Tuia-holandesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaTuia-holandesa
Tuias-holandesas plantadas em vasos
Tuias-holandesas plantadas em vasos
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Pinophyta
Classe: Pinopsida
Ordem: Pinales
Família: Cupressaceae
Género: Cupressus
Espécie: C. macrocarpa var. goldcrest
Nome binomial
Cupressus macrocarpa
Hartw. ex George Gordon (botánico)

Tuia-holandesa, tuia-limão ou goldcrest é uma árvore conífera de pequeno porte com coloração de suas folhas variando entre verde-limão e dourado.[1][2] Apreciada em decorrência do aroma cítrico emitido por sua folhagem, é amplamente utilizada como planta decorativa em vasos e jardins.[2]

Por tolerar bem o plantio em vasos e não ser muito exigente quanto ao tipo de solo, é um vegetal bastante demandado para o paisagismo.[2] Contudo os vasos devem ser mantidos em locais ao alcance do Sol, pois estas plantas não toleram a ausência de luminosidade por longos períodos.[2]

Nomenclatura popular[editar | editar código-fonte]

Embora tenha a palavra holandesa em seu nome, na verdade esta tuia foi desenvolvida na Inglaterra, tendo como origem espécimes de um pinheiro californiano.[3] A denominação tuia-holandesa tem origem no fato de que agricultores holandeses foram os responsáveis pela introdução e início da comercialização dessa espécie em território brasileiro.[4][5]

A denominação tuia-limão é decorrente do agradável odor emitido pelas folhas deste pinheiro. Um aroma similar ao do limão-siciliano é emitido quando se esfrega as mãos entre suas folhas.[6]  

Já o nome Goldcrest tem origem na denominação dada em inglês para a variedade deste pinheiro.[7]

Características[editar | editar código-fonte]

As tuias-holandesas consistem, na verdade, em uma cultivar da cipreste Cupressus macrocarpa, a qual se apresenta muito distinta da planta originária, com porte mais compacto, odor mais marcante e folhas mais claras.[8]

O odor característico emanado por suas folhas está relacionado à presença de uma substância química denominada tuiona, a qual é produzida pela planta e armazenada em suas folhas.[9]

Detalhes das folhas da tuia holandesa

Embora originária de climas mais frios, essa planta se adaptou muito bem aos solos e climas do sul e sudeste brasileiro,[carece de fontes?] sendo muito fácil encontrá-la a venda plantada em vasos de tamanhos diferenciados, disponibilizados em floriculturas e até mesmo em supermercados.[4]

A reprodução é feita por meio de estaquia, em processo envolvendo a retirada de galhos de árvores grandes e sadias, enterrando-os em terra fértil, aguardando cerca de três meses até o surgimento das primeiras raízes.[10]

Na sequência do plantio, a fase de enraizamento da planta demanda cerca de seis meses. Após dois anos, atinge a altura de 40 cm. No terceiro ano o ritmo de crescimento aumenta e chega a 1,5 metro.[11] Sua altura máxima raramente ultrapassa cinco metros.[4] Esta planta aceita leves podas de formação, podendo ter seu tamanho limitado quando desejado.[12]

Trata-se de uma planta fácil de se manter, embora exija regas frequentes.[13] Sua demanda por luminosidade é intensa, devendo preferencialmente ser colocada em locais que recebam de 6 a 8 horas de Sol por dia.[2] O solo deve ser mantido úmido, recebendo água todos os dias, tomando-se o cuidado de não molhar suas folhas, para minimizar o risco de ocorrência de fungos prejudiciais ao vegetal.[14]

Usos[editar | editar código-fonte]

A tuia-holandesa é bastante utilizada em projetos paisagísticos envolvendo jardinagem e paisagismo.[5] Pela beleza da sua folhagem e formato compacto é adequada para plantio em pequenos jardins. Se deixada crescer livremente pode atingir 5 metros de altura, mas seu tamanho pode ser controlado por meio de podas.[carece de fontes?]

O aroma emitido por essa tuia é muito agradável, o que leva muitas pessoas a mantê-las em vasos. O cultivo em vasos é perfeitamente possível, mas ao longo do crescimento a planta deve ser transplantada para vasos maiores, capazes de acomodar suas raízes.[15] Para manutenção da saúde e melhor desenvolvimento desta planta, os vasos devem ser mantidos em locais com incidência direta de luz solar[15] e receber adubação frequente.[16]

No Brasil é muito popular utilizá-las como árvores de natal.[5][16] A maior produção de tuias holandesas no Brasil se situa na cidade paulista de Holambra, tendo como principal objetivo o abastecimento do mercado no período das festas natalinas.[17]

Referências

  1. «Tuia holandesa – Vivo Plantas». vivoplantas.com.br. Consultado em 6 de agosto de 2020 
  2. a b c d e «StackPath». www.gardeningknowhow.com. Consultado em 6 de agosto de 2020 
  3. no_name12 (12 de outubro de 2020). «Types of Cypress Trees: Bald Cypress, Lemon Cypress, and More». Leafy Place (em inglês). Consultado em 27 de janeiro de 2021 
  4. a b c «Folha de S.Paulo - Ornamentais: Tuia e miniárvore enfeitam o Natal - 30/11/1999». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 6 de agosto de 2020 
  5. a b c «As razões para escolher um pinheiro natural no Natal». Mundo Husqvarna. Consultado em 6 de agosto de 2020 
  6. «StackPath». www.gardeningknowhow.com. Consultado em 6 de agosto de 2020 
  7. «Hesperocyparis macrocarpa 'Goldcrest' (Lemon Cypress) | North Carolina Extension Gardener Plant Toolbox». plants.ces.ncsu.edu. Consultado em 29 de abril de 2021 
  8. «Cupressus macrocarpa: características, habitat, cultivo, cuidados». Maestrovirtuale.com. Consultado em 6 de agosto de 2020 
  9. Senna, Thais (21 de dezembro de 2016). «Tuia, a árvore da vida». Vamos Receber. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  10. «Tuias exigem cuidados | Gazeta Digital». Tuias exigem cuidados | Gazeta Digital. Consultado em 6 de agosto de 2020 
  11. «Tuia holandesa - Jardim de Flores». www.jardimdeflores.com.br. Consultado em 6 de agosto de 2020 
  12. «Tuia Holandesa - Cupressus macrocarpa». Flores e Folhagens. 14 de dezembro de 2015. Consultado em 6 de agosto de 2020 
  13. «Cupressus Goldcrest | Plantimex». plantimex.co.za. Consultado em 7 de agosto de 2020 
  14. Popular, Correio. «Árvores naturais são aposta certeira». Correio Popular. Consultado em 16 de abril de 2021 
  15. a b «Tuia Holandesa | CEASA Campinas». www.ceasacampinas.com.br. Consultado em 14 de agosto de 2020 
  16. a b Jornal, Bahia. «Mais natureza e menos plástico: árvore de Natal natural é alternativa elegante e sustentável para a decoração de fim de ano». Bahia Jornal. Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  17. «Tuia holandesa - Jardim de Flores». www.jardimdeflores.com.br. Consultado em 7 de agosto de 2020