Tufão Nari (2007)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros ciclones tropicais chamados Nari, veja Tufão Nari.
Tufão Nari
Categoria 4 (EFSS)
O tufão Nari quase perfeitamente simétrico em 15 de Setembro de 2007,
Formação 13 de Setembro de 2007
Dissipação 17 de Setembro de 2007
Vento mais forte (1 min) 125 nós (232 km/h, 144 mph)
Vento mais forte (10 min) 100 nós (185 km/h, 115 mph)
Pressão mais baixa 935 hPa (mbar) ou 701 mmHg
Danos Desconhecido
Fatalidades No mínimo 13
Áreas afetadas Okinawa (Japão) e Coréia do Sul
Parte da
Temporada de tufões no Pacífico de 2007

O tufão Nari (designação internacional: 0711; designação do JTWC: 12W; designação filipina Falcon) foi o décimo terceiro ciclone tropical, o décimo primeiro sistema nomeado, o oitavo tufão e o quinto super tufão da temporada de tufões no Pacífico de 2007. Ao longo de seu caminho, Nari afetou Okinawa (Japão) e a Coréia do Sul.

História meteorológica[editar | editar código-fonte]

O caminho de Nari

Uma perturbação tropical formou-se a Noroeste de Guam em 10 de Setembro e moveu-se para Noroeste, fortalecendo-se lentamente. A Agência Meteorológica do Japão (AMJ) começo a monitorar o sistema como uma depressão tropical no dia seguinte. A depressão continuou a se fortalecer a melhorar quanto a sua organização. O Joint Typhoon Warning Center (JTWC) emitiu um alerta de formação de ciclone tropical sobre o sistema durante a tarde de 12 de Setembro e começou a emitir avisos regulares sobre a depressão tropical "12W" uma hora depois. A AMJ fez o mesmo durante a madrugada do dia seguinte. Pouco depois a PAGASA nomeou o sistema de "Falcon". A depressão continuou a se intensificar e a AMJ classificou o sistema como tempestade tropical Nari. O nome Nari foi dado pela Coréia do Sul e significa "lírio". Durante a tarde e a noite daquele dia, Nari sofreu rápida intensificação, fortalecendo-se de uma depressão tropical para um tufão em apenas 18 horas. A AMJ classificou Nari como uma tempestade tropical severa no final daquela tarde e pouco depois, durante a noite, nari foi classificado como um tufão. Em 14 de Setembro, Nari alcançou seu pico de intensidade e começou a se enfraquecer. O sistema atingiu a costa da Coréia do Sul ainda com força de tempestade tropical. Jeju, Coréia do Sul, registrou a maior precipitação associada a Nari sobre terra: 590 mm.

Em análises pós-tempestade, o JTWC aumentou o pico de intensidade para ventos máximos sustentados de 230 km/h.[1]

Preparativos e impactos[editar | editar código-fonte]

No dia 15 de Setembro, Nari atingiu a ilha Kumejima, Okinawa, Japão, com ventos de até 220 km/h. Ondas de até seis metros atingiram a ilha. Apesar da violência do tufão, não foram registrados mortos, feridos ou danos na região de Okinawa.[2] Por volta do meio-dia de 16 de Setembro (UTC), Nari atingiu a costa sudeste da Coréia do Sul, perto de Jeju-do. As chuvas fortes associadas a Nari causaram enchentes severas ao longo da costa; pelo menos 740 pessoas tiveram que deixar suas residências e mais de 280 vôos foram cancelados. As enchentes causaram a morte de pelo menos treze pessoas e deixou outras sete desaparecidas em Jeju, Coréia do Sul[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Furacão Catrina Portal da
meteorologia

Referências


Ciclones tropicais da Temporada de tufões no Pacífico de 2007
11
Escala de Furacões de Saffir-Simpson
DT TS TT 1 2 3 4 5



*PAGASA
#JTWC
SN - Sem nome