Tropa dos Lanternas Negros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tropa dos Lanternas Negros
Comic image missing-pt.png
Dados sobre publicação
Publicado por DC Comics
Primeira aparição Green Lantern vol. 4 #43 (setembro de 2009)
Criado por Geoff Johns
Ethan Van Sciver
Membros atuais Entre os membros mais importantes temos:
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

A Tropa dos Lanternas Negros é uma organização fictícia de zumbis que aparece nos quadrinhos da DC Comics. O grupo é composto de personagens falecidos e seu objetivo é eliminar toda a vida no universo.

História das publicações[editar | editar código-fonte]

Uma versão inicial da Tropa dos Lanternas Negros surgiu na revista Green Lantern Annual vol. 3 #7 (1998), escrita por Steve Vance e desenhada por Ron Lim. Na história, um grupo de Lanternas Verdes mortos são reanimados e comandados pelo demônio Nekron.

Centro dos eventos de Blackest Night (em português, "A noite mais densa", publicada no Brasil pela Editora Panini a partir de julho de 2010), o vilão Mão Negra (líder e primeiro membro da Tropa dos Lanternas Negros) na verdade é um antigo inimigo do Lanterna Verde Hal Jordan. O escritor Geoff Johns revisou a origem e expandiu determinados aspectos do Mão Negra durante as histórias das Origens Secretas.[1] Nessas tramas, a arma absorvedora de energia do Mão Negra (que se acreditava ser uma invenção própria) é revelada como tendo sido construída por Atrócitus, um grande inimigo dos Guardiões do Universo e o futuro fundador da Tropa dos Lanternas Vermelhos.[2] Atrócitus veio à Terra e se aproximou do Mão Negra, reconhecendo nele um "caminho para o escuro" com poder para trazer "A noite mais densa". Ele faz com que o Mão Negra fuja com a arma escondida no bolso após Hal Jordan e Sinestro aparecerem para capturá-lo pela morte de Abin Sur.[3] [4] A posse da arma mais tarde o torna alvo da Tropa dos Lanternas Verdes, além de fazê-lo sentir uma necessidade de extinguir a luz do espectro emocional (conceito fictício da DC Comics).[5]

Ao ser transportado da prisão, o Mão Negra experimenta um súbito poder que elimina seus captores. Ele vai ao deserto onde ouve uma voz instruindo-o a reclamar as almas dos personagens ressuscitados.[6] Mão Negra assassina sua família e logo depois comete suicídio. A Guardiã Scar chega e cria o primeiro anel de poder negro, que ressuscita o Mão Negra. Ela revela ao vilão ser ele uma personificação física da morte, e serve como o avatar da Tropa dos Lanternas Negros da mesma maneira que Ion, Parallax e Safira Estrela representam a força de vontade, o medo e o amor, respectivamente.[5] O Mão Negra viola o túmulo de Bruce Wayne e retira sua caveira, e com isso nas mãos recita o juramento dos Lanternas Negros pela primeira vez. Pouco depois, os anéis de energia negra aparecem no universo e começam a reviver os personagens mortos e a transformarem-nos em Lanternas Negros que atacarão os heróis do Universo DC.[7] Mão Negra é visto segurando a caveira de Wayne em todas as suas futuras aparições, alimentando os anéis com uma bateria de energia escura em Blackest Night #1. Ele afirma que a morte de Wayne "será de grande importância na "Noite mais densa"". No final da revista, é mostrado que o Mão Negra usa a caveira para produzir novos anéis de poder, criando dois para os recém falecidos Carter Hall e Kendra Saunders.

Em Blackest Night #3, Indigo-1 descreve a premissa básica da relação da Tropa dos Lanternas Negros com o universo. Ela explica que a Escuridão existia antes da criação e era o que dava poder aos Lanternas Negros. Banida pela luz branca, houve a fratura do espectro emocional. A combinação das sete cores desse espectro pode restaurar a luz branca e eliminar os Lanternas Negros. Em Blackest Night #4, Scar transporta a Bateria Central da Energia Negra para Coast City e o verdadeiro arquiteto da criação dos Lanternas Negros é revelado: Nekron.

