Tratado Brasil-Estados Unidos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Tratado Brasil-Estados Unidos foi um acordo de assistência militar assinado em 1952 no Rio de Janeiro entre os dois países, com o objetivo de defender o hemisfério ocidental.[1] Oficialmente, chamava-se Acordo de Assistência Militar entre a República dos Estados Unidos do Brasil e os Estados Unidos da América, estabelecendo "basicamente o fornecimento de material norte-americano para o Exército brasileiro em troca de minerais estratégicos"[2].

Em 11 de março de 1977, na esteira de uma crise diplomática entre os Estados Unidos e o Brasil envolvendo questões de direitos humanos[3], o acordo foi denunciado[4] pelo governo do presidente Ernesto Geisel, deixando de vigorar um ano depois.

Referências

  1. SCHILLING, Voltaire. «Agosto de 1954: a grande tragédia: O Acordo Militar Brasil - Estados Unidos». Terra Educação. Consultado em 3 de fevereiro de 2012 
  2. Brasil, CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «Acordo Militar Brasil-Estados Unidos (1952) | CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil». CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 28 de dezembro de 2017 
  3. «Folha de S.Paulo - Fim de acordo não foi retaliação, diz Geisel - 14/5/1995». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 28 de dezembro de 2017 
  4. «DECRETO Nº 79.376, DE 11 DE MARÇO DE 1977 - Publicação Original - Portal Câmara dos Deputados». www2.camara.leg.br. Consultado em 28 de dezembro de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre relações internacionais, diplomacia ou sobre um diplomata é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.