Trigun: Badlands Rumble

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Cinema.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição.

Trigun: Badlands Rumble
Trigun: Badlands Rumble (BRA)
Japão
2010 •  cor •  120 min 
Direção Satoshi Nishimura
Produção Shigeru Kitayama
Tsuneo Takechi
Yoshiyuki Fudetani
Yukiko Koike
Roteiro Yasuhiro Nightow
Satoshi Nishimura
Yasuko Kobayashi
Música Tsuneo Imahori
Cinematografia Shinichi Igarashi
Edição Satoshi Terauchi
Companhia(s) produtora(s) Japão Madhouse
Distribuição Japão Worx Co Klock
Idioma japonês

Trigun: Badlands Rumble é um filme de animação de 2010 poduzido pela Madhouse e com base no mangá Trigun, escrito por Yasuhiro Nightow. .

O filme foi exibido primeiramente para uma platéia americana na Sakura-Con de 2010, em Seattle, numa sexta-feira, 2 abril de 2010 às 05:00. O diretor realizou uma entrevista de 15 minutos antes do filme, explicando os motivos por que o filme não estava nem dublado, nem legendado, e por que a pré-estreia ocorreu na convenção. Tambem foram apresentados os novos personagens.

O filme foi exibido novamente no sábado e domingo, de acordo com o cronograma.[1]

Funimation Entertainment anunciou na Anime Expo, juntamente com o produtor de cinema Shigeru Kitayama que tinham licenciado o filme e planeja lançá-lo nos cinemas nos Estados Unidos.[2]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Em uma cidade cercada por areia movediça chamado Macca, espalharam boatos de um ladrão lendário chamado Gasback que está atrás do prefeito da cidade, Kepler. Para protegê-lo, Kepler contratou caçadores de recompensa.

Vash, the stampede (Vash, o Estouro da Boiada em portugues) está na cidade, junto com Meryl e Milly, juntamente com a caçadora de recompensas, Amélia e D. Nicholas Wolfwood.

Referências