Trute

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Portugal Portugal Trute 
  Freguesia  
Localização
Localização no município de Monção
Localização no município de Monção
Trute está localizado em: Portugal Continental
Trute
Localização de Trute em Portugal
Coordenadas 42° 0' 47" N 8° 28' 27" O
Município MNC.png Monção
Administração
Tipo Junta de freguesia
Presidente Jorge Ferreira Fernandes (M.I.T.)
Características geográficas
Área total 4,71 km²
População total (2011) 277 hab.
Densidade 58,8 hab./km²
Código postal 4950-830
Outras informações
Orago Santa Eulália
Sítio http://www.jf-trute.com

Trute é uma freguesia portuguesa do município de Monção, com 4,71 km² de área e 277 habitantes (2011)[1]. A sua densidade populacional é 58,8 h/km².

História[editar | editar código-fonte]

Na lista das igrejas situadas no território de Entre Lima e Minho, elaborada por ocasião das Inquirições de D. Afonso III, em 1258, é citada como uma das igrejas pertencentes ao bispado de Tui.

Em 1320, no catálogo das mesmas igrejas, mandado elaborara pelo rei D. Dinis, para o pagamento de taxa, Santa Eulália de Trute foi taxada em 80 libras. Enquadrava-se no arcediagado de Cerveira.

Em 1444, D. João I conseguiu da papa que esta território fosse desmembrado do bispado de Tui, passando a pertencer ao de Ceuta, onde se manteve até 1512. Neste ano, o arcebispo de braga, D. Diogo de Sousa, deu ao bispo de Ceuta a comarca eclesiástica de Olivença, recebendo em troca a de Valença do Minho. Em 1513, o papa Leão X aprovou a permuta.

No registo da avaliação dos benefícios eclesiásticos da comarca de Valença do Minho, feito no tempo de D. Manuel de Sousa (1545-1549) por Rui Fagundes, vigário da comarca de Valença, Santa Eulália de Trute rendia 40 mil réis.

Na cópia de 1580 do Censual de D. Frei Baltasar Limpo, Santa Eulália de Trute é descrita como sendo da colação do arcebispo, a metade sem cura, e da apresentação de padroeiros leigos, a outra metade com cura.

Segundo Américo Costa, foi abadia da apresentação dos Cordeiros e, depois, dos Palhares, seus descendentes.

Memórias Paroquiais de 1758[editar | editar código-fonte]

Em Trute as respostas ao inquérito ordenado pelo Marquês de Pombal, três anos após o terramoto de Lisboa em 1755, foram dadas pelo Abade Manuel Borges de Sá. O donatário da freguesia à época era Alexandre de Palhares Coellho de Britto, Senhor da Casa e Quinta de Trute.[2]

À época vivam em Trute quatrocentas e quarenta pessoas distribuidas por treze lugares: Casal, Vilar, Cruzeiro, Souto, Fontélo, Campos, Roriz, Sande, Tariz, Tras-Souto, Barral, Outeiro Ferro, Outeiro.

É mencionada a existência uma torre, perto da casa de Trute, que se encontra quase de todo arruinada e não há tradição relativamente à sua antiguidade.[3]

As águas de Trute são descritas como frescas, delgadas e saudáveis, fazendo referência ao chorro de água que nasce no sítio chamado Vilharelho, que logo no seu nascimento pode moer um moinho com abundância de água e se vai aumentando e se faz regato e com sua água fertiliza esta freguesia de Trute. É mencionado o ribeiro do Barral, o curso de água que apenas passa por um lugar de onde toma o seu nome.[4]

Lenda de Trute[editar | editar código-fonte]

Uma rainha de Aragão foi sentenciada à morte pelo rei seu marido, em virtude de uma intriga de criados. Sabedora da sorte que a esperava, disfarçou-se e fugiu. Foi-lhe no encalço o rei, que junto ao Rio Minho a teria apanhado, se a rainha não houvesse pedido aos barqueiros que o demorassem o tempo suficiente para ela se acolher a certo castelo. Em virtude da lealdade dos barqueiros, a rainha conseguiu refugiar-se no castelo. Veio o rei pôr-lhe cerco, e pela fome e pela sede empreendeu rendê-la. Ela, porém, descobriu ali uma fonte que a alimentava de água pura, e, quinze dias passados, veio sobre os rochedos pousar uma águia, que trazia no bico uma truta, assustada talvez pela presença da rainha ou de alguma pessoa do seu séquito. Em vez de se aproveitar do saboroso peixe, a rainha mandou-o de presente ao rei, que a cercava, e tinha o seu acampamento no lugar onde hoje é Trute. O rei, persuadido de que o braço divino a amparava, levantou o cerco, perdoando-lhe, contrito, as supostas faltas. Não quis a rainha acompanhá-lo depois, e por estes lugares terminou a vida em devotos exercícios e penitências austeras.[5]

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Trute [6]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
536 563 511 500 501 457 464 499 484 461 470 454 364 278 277
Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 44 29 135 70 15,8% 10,4% 48,6% 25,2%
2011 30 31 137 79 10,8% 11,2% 49,5% 28,5%

Património[editar | editar código-fonte]

  • Igreja de Trute
  • Calvário
  • Capela de Santo Estevão

Associações[editar | editar código-fonte]

Actualmente, na freguesia de Trute existem a Associação Social e Juvenil de Trute[7], fundada em 14 de Setembro de 2006[8], e o Clube de Caça e Pesca de Trute[9].