Indigo-1 recruta Hal Jordan para formar uma equipe capaz de recriar a luz branca da criação (escolhendo aqueles que tiveram conexão com os mais poderosos membros das cinco tropas remanescentes).[8] Jordan e Indigo-1 recrutam Carol Ferris, Sinestro, Santo Andarilho da Tropa dos Lanternas Azuis, Atrocitus (da Tropa dos Lanternas Vermelhos) e Larfleeze (da Tropa dos Lanternas Laranjas) com seus próprios objetivos.[9] Em Blackest Night #5, a equipe ataca a Bateria Central da Energia Negra mas os resultados são opostos ao esperado. Nekron é fortalecido e recruta personagens mortos revividos para a Tropa dos Lanternas Negros.

Principais membros[editar | editar código-fonte]

Na convenção dos quadrinhos em San Diego (Comic Con 2009), Geoff Johns explicou a escolha do Mão Negra como líder da nova Tropa de Lanternas, dos personagens que comporiam a organização e seus objetivos ao escrever a história.

O anel negro não afeta quem está morto; ele afeta os vivos. As cenas em que o Homem Elástico e Sue Dibny conversam com Gavião Negro e Moça Gavião é um tipo de início de conflito emocional e terror que será mostrado em Blackest Night. Os aneis procuram dentre os mortos aqueles que foram importantes para os heróis.[10]

Durante a criação de Blackest Night, Johns (que nunca teve interesse nem medo de zumbis) quis trazer de volta personagens falecidos dum jeito que aterrorizassem e provocassem distúrbios emocionais nos personagens vivos que encontrassem. Os Lanternas Negros possuem personalidade e procuram aqueles que seriam afetados emocionalmente com sua aparição.[11] Um primeiro exemplo de Johns para o uso da personalidade como causadora de distúrbios é quando o Lanterna Negro Homem Elástico (típico personagem "luminoso" que usa seu nariz detetive para "cheirar" alguma coisa errada) olha para suas vítimas e diz para sua esposa revivida: "Eu sinto o cheiro de mistério."[11] [12] Johns diz que o poder dos Lanternas Negros não é necessariamente maligno, mas tão pouco bom.[13]

Durante sua concepção inicial da nova Tropa, Johns desenvolveu o que aprendera sobre a luz em suas aulas de Física. Com as outras Tropas com as cores do espectro emocional personificando a vida, ele sabe que essa deveria personificar a morte. O negro é a ausência de luz, assim ele escolheu o Mão Negra como o lider da Tropa pelo nome e porque ele gosta de revisar vilões desde quando escrevia Flash. Como em outros membros da Tropa dos Lanternas Negros, Johns queria uma diferente abordagem para o Mão Negra. Ele é descrito como um personagem claramente insano cuja presença deixa a todos desconfortáveis.[14]

Em Blackest Night #2, múltiplos aneis de energia negra tentam reanimar o corpo de Don Hall, mas são impedidos por uma barreira invisível que protege o túmulo dele. Os anéis soam seu típico comando ("levante") mas são interrompidos e respondem "Don Hall da Terra está em paz." Essa foi a primeira vez que os anéis negros falharam ao tentar recrutarem um membro para a Tropa dos Lanternas Negros.[15] Na entrevista com a IGN, Johns comenta a imunidade de Columba ao poder dos anéis negros: "Vocês saberão mais disso adiante. Mas diz respeito a natureza de Don Hall. Não pode ser profanada por essas coisas. Ele é intocável na morte e está em total paz mais do que qualquer outro ser no universo." Refletindo sobre as limitações dos anéis, Johns diz que a "magia" é piada para os anéis do poder negro (o zumbi Giovanni Zatara é capaz de manipular magia negra) e Don é o oposto.[16] Em Blackest Night: Titans #1 é mostrado o Lanterna Negro Hank Hall incapaz de ler a áura emocional de Dawn Granger pois a mesma é branca.

