Tufão Kaemi (2006)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros ciclones tropicais chamados Kaemi ou suas variantes, veja Tufão Kaemi.
Tufão Kaemi
Categoria 1 (EFSS)
O tufão Kaemi a leste das Filipinas
Formação 8 de Julho de 2006
Dissipação 16 de Julho de 2006
Vento mais forte (1 min) 75 nós (139 km/h, 86 mph)
Vento mais forte (10 min) 80 nós (148 km/h, 92 mph)
Pressão mais baixa 960 hPa (mbar) ou 720 mmHg
Danos Desconhecidos
Fatalidades No mínimo 35
Áreas afetadas Filipinas, Taiwan e sudeste da China.
Parte da
Temporada de tufões no Pacífico de 2006

O tufão Kaemi (designação internacional: 0605; designação do JTWC: 06W; designação filipina: Glenda) foi um ciclone tropical que afetou as Filipinas e atingiu Taiwan e a China na última semana de Julho de 2006. Sendo o oitavo ciclone tropical, o quinto sistema nomeado e o terceiro tufão da temporada de tufões no Pacífico de 2006, Kaemi formou-se de uma área de distúrbios meteorológicos a sudeste de Guam em 8 de Julho e viajou pelo Oceano Pacífico e Mar da China Oriental por vários dias, finalmente atingindo Taiwan e a China em 24 de Julho.

Kaemi provocou 35 fatalidades e deixou outras 60 desaparecidas, principalmente na China, na mesma região onde a tempestade tropical Bilis havia atingido dias antes.

História meteorológica[editar | editar código-fonte]

O caminho de Kaemi

O tufão Kaemi formou-se de uma perturbação tropical na parte oriental de um cavado de monção.[1] O Joint Typhoon Warning Center notou a perturbação e começou a monitorar o sistema a partir de 16 de Julho.[2] O sistema, que estava localizado a leste-sudeste de Guam, estava localizado num ambiente com poucos ventos de cisalhamento, com bons fluxos externos de altos níveis. Movendo-se para oeste-noroeste, o sistema continuou a se desenvolver, levando ao JTWC a emitir um alerta de formação de ciclone tropical (AFCT) em 17 de Julho.[2] A Agência Meteorológica do Japão (AMJ) considerou a formação de uma depressão tropical ainda em 17 de Julho.[3] Logo em seguida, no começo da madrugada de 18 de Julho, o JTWC começou a emitir avisos regulares sobre a depressão tropical 06W.[4] A depressão continuou a se intensificar e o JTWC classificou a depressão numa tempestade tropical 18 horas depois, a cerca de 165 nm a sul-sudoeste de Guam.[5] A Agência Meteorológica do Japão (AMJ) também classificou o sistema numa tempestade tropical e lhe atribuiu o nome de Kaemi.[6] O nome Kaemi foi submetido pela Coreia do Sul e significa, em coreano, formiga.[7]

Kaemi continuou a se intensificar assim que seguia para oeste-noroeste, sob a influência de uma alta subtropical a seu nordeste.[1] A AMJ classificou Kaemi numa tempestade tropical severa,[8] enquanto que para o JTWC, Kaemi tornou-se um tufão em 20 de Julho, por volta do meio-dia,[1] enquanto a AMJ considerou Kaemi como tal somente 18 horas depois.[9] Ainda em 21 de Julho, Kaemi adentrou na área de responsabilidade da Administração de Serviços Atmosféricos, Geofísicos e Astronômicos das Filipinas (PAGASA) e foi nomeada pela agência como Glenda.[1] O sistema alcançou o seu pico de intensidade, com ventos máximos sustentados de 165 km/h, segundo o JTWC, por volta das 18:00 UTC de 22 de Julho.[10] Kaemi começou a seguir para noroeste assim que a porção ocidental da alta subtropical dissipou-se.[1]

O tufão começou a se enfraquecer lentamente assim que os ventos de cisalhamento verticais começou gradualmente a se intensificar, deixando o centro da circulação ciclônica a nordeste das principais áreas de convecção.[1] Após enfraquecer-se num tufão mínimo, os ventos de cisalhamento diminuíram e Kaemi voltou a se fortalecer antes de fazer landfall no sul de Taiwan em 24 de Julho.[1] Após passar sobre Taiwan. Kaemi enfraqueceu-se numa tempestade tropical e atingiu a China continental, em Jinjiang, província de Fujian, no dia seguinte.[1] Logo em seguida, o JTWC emitiu seu último aviso sobre Kaemi,[1] enquanto que a AMJ fez o mesmo no dia seguinte.[11]

Preparativos e impactos[editar | editar código-fonte]

Em 23 de Julho, o governo das Filipinas emitiu um sinal de tempestade nº1 para as províncias ao norte do arquipélago. O comércio, as instituições governamentais e as escolas foram fechadas como forma de prevenção.[12] O tufão provocou chuvas fortes no arquipélago filipino, deixando dezenas de milhares de desabrigados e 3 desaparecidos.[13]

A Agência Meteorológica Central de Taiwan disse à população, em 22 de Julho, a se prevenirem contra a chegada de Kaemi. No dia seguinte, a agência emitiu um aviso de tufão para toda a ilha.[14] No entanto, apesar do tufão ter atingido a ilha diretamente em 24 de Julho, Kaemi provocou apenas danos leves e 4 feridos.

Com a chegada do tufão à China, o governo local retirou 643.000 pessoas de cerca de 40.000 vilarejos em áreas de risco.[15] As chuvas fortes de Kaemi provocaram enchentes e deslizamentos de terra nas províncias de Fujian, Jiangxi e Guangdong, que provocaram a destruição de no mínimo 400 residências. 6 pessoas morreram quando enxurradas atingiram uma base militar.

No total 35 pessoas morreram na região, que tinha sido anteriormente devastada pela tempestade tropical Bilis dias antes.[16] Além disso, o tufão deixou no mínimo outras 60 desaparecidas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Furacão Catrina Portal da
meteorologia

Referências

Ciclones tropicais da Temporada de tufões no Pacífico de 2006
Escala de Furacões de Saffir-Simpson
DT TS TT 1 2 3 4 5



*PAGASA
#JTWC
SN - Sem nome