Confrarias[editar | editar código-fonte]

Foi fundada em 4 de dezembro de 1791 a Confraria de Nossa Senhora do Rosário da Freguesia de Trute.[10]

Política[editar | editar código-fonte]

Eleições Autárquicas - Assembleia de Freguesia

Resultados (votos) Assembleia de Freguesia
Data PS PPD-PSD CDS PDC MIT Brancos Nulos Candidato Eleito
1979 [11] 109 72 2 10 António Alves
1982 [12] 116 110 4 9 António Alves
1985[13] 142 85 6 5 António Alves
1989[14] 99 121 4 8 Adelino Fernandes Machado
1993[15] 145 27 6 Adelino Fernandes Machado
1997[16] 137 55 4 2 Adelino Fernandes Machado
2001[17] 127 23 Adelino Fernandes Machado
2005[18] 115 96 3 3 Agostinho Marinho Fernandes
2009[19] 150 30 0 Agostinho Marinho Fernandes
2013[20] 112 51 6 Agostinho Marinho Fernandes
2017[21] 84 131 1 6 Jorge Ferreira Fernandes


Referências

  1. «População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano)». Informação no separador "Q601_Norte". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 3 de Março de 2014. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2013 
  2. «PT-TT-MPRQ-37-123_m0273a.tiff - Trute, Monção - Arquivo Nacional da Torre do Tombo - DigitArq». digitarq.arquivos.pt. Consultado em 8 de março de 2020 
  3. «PT-TT-MPRQ-37-123_m0273a.tiff - Trute, Monção - Arquivo Nacional da Torre do Tombo - DigitArq». digitarq.arquivos.pt. Consultado em 8 de março de 2020 
  4. «PT-TT-MPRQ-37-123_m0273a.tiff - Trute, Monção - Arquivo Nacional da Torre do Tombo - DigitArq». digitarq.arquivos.pt. Consultado em 8 de março de 2020 
  5. «[A águia e a truta]». lendarium.org. Consultado em 6 de março de 2020 
  6. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  7. «(Sem diploma) - Diário da República n.º 206/2006, Apêndice E, Série II de 2006-10-25». Diário da República Eletrónico. Consultado em 6 de março de 2020 
  8. «Associação Social e Juvenil de Trute». agc.sg.mai.gov.pt. Consultado em 6 de março de 2020 
  9. «Clube de Caça e Pesca de Trute». agc.sg.mai.gov.pt. Consultado em 6 de março de 2020 
  10. «Confraria de Nossa Senhora do Rosário da freguesia de Trute - Monção». agc.sg.mai.gov.pt. Consultado em 7 de março de 2020 
  11. Resultados Eleitorais Assembleia de Freguesia 1979 - http://eleicoes.cne.pt/raster/detalhe.cfm?eleicao=af&dia=16&mes=12&ano=1979&codreg=160431&local=Trute
  12. Resultados Eleitorais Assembleia de Freguesia 1982 - http://eleicoes.cne.pt/raster/detalhe.cfm?eleicao=af&dia=12&mes=12&ano=1982&codreg=160431&local=Trute
  13. «CNE Gráfico». eleicoes.cne.pt. Consultado em 6 de março de 2020 
  14. «CNE Gráfico». eleicoes.cne.pt. Consultado em 6 de março de 2020 
  15. «CNE Gráfico». eleicoes.cne.pt. Consultado em 6 de março de 2020 
  16. «CNE Gráfico». eleicoes.cne.pt. Consultado em 6 de março de 2020 
  17. «CNE Gráfico». eleicoes.cne.pt. Consultado em 6 de março de 2020 
  18. «CNE Gráfico». eleicoes.cne.pt. Consultado em 6 de março de 2020 
  19. «CNE Gráfico». eleicoes.cne.pt. Consultado em 6 de março de 2020 
  20. «Autárquicas 2013 - Resultados». www.eleicoes.mai.gov.pt. Consultado em 6 de março de 2020 
  21. «Autárquicas 2017 - Resultados». www.eleicoes.mai.gov.pt. Consultado em 6 de março de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.