Em Blackest Night: Batman #1, o espírito do Desafiador (Deadman) é incapaz de deter a reanimação de seu cadáver por um anel negro. Desafiador tenta possuir o corpo, mas não consegue controlá-lo.[17] No Comic Con 2009, Geoff Johns foi perguntado se os Lanternas Negros falavam com eles mesmos ou se estavam sendo controlados por outras forças. Johns não respondeu, o que significa que a solução seria mostrada durante a série Blackest Night.[18] Em uma passagem, o Espectro declara que ele "não seria usado"."[15] Após isso, o Mão Negra nota que os membros do Pacto das Sombras Zatanna e Demônio Azul são rodeados por uma aura de vida. Ao ler a aura do Vingador Fantasma, Mão Negra deduz que ele não está "nem vivo nem morto".[15]

Lista de Lanternas Negros[editar | editar código-fonte]

Segundo o anel de Kyle Rayner, todos os Lanternas Verdes falecidos se transformaram em Lanternas Negros, mas não há uma lista exata.[24]

Juramento[editar | editar código-fonte]

Como nas outras Tropas, o Mão Negra criou um juramento para os Lanternas Negros:

No alto dos céus A Noite Mais Densa desponta,
Enquanto a luz morre a escuridão toma conta,
Almejamos seu fim e miramos seu coração,
Pela minha mão negra os mortos se erguerão!

—Mão Negra, Versão em português de texto em inglês de Blackest Night #0 (junho de 2009)

Poderes e habilidades[editar | editar código-fonte]

Os Lanternas Negros são cadáveres reanimados pelos anéis de energia negra. Os corpos são reparados quando danificados, mantendo-os em funcionamento todo o tempo.[25] Os anéis de Energia Negra são capazes de regenerar ferimentos fatais infligidos aos seus possuidores (inclusive decapitações e completa dissolução).[17] [26]

Em Blackest Night #3, Indigo-1 explica que todos os ressuscitados se alimentam de emoção. A cada ganho de energia, os anéis darão aos seus possuidores poderes de voar e criar coisas energéticas. Não são afetados pela magia.[16] A mordida de um Lanterna Negro induz a uma vagarosa necrose e eventualmente torna a vítima amigável aos zumbis. É desconhecido se o poder afeta todos os vivos, ou apenas aqueles que foram ressuscitados antes de morrerem (como o Superman,Arqueiro Verde e Donna Troy).[27]

Lanternas Negros conseguem ler a aura colorida do espectro emocional.[12] Múltiplas emoções levam a múltiplas cores, enquanto a falta de emoções é branca.[28] Demônios e similares como Etrigan possuem uma aura negra. O estado de animação suspensa engana um Lanterna Negro pois torna o corpo invisível aos sentidos dele.[29] Corações sem emoções como o do Espantalho também não são sentidos pelos Lanternas Negros.[19] Em mentes deturpadas ou adicionadas como a de Bizarro, as cores são vistas invertidas pelos Lanternas Negros.[30]

Vulnerabilidades[editar | editar código-fonte]

Os Lanternas Negros são vulneráveis a luz branca e a uma combinação de luz verde com luzes de outras tropas.

Uma vez o anel de energia negra destruído, o cadáver se torna inerte.[8]

A Doutora Luz (Kimiyo Hoshi) e Halo podem destruir completamente um Lanterna Negro usando seus poderes luminosos.[31] [32] Conner Kent usou a Máscara Medusa para destruir dois Lanternas Negros forçando emoções.[33] Os Lanternas Negros também são vulneráveis ao Laço da Verdade da Mulher Maravilha.[34] O "toque" de um Lanterna Negro, usado para remover os corações das vítimas e drenar suas emoções, também pode romper a conexão com outros Lanternas Negros e seus anéis de poder negro.[35] A viagem no tempo pode desativar um anel negro.[36]

