Tripofobia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
As sementes de Lótus apresentam esse padrão irregular de furos.

Tripofobia[1][2] (em grego: τρύπα trýpa "buraco", e φόβος phóbos "medo") é um nome proposto para a fobia de padrões irregulares ou de agrupamento de pequenos buracos ou saliências .[3][4] Embora o termo seja popular na Internet, as comunidades médica e científica não consideram que a "tripofobia" exista, argumentando que quase todas as pessoas sentem aversão a buracos em tecidos vivos, mas que não se trata de uma verdadeira fobia.[5][6]

História[editar | editar código-fonte]

Acredita-se que o termo tenha sido criado por um participante em um fórum on-line em 2005.[7]

Essa doença ou condição não é reconhecida no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais da Associação Americana de Psiquiatria ou da literatura científica,[7][5][6] mas milhares de pessoas afirmam que possuem um medo patológico, aversão ou repugnância de objetos com padrões irregulares de furos, tais como colmeias, formigueiros e sementes de lótus.[carece de fontes?]

A pesquisa é recente e limitada a Arnold Wilkins e Geoff Cole,[6] que alegam serem os primeiros a investigar cientificamente, e acreditam que a repulsa não é baseada em um medo influenciado por fatores culturais.[5]

Wilkins e Cole sugerem que a aversão tenha origem em nossos ancestrais, pois as imagens se assemelham a vermes que geram inflamações ao penetrar no corpo da pessoa,[8] sendo uma forma evolutiva para se adaptar a algo que possa causar doenças.[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Cole, Geoff G.; Wilkins, Arnold J. (outubro de 2013). «Fear of Holes». Psychological Science (em inglês) (10): 1980–1985. ISSN 0956-7976. doi:10.1177/0956797613484937. Consultado em 11 de setembro de 2022 
  2. K. Williams Brown (11 de dezembro de 2010). «The improbable horror of clusters». Statesman Journal. Consultado em 4 de outubro de 2012. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2013 
  3. Le, An T. D.; Cole, Geoff G.; Wilkins, Arnold J (30 de janeiro de 2015). «Assessment of trypophobia and an analysis of its visual precipitation». Quarterly Journal of Experimental Psychology. 68 (11): 2304–22. PMID 2563593. doi:10.1080/17470218.2015.1013970 
  4. Welsh, Jennifer (7 de agosto de 2015). «Science explains why this image disgusts some people». Tech Insider. Consultado em 10 de abril de 2016 
  5. a b c Gregory Thomas (1 de outubro de 2012). «Phobia about holes is not officially recognized, but U.K. scientists look into it». Washington Post. Consultado em 2 de outubro de 2012 
  6. a b c d Karlla Patrícia (4 de fevereiro de 2014). «Tripofobia: Pessoas que tem medo de buraquinhos». Diário de Biologia. Consultado em 2 de agosto de 2014 
  7. a b Jennifer Abbasi (25 de julho de 2011). «Is Trypophobia a Real Phobia?». Popular Science. Consultado em 2 de outubro de 2012 
  8. «Entenda a tripofobia, o medo de buracos». Mente&Cérebro - Scientific American Brasil. Consultado em 2 de agosto de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]