Treinadores do Sport Club Corinthians Paulista

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Esta é uma lista de treinadores do Corinthians.

Lista[editar | editar código-fonte]

Era amadora[editar | editar código-fonte]

Era profissional[editar | editar código-fonte]

Passagens interinas[editar | editar código-fonte]

Recordistas[editar | editar código-fonte]

Os onze treinadores que mais vezes comandaram o Corinthians.[4] [5] [6]

* Atualizado 20 de maio de 2017

Posição Treinador Jogo(s) Ano(s)
01º Rio Grande do Sul Oswaldo Brandão 435 1954-1957 / 1964-1966 / 1968 / 1974-1978 / 1980-1981
02º Rio Grande do Sul Tite 378 2004-2005 / 2010-2013 / 2015-2016
03º Rio Grande do Sul Mano Menezes 248 2008–2010 / 2014
04º São Paulo Amílcar Barbuy 239 1915-1920 / 1934-1935 / 1937 / 1943
05º São Paulo Rato 227 1937 / 1942-1943 / 1951-1954
06º São Paulo Nelsinho Batista 192 1990-1991 / 1992-1993 / 1996-1997 / 2007
07º São Paulo Armando Del Debbio 178 1939-1942 / 1947-1948 / 1963
08º Rio de Janeiro Jorge Vieira 146 1979-1980 / 1983-1984 / 1986-1987
09º Rio de Janeiro Luxemburgo 135 1998 / 2001
10º Rio Grande do Sul Sylvio Pirillo 124 1959-1960 / 1974-1975
11º São Paulo Mário Travaglini 122 1981 a 1982 / 1985

