Tratado de Santarém

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O Tratado de Santarém, com o perigo de Lisboa cair nas mãos dos castelhanos, foi celebrado a 19 de Março de 1373 pelos reis Fernando I de Portugal e Henrique II de Castela, no contexto das Guerras Fernandinas.[1][2][3]

Entre outras disposições, o tratado estipulava a expulsão dos apoiantes galegos de Dom Fernando refugiados em Portugal, como .

Nele o Reino de Portugal era obrigado a aliar-se à França e a Castela contra Inglaterra e expulsar os exilados castelhanos e galegos, que tinham lutado ao lado do rei português antes deste tratado[4], – entre eles Fernán Ruíz de Castro e o conde João Fernandes Andeiro, que lhe abrira a Galiza no primeiro conflito. Mais D. Fernando atribui volumosas indemnizações e promete em casamento a sua meia-irmã, D. Beatriz, a Sancho de Albuquerque, irmão de Henrique II[5].

Referências

  1. Aillaud, J. P. (1842). Quadro elementar das relações politicas e diplomáticas de Portugal com as diversas potencias do mundo. Paris: Em Casa de J.P. Aillaud. p. 470 
  2. Russell, P. E. (1951). «Fernão Lopes e o Tratado de Santarém» (PDF). Imprensa da Universidade de Coimbra. p. 1. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  3. «De tratado em tratado até o casamento final: o casamento de D. João I com D. Filipa de Lencastre» (PDF). Faculdade de Letras da Universidade do Porto. 2015. pp. 16–17. Consultado em 11 de agosto de 2020 
  4. Revista Hidalguía número 120 (em espanhol). Madrid: Ediciones Hidalguia. 1973. p. 744 
  5. D. João I - biografia, por João Macdonald, Planeta DeAgostini, 2006