Transtorno de personalidade sádica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Transtorno de personalidade sádica
Classificação e recursos externos

Transtorno de personalidade sádica foi um diagnóstico de transtorno de personalidade envolvendo sadismo que apareceu apenas em um apêndice da terceira edição revista da publicação da APA, a Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (o DSM-III-R).[1] As versões mais recentes do DSM (DSM-IV, DSM-IV-TR e DSM-5) não mais incluí esse transtorno, juntamente com o Transtorno de personalidade masoquista,[2] assim não sendo mais mais considerados uma categoria diagnóstica válida. No entanto, alguns ainda estudam o transtorno.[3]

Critérios do DSM-III-R[editar | editar código-fonte]

A) Um padrão invasivo de comportamento cruel, humilhante e agressivo, a partir da idade adulta, como indicado pela ocorrência repetida de pelo menos quatro dos seguintes:[2] :138 - 141
  1. Usade crueldade física ou violência com a finalidade de estabelecer o domínio em um relacionamento (não apenas para alcançar algum objetivo não-interpessoal, como golpear alguém a fim de roubá-lo)
  2. Humilha ou avilta pessoas na presença de outros
  3. Trata ou disciplina alguém sob seu controle de maneira áspera (por exemplo, uma criança, um estudante, prisioneiro, ou paciente)
  4. Diverte-se ou tem prazer em ver o sofrimento psicológico ou físico de outros (incluindo animais)
  5. Mente com o propósito de prejudicar ou infligir dor a outros (não apenas para alcançar algum outro objetivo)
  6. Consegue que outras pessoas façam o quer por meio de intimidação ou mesmo terror
  7. Restringe a autonomia das pessoas com quem estreita relação (por exemplo, não deixar o cônjuge sair de casa desacompanhado ou permitir que a filha adolescente assistir suas funções sociais)
  8. É fascinado por violência, armas, artes marciais, lesões ou tortura
B) O comportamento de A não fora dirigido para uma só pessoa (por exemplo, cônjuge, a uma criança) e não foi apenas para efeitos de excitação sexual (como no sadismo sexual).[4]

Referências

  1. Hucker, Stephen J. Sadistic Personality Disorder
  2. a b Daniel L. Segal; Frederick L. Coolidge; Erlene Rosowsky (2006). Personality Disorders and Older Adults: Diagnosis, Assessment, and Treatment. John Wiley & Sons. pp. 137 –1 38. ISBN 978-0-470-03768-3.
  3. W.C. Myers, R.C. Burket & D.S. Husted. "Sadistic personality disorder and comorbid mental illness in adolescent psychiatric inpatients", Journal of the American Academy of Psychiatry and the Law 34 (2006): 61-71.
  4. Oxford Textbook of Psychopathology