Uma maneira de deter um Lanterna Negro é feri-lo mais rapidamente do que o anel o regenere.[37] [38]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Green Lantern (vol. 4) revistas #29-35 (maio-novembro de 2008). Essas aventuras foram publicadas no Brasil pela Editora Panini em agosto de 2011, num único volume encadernado sob o título "Lanterna Verde - Origem Secreta".
  2. Green Lantern (vol.) 4 #32 (agosto de 2008)
  3. Green Lantern (vol.) 4 #33 (setembro de 2008)
  4. Green Lantern (vol. 4) #34 (outubro de 2008)
  5. a b c Green Lantern (vol. 4) #43 (setembro de 2009)
  6. DC Universe #0 (junho de 2008)
  7. Blackest Night #0 (junho de 2009)
  8. a b Blackest Night #3 (novembro de 2009)
  9. Green Lantern (vol 4) #46-48 (novembro de 2009-janeiro de 2010)
  10. Johns, Geoff. DC Comics: Green Lantern: Blackest Night (11:06). San Diego Comic Con 2009. Centro de Convenções de San Diego CA. 25 de julho de 2009. Acessado em 2 de agosto de 2009.
  11. a b Johns, Geoff. DC Comics: Green Lantern: Blackest Night (29:30). San Diego Comic Con 2009.Centro de Convenções San Diego, San Diego CA. 25 de julho de 2009. Acessado em 2 de agosto de 2009.
  12. a b Blackest Night #1 (setembro de 2009)
  13. Johns, Geoff. DC Comics: Green Lantern: Blackest Night (31:34). San Diego Comic Con 2009. Centro de Convenções San Diego, CA. 25 de julho de 2009. Acessado em 2 de agosto de 2009.
  14. Johns, Geoff. DC Comics: Green Lantern: Blackest Night (42:31). San Diego Comic Con 2009. Centro de Convenções de San Diego, CA. 25 de julho de 2009. Acessado em 2 de agosto de 2009.
  15. a b c Blackest Night #2 (outubro de 2009)
  16. a b Geoff Johns: Inside Blackest Night - Part Two, IGN, 14 de agosto de 2009
  17. a b Blackest Night: Batman #1 (October 2009)
  18. Johns, Geoff. DC Comics: Green Lantern: Blackest Night (38:55). San Diego Comic Con 2009. Centro de Convenções San Diego, CA. 25 de julho de 2009. Acessado em 2 de agosto de 2009.
  19. a b Blackest Night #4 (novembro de 2009)
  20. Adventure Comics #0 (fevereiro de 2009)
  21. Amon Sur. DC Comics. Página visitada em 16-09-2009.
  22. Pantha. DC Comics. Página visitada em 23-12-2009.
  23. Wildebeest. DC Comics. Página visitada em 14-02-2010.
  24. Green Lantern Corps (vol. 2) #39 (outubro de 2009)
  25. Montgomery, Lauren (Diretor). Johns, Geoff (Commentator) (2009). Green Lantern: First Flight (Behind the Scenes of Blackest Night). [Animated Film/DVD]. Warner Home Video. Warner Bros Animation. DC Comics.
  26. Green Lantern Corps (vol 2) #41 (dezembro de 2009)
  27. Blackest Night: Titans #3 (dezembro de 2009)
  28. Blackest Night: Titans #2 (novembro de 2009)
  29. Blackest Night: Batman #3 (outubro de 2009)
  30. Superman/Batman #66 (novembro de 2009)
  31. Justice League of America (vol. 2) #40 (dezembro de 2009)
  32. Outsiders (vol. 4) #25 (dezembro de 2009)
  33. Blackest Night: Superman #3 (dezembro de 2009)
  34. Blackest Night: Wonder Woman #1 (janeiro de 2010)
  35. Teen Titans (vol 3) #78 (fevereiro de 2010)
  36. Blackest Night #6 (fevereiro de 2010)
  37. Catwoman (vol. 3) #83 (janeiro de 2010)
  38. The Phantom Stranger #42 (janeiro de 2010)


Portal A Wikipédia possui o portal: