Trifena

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura por Cleópatra Trifena, veja Cleópatra Trifena.
Trifena
Nascimento 141 a.C.
Morte 111 a.C. (30 anos)
Progenitores Mãe:Cleópatra III
Pai:Ptolemeu VIII Evérgeta II
Cônjuge Antíoco VIII Filometor
Filho(s) Laodice, Antíoco XII Dionísio, Antíoco XI Epifânio Filadelfo, Seleuco VI Epifânio Nicator, Filipe I Filadelfo, Demétrio III Filopáter
Irmão(s) Cleópatra, Cleópatra Selene I, Ptolemeu IX Sóter II, Ptolemeu X Alexandre I
Ocupação regente
Título rainha consorte

Trifena (ca. 141 a.C.111 a.C.) foi uma filha de Ptolemeu VIII Evérgeta II, irmã de Cleópatra IV e esposa de Antíoco VIII Gripo, ela ordenou o assassinato de sua irmã Cleópatra IV e foi morta pelo marido desta, Antíoco IX de Cízico, meio irmão de Antíoco Gripo.

Antíoco VIII Gripo era filho de Demétrio II e Cleópatra Teia, e após Alexandre Zabinas haver derrotado Demétrio e se tornado rei da Síria, Antíoco foi indicado por sua mãe para tornar-se rei da Síria; antes ela havia assassinado seu irmão mais velho Seleuco V Filómetor.[1] Alexandre Zabinas, que havia se tornado rei com apoio de Ptolemeu VIII Evérgeta II, passou a desrespeitar Ptolemeu e este, casando sua filha Trifena com Antíoco VIII Gripo, ajudou Gripo a conquistar o trono da Síria.[2]

Cleópatra Teia tentou matar Antíoco VIII dando uma bebida envenenada, mas Antíoco forçou-a a beber e morrer do próprio veneno.[3][2]

Após a morte de Ptolemeu VIII Evérgeta II, Cleópatra IV, filha de Ptolemeu VIII e Cleópatra III, foi forçada, pela mãe, a se separar de seu irmão Ptolemeu IX Sóter e casar-se com Antíoco IX de Cízico.[4] Antíoco IX de Cízico era meio-irmão de Antíoco Gripo, sendo filho de sua mãe [4] Cleópatra Teia. Com o casamento de Cízico com Cleópatra, o exército de Gripo desertou, e Cízico tentou tomar o poder, mas foi derrotado, e seu exército se retirou para Antioquia, onde foi sitiado.[4]

Cleópatra IV, esposa de Cízico, estava em Antioquia, e quando a cidade foi capturada, Trifena, esposa de Gripo, por raiva da irmã, fez com que os soldados cortassem as mãos de Cleópatra, que estava segurando na estátua da deusa como suplicante, e a arrastassem; ela morreu logo em seguida, gritando ofensas contra seus assassinos.[4]

Após uma outra batalha, Antíoco IX de Cízico capturou Trifena, e a matou.[4]

Referências

  1. Justino, Epítome das Histórias de Pompeu Trogo, 39.1 [em linha]
  2. a b Justino, Epítome das Histórias de Pompeu Trogo, 39.2 [em linha]
  3. Apiano, História Romana, As Guerras Sírias, 69 [em linha]
  4. a b c d e Justino, Epítome das Histórias de Pompeu Trogo, 39.3 [em linha]