governo Federal destinou recursos da ordem de R$ 350 milhões, através do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) II Mobilidade Médias Cidades, dos quais aproximadamente R$ 278,8 milhões serão destinados à implantação dos corredores estruturais do transporte coletivo nos eixos Norte/Sul e Leste/Oeste. Diversas intervenções em obras melhorarão o trânsito. As mesmas são chamadas obras de arte (viadutos, pontes e túneis).[7][8] Com estes recursos do PAC da Mobilidade, estão programadas as seguintes obras abaixo:

  • Viaduto na Av. Jerônimo Gonçalves com a Av. Francisco Junqueira;
  • Ponte interligando as Ruas José Bonifácio e Paraíba, sobre o Córrego Retiro Saudoso;
  • Ponte interligando as Ruas Tamandaré e Visconde de Inhaúma, sobre o Córrego Retiro Saudoso;
  • Ponte interligando as Ruas Barão do Amazonas e Benjamin Constant, sobre o Córrego Retiro Saudoso;
  • Passarela interligando a Rodoviária ao Mercado Municipal/Centro Popular de Compras, sobre a Av. Jerônimo Gonçalves;
  • Túnel interligando a Av. Antônio Diederichsen à Av. Presidente Vargas;
  • Túnel interligando a Av. Presidente Vargas à Av. Independência;
  • Viaduto na Av. Brasil sobre a Av. Thomaz Alberto Whately;
  • Viaduto na Av. Brasil sobre a Av. Mogiana;
  • Ponte na Av. Antônia Mugnato Marincek, sobre o Córrego das Palmeiras;
  • Viaduto interligando a Av. Antônio Diederichsen à Av. Maria de Jesus Condeixa, sobre a Av. Francisco Junqueira;
  • Adequação do complexo viário na interligação das Avenidas Nove de Julho, Portugal e Antônio Diederichsen.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Aeroporto[editar | editar código-fonte]

Aeroporto Leite Lopes de Ribeirão Preto

Aeroporto de Ribeirão Preto Dr. Leite Lopes

Rodoviário[editar | editar código-fonte]

Terminal Rodoviário de Ribeirão Preto

Transporte Urbano[editar | editar código-fonte]

Terminal Rodoviário de Ribeirão Preto, o melhor do Brasil em 2010[9]
Terminal Rodoviário de Ribeirão Preto
  • O transporte coletivo de Ribeirão Preto é operado por três empresas permissionárias (Rápido D'Oeste, Transcorp e Turb) e cerca de 345 ônibus que atendem 112 linhas e cada uma delas circula em uma parte de Ribeirão Preto dividida da seguinte maneira: A Transcorp circula nas regiões Leste, Centro-Leste, e seguindo pela região Oeste, Centro-Oeste. A Turb circula pela região Norte, Noroeste e Nordeste. A Rápido D'Oeste tem a sua circulação principal nos setores Sul, Sudoeste, e pulando para o complexo USP-Hospital das Clinicas e tendo mais as linhas circulares e perimetrais;
  • O sistema tem linhas radiais, perimetrais, expressas, circulares e diametrais, sem lógica operacional;
  • Das quatro linhas perimetrais que são operadas pela empresa Rápido D'Oeste, três ligam a USP a outros bairros e uma atende um shopping. Das seis linhas circulares, quatro atendem a USP e duas atendem um shopping que também são operadas pela Rápido D'Oeste. Há seis linhas corujões (que atendem de madrugada) que são duas linhas para cada empresa, e seis linhas expressas que ligam da área central até as regiões onde a empresa Turb opera (só horário de pico), Há sete linhas diametrais que são operadas pela Empresa Transcorp ligando bairros dos setores Leste e Centro-Leste aos bairros dos setores oeste e centro-oeste, e duas linhas diametrais da empresa Rápido d'Oeste ligando o setor sul até a região do bairro Campos Elíseos, as demais linhas são radiais;
  • Pode-se tomar dois ônibus através de cartão eletrônico (desde que pertencem a grupos diferentes - as linhas são divididas em 13 grupos. Cada grupo são de linhas que atendem bairros próximos. Esse sistema de linhas evita a ida e a volta com uma única passagem). Cobra-se um adicional à passagem quando se toma o segundo ônibus;
  • Há 29 linhas em micro-ônibus (chamadas de "leva e traz") gratuitos que funcionam como linhas alimentadoras. Ligam um bairro rural até o ponto de ônibus mais próximo onde passa uma linha regular;
Terminal de Passageiros - Rodoviária de Ribeirão Preto


Modernização do Transporte Coletivo

As permissionárias do transporte público de Ribeirão Preto, estarão investindo cerca de R$ 2 bilhões nos próximos anos. Com objetivo de melhorar a qualidade do transporte municipal, serão recuperados 220 abrigos metálicos, será implantado sistema de monitoramento, em tempo real, da frota (ônibus, vans e micro-ônibus) através de sistema de GPS, compra de 30 novos ônibus adaptados para deficientes físicos, substituição dos equipamentos de bilhetagem eletrônica, instalação de 200 abrigos novos.[10]

O novo sistema de transporte coletivo que será implantado em Ribeirão Preto, em 2012, terá subsídio da prefeitura para baratear o valor da tarifa, a proposta em estudo prevê a instalação de dois terminais centrais, um próximo à praça XV e outro no entorno da rodoviária, além da instalação de nove miniterminais nos bairros. Estão previstos também a instalação de dois miniterminais de transbordo próximos à Catedral. A proposta prevê ainda a implantação de quatro corredores estruturais no sentido norte-sul e leste-oeste. Incluindo o aumento do número de carros que deverá passar dos atuais 346 para 394 e o sistema Leva e Traz será integrado na licitação para atender a periferia da cidade. Esta previsto também 61 ônibus sistema Padron, com três portas e ar-condicionado, além de todos os veículos serem obrigatoriamente adaptados para o transporte de deficientes.[11][12]