Notas

  1. Antes do profissionalismo, não havia formalmente um técnico exclusivamente. Quem exercia o papel era o capitão do time, normalmente por sua liderança entre os demais jogadores.[1]
  2. O terceiro técnico do Corinthians, foi o que por mais longo tempo consecutivo permaneceu nessa função.[2]
  3. Em 1919, Fernando Torrini foi o capitão interino do Corinthians por dez dias na ausência de Amílcar Barbuy, que estava servindo à Seleção Brasileira.
  4. Ele também acumulou o cargo de presidente do Corinthians.[2]
  5. O uruguaio é tido como o primeiro treinador profissional da história do Corinthians.[3]
  6. Ambos dividiram o comando do time principal.
  7. Ambos dividiram o comando do time principal.
  8. Começou como interino após a saída de Fleitas Solich, mas foi efetivado.
  9. Começou como interino após a saída de Francisco Sarno, mas foi efetivado.
  10. Começou como interino após a saída de Oswaldo Brandão, mas foi efetivado.
  11. Dirigiu o time apenas em alguns jogos de meio de temporada. Antes de começar o Campeonato Paulista, ele se transferiu para o Porto, de Portugal
  12. Começou como interino após a saída de Mário Sérgio, mas foi efetivado.
  13. Começou como interino após a saída de Júnior, mas foi efetivado.
  14. Começou como interino após a saída de Daniel Passarella, mas foi efetivado.
  15. Começou como interino após a saída de Antônio Lopes, mas foi efetivado.
  16. Foi o capitão interino do Corinthians por dez dias na ausência do titular Amílcar Barbuy, que estava servindo à Seleção Brasileira de Futebol.
  17. Fora dos gramados por conta de uma suspensão, assumiu o posto de técnico interino por quase sete meses até voltar a campo e Ângelo Rocco reassumir a função.
  18. Foi interino em apenas um jogo, quando o técnico oficial Antônio Pereira não pode dirigir o time.
  19. Substituiu o titular Rato apenas para um amistoso em Araraquara.
  20. Foi interino apenas para alguns amistosos.
  21. Os três jogadores corintianos assumiram como um triunvirato por duas partidas entre a saída de Gentil Cardoso e a contratação de Joreca.
  22. Diretores de futebol do Corinthians, assumiram o comando técnico do time em 1949 após a saída de Joreca e ficaram no cargo como interinos por 16 jogos até a contratação de Aquiles Gama Malcher.
  23. Ainda como atacante do Corinthians, Foi interino individualmente em duas ocasiões substituindo o técnico titular.
  24. Foi interino apenas enquanto o técnico titular Oswaldo Brandão estava na Seleção Brasileira de Futebol.
  25. Após ter sido efetivo em duas ocasiões (1942-43 e 1951-54, foi interino em três passagens posteriores.
  26. Técnico do segundo quadro do Corinthians durante a segunda metade da década de 1950, assumiu o time uma única vez quando o técnico oficial Cláudio Christovam de Pinho não pôde viajar.
  27. Era diretor do clube e assumiu o cargo interinamente apenas para a disputa do Torneio de Brasília.
  28. Foi interino entre a saída de João Lima e a vinda de Jim Lopes.
  29. Era diretor de futebol do clube e assinou a súmula como treinador apenas porque o técnico paraguaio Fleitas Solich se atrasou para uma partida.
  30. Foi interino em três ocasiões. Substituiu o treinador principal Oswaldo Brandão. Depois, após a demissão do mesmo Brandão, assumiu até a contratação de Filpo Nuñes. Após o título paulista de 1977 e a saída de Brandão, comandou o time até a vinda de Armando Renganeschi.
  31. Era supervisor e foi interino antes de Aymoré Moreira assumir como treinador contratado.
  32. Foi interino por duas vezes. Na primeira, substituiu Francisco Sarno até a contratação de Duque. Na segunda, após uma passagem como efetivo, ocupou o posto de Sylvio Pirillo até o acerto com Dino Sani.
  33. Treinador das categorias de base, assumiu interinamente após a demissão de Filpo Núñes e a chegada de Duque.
  34. Substituiu Oswaldo Brandão logo após o treinador conquistar o Campeonato Paulista de 1977.
  35. Substituiu o técnico Jorge Vieira enquanto este enfrentava problemas de saúde.
  36. Foi interino no período entre Jorge Vieira e Orlando Fantoni e, ainda naquele ano, entre Fantoni e Oswaldo Brandão.
  37. Foi interino entre Jorge Vieira e Jair Picerni em 1984 e entre Picerni e Carlos Alberto Torres no ano seguinte.
  38. Foi interino por três vezes. Em 1985, ocupou o lugar do demitido Carlos Alberto Torres antes de Mário Travaglini assumir. Em 1986, substituiu Rubens Minelli antes da volta de Jorge Vieira. Em 1987, quando ficou no lugar de Jorge Vieira até a diretoria acertar com Formiga.
  39. Foi interino entre a saída de José Carlos Fescina e a chegada de Ênio Andrade.
  40. Preparador de goleiros do Corinthians entre 1987 e 1997, foi interino em três ocasiões: entre a saída de Carlos Alberto Silva e a contratação de Cilinho, em 1991; após a queda de Basílio e a chegada de Nelsinho Baptista, no ano seguinte; e substituindo Eduardo Amorim antes da vinda de Valdir Espinosa.
  41. Foi interino após a saída de Nelsinho Baptista e a contratação de Mário Sérgio.
  42. Foi interino entre Afrânio Riul e Carlos Alberto Silva.
  43. Comandou o Corinthians no Torneio Início do Campeonato Paulista de 1996.
  44. Foi interino entre a saída de Nelsinho Baptista e a chegada de Joel Santana, no Campeonato Brasileiro de 1997.
  45. Foi interino em duas partidas durante a era Vanderlei Luxemburgo.
  46. Comandou uma equipe reserva no Torneio Rio-São Paulo, enquanto Oswaldo de Oliveira preparava a equipe principal para a Copa Libertadores.
  47. Técnico nas categorias de base do Corinthians, assumiu a equipe principal por uma partida da Copa do Brasil, quando o técnico titular Oswaldo de Oliveira estava concentrado na semifinal da Copa Libertadores contra o Palmeiras.
  48. Foi interino entre a saída de Oswaldo Alvarez e a chegada de Candinho.
  49. Como auxiliar técnico de Carlos Alberto Parreira, assumiu o time interinamente entre maio e julho de 2002, quando o titular acompanhava a Copa do Mundo da FIFA. No ano seguinte, foi interino após a demissão de Geninho.
  50. Foi interino entre Tite e Daniel Passarella.
  51. Foi duas vezes interino: a primeira na transição de Emerson Leão para Paulo Cesar Carpegiani e a segunda vez, entre Carpegiani e Nelsinho Batista.

Referências

  1. Diaféria, 1992, p.120
  2. a b Diaféria, 1992, p.121
  3. Diaféria, 1992, p.124
  4. [1]
  5. [2]
  6. [3]

Notas

Referências

Bibliografia consultada[editar | editar código-fonte]

  • Unzelte, C.D. Almanaque do Timão. São Paulo: Editora Abril, 2000, 1ed. ISBN 978-85-7679-222-2
  • Diaféria, L. Coração Corinthiano: grandes clubes do futebol brasileiro e seus maiores ídolos. São Paulo: Fundação Nestlé de Cultura, vol.2, 1992. [414] p

Ligações externas[editar | editar código-fonte]