O que muda com a implantação da nova rede de transporte coletivo.[13][14]
  • Concessão da gratuidade para estudantes das redes municipal e estadual de Educação;
  • Implantação de tarifa única;
  • Retorno do cobrador nas estações de embarques;
  • Ampliação de frota em [4]diversas linhas;
  • Criação de sete linhas novas;
  • Criação de 4 (quatro) corredores diametrais;
  • Criação de duas linhas Circulares;
  • Criação de duas linhas Perimetrais;
  • Criação e adequação de linhas alimentadoras (Leva e Traz), com ampliação dos seus quadros de horários;
  • Utilização de ônibus zero quilômetro, com sistema de ar forçado, três portas largas, sendo uma delas com elevador para usuários de cadeira de rodas, com destaque para os do tipo padron, nas linhas estruturais, com maior capacidade, conforto e segurança;
  • Construção de dois 2 (dois) terminais na Área Central;
  • Construção de 8 (oito) estações de integração nos bairros;
  • Implantação de 40 km de corredores estruturais;
  • Controle da operação através de sistema de monitoramento remoto, por GPS, e da instalação de câmeras em toda a frota e nos terminais;
  • Implantação de sistema de informação ao passageiro (SIP), promovendo ampla divulgação da rede de transporte através de diversos meios de comunicação com os usuários;
  • Melhoria das facilidades de acesso e de utilização dos cartões eletrônicos mediante a ampliação do número de lojas de atendimento e dos postos de recarga;
  • Atendimento qualificado para os passageiros preferenciais, contemplando criação de código de conduta, treinamento periódico para os operadores, campanhas de esclarecimento à população, identificação dos assentos e sistema de identificação das linhas para deficientes visuais;
  • Implantação do novo regulamento do transporte coletivo, como importante instrumento de gestão;
  • Criação de sistema de indicadores e metas para monitoramento da qualidade do serviço prestado.


Empresas de ônibus metropolitanas que atendem cidades do entorno de Ribeirão Preto
Terminal Submetropolitano - Rodoviária de Ribeirão Preto

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Anel viário completo de Ribeirão Preto

O município é um dos maiores entroncamentos rodoviários do Estado de São Paulo, passando diversas rodovias. Algumas das mais importantes para o município são:

  • SP-255 - Rodovia Antônio Machado Sant'Anna - Araraquara / São Carlos;
  • SP-291 - Rodovia Mario Donega - Dumont / Pradópolis;
  • SP-322 - Rodovia Attilio Balbo e Rodovia Armando Salles de Oliveira - Sertãozinho;
  • SP-328 - Rodovia Alexandre Balbo - Anel Viário Norte;
  • SP-328 - Rodovia Prefeito Antônio Duarte Nogueira - Anel Viário Sul;
  • SP-330 - Rodovia Anhanguera - sentido norte: Brasília - Triângulo Mineiro / sentido sul: São Paulo-Campinas;
  • SP-333 - Rodovia Abrão Assed - Cajuru;
  • SP-334 - Rodovia Cândido Portinari - Batatais / Franca.

Ribeirão Preto foi o primeiro município no Brasil a construir um anel viário para interligar as rodovias que cortam o município e desafogar o trânsito da região central.[carece de fontes?]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Gazeta Mercantil. «Terminais de Petróleo». Consultado em 12 de junho de 2009 
  2. Ethanol Brasil. «Alcooduto Brasil». Consultado em 12 de junho de 2009 
  3. EPTV. «Lula inaugura obras do etanolduto em Ribeirão». Consultado em 21 de novembro de 2010 
  4. a b EPTV. [conomia «Duto para transporte de etanol fica pronto em 2013»] Verifique valor |url= (ajuda). Consultado em 24 de setembro de 2011 
  5. Governo de São Paulo. «Governador anuncia obras no Trevo Waldo Adalberto da Silveira em Ribeirão Preto». Consultado em 20 de março de 2013 
  6. Jornal A Cidade. «Rodovia para Bonfim Paulista vai receber duas passarelas». Consultado em 23 de março de 2013 
  7. Prefeitura de Ribeirão Preto. «Ribeirão Preto contará com quase R$ 280 milhões do PAC II Mobilidade Médias Cidades». Consultado em 20 de março de 2013 
  8. Folha de S.Paulo. «Corredor de ônibus em avenida é liberado pela Prefeitura de Ribeirão». Consultado em 16 de outubro de 2013 
  9. Abrati. «A melhor rodoviária do Brasil» (PDF). Consultado em 29 de janeiro de 2011 
  10. Jornal A Cidade. «Sistema terá 200 novos pontos». Consultado em 20 de março de 2010 
  11. Jornal A Cidade. «Prefeitura de Ribeirão vai subsidiar transporte coletivo». Consultado em 21 de agosto de 2011 
  12. EPTV. «Mudanças no transporte coletivo são colocadas em discussão». Consultado em 24 de setembro de 2011 
  13. Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto. «Ribeirão Preto vai modernizar transporte coletivo, conceder gratuidade a estudantes, e pode servir de referência para outros municípios». Consultado em 17 de dezembro de 2011 
  14. Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto. «Prefeita assina contrato de concessão do transporte coletivo urbano de Ribeirão Preto». Consultado em 31 de maio de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]