Tupolev Tu-144

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tu-144
(OTAN: Charger)
Picto infobox aircraft.png
Descrição
Tipo / Missão Aeronave supersônica comercial
País de origem  União Soviética
Fabricante Tupolev OKB
Período de produção 1963-1983
Quantidade produzida 16 unidade(s)
Primeiro voo em 31 de dezembro de 1968 (47 anos)
Introduzido em 1 de novembro de 1977
Variantes
  • Tu-144S
  • Tu-144D
  • Tu-144LL
Tripulação 3
Passageiros 120 passageiro(s)
Número de classes 1 classe(s)
Especificações (Modelo: TU-144S)
Dimensões
Comprimento 65,70 m (216 ft)
Envergadura 28,80 m (94,5 ft)
Altura 12,55 m (41,2 ft)
Área das asas 506,35  (5 450 ft²)
Alongamento 1.6
Peso(s)
Peso vazio 91 800 kg (202 000 lb)
Peso máx. de decolagem 195 000 kg (430 000 lb)
Propulsão
Motor(es) 4 x turbojatos Kuznetsov NK-144A
Performance
Velocidade máxima 2 500 km/h (1 350 kn)
Velocidade de cruzeiro 2 200 km/h (1 190 kn)
Alcance (MTOW) 3 080 km (1 910 mi)
Teto máximo 20 000 m (65 600 ft)
Razão de subida 50 m/s
Notas
Dados de: tu144sst.com[1]

O Tupolev Tu-144 (designação NATO: Charger) é um avião supersônico construído pelo fabricante russo Tupolev. O primeiro voo de um protótipo do Tu-144 foi realizado em 31 de dezembro de 1968 perto de Moscou, dois meses antes que o Concorde. O Tu-144 cruzou por primeira vez a barreira do som a 5 de junho de 1969, e em 15 de julho de 1969 converteu-se no primeiro transporte comercial que excedeu o Mach 2. No ocidente, foi apelidado de Concordski, em referência ao Concorde.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro protótipo (CCCP-68001) voaria em dezembro de 1968. Porém o primeiro exemplar de pré-série (CCCP-77101) mostrou uma configuração um pouco diferente do protótipo. Durante o programa de testes, o avião atingiu Mach 1 (a velocidade do som) em junho de 1969, e superou, como primeiro avião comercial do mundo, a marca de Mach 2 (duas vezes a velocidade do som), em maio de 1970.

Na mostra aeronáutica de Paris, em 3 de junho de 1973, o programa de desenvolvimento do Tu-144 sofreu um severo revés com o acidente do primeiro Tu-144S.

Os testes em rota começaram a ser feitos pela Aeroflot em dezembro de 1975, na rota Moscou–Alma-Ata, no Cazaquistão, e em novembro de 1977 começaram os voos regulares entre as duas cidades, serviço que foi interrompido em junho de 1979 após um acidente com o primeiro TU-144D, ainda em fase de testes. Apenas dois exemplares efetuaram voos comerciais com passageiros: 77109 e 77110. No total, apenas 55 voos comerciais foram realizados, em um total de 3284 passageiros, ou seja, menos de 80 por vôo.[2] A utilização comercial do Tu-144S foi bastante prejudicada pelo seu pequeno alcance, já que o vôo supersônico exigia a utilização dos pós-queimadores em todo o percurso (ao contrário do Concorde, que os utilizava apenas na decolagem e aceleração inicial).

Até ao fim da produção foram construídos 16 aeronaves do modelo TU-144: Um protótipo (número 68001), um exemplar de pré-produção TU-144S (77101), nove exemplares TU-144S (77102-77110) e cinco TU-144D (77111-77115). Um sexto TU-144D (77116) permaneceu incompleto.[3]

No início dos anos 90, a empresa IBP Aerospace negociou um acordo com a NASA, Boeing, Tupolev e Rockwell para um programa denominado High Speed Commercial Research, com a intenção de projetar um supersônico de segunda geração. Em 1995, o TU-144D número 77114 passou por profundas modificações (a um custo estimado em US$ 350 milhões), incluíndo novos motores, e foi designado TU-144LL (LL sendo a abreviação para Letayuschaya Laboratoriya, Laboratório Voador em russo) 27 vôos foram realizados entre 1996 e 1997. O projeto foi considerado um sucesso técnico, mas foi interrompido por falta de fundos em 1999. Em 2001 o TU-144LL recebeu uma oferta de US$ 11 milhões em um leilão on-line, mas a operação não se concretizou porque o governo russo não autorizou a venda dos motores Kuznetsov NK-321, considerados segredo militar.

A capacidade máxima autorizada é de 167 passageiros, embora nenhuma unidade tenha sido configurada com essa capacidade, e, ao contrário do Concorde, utiliza 5 assentos por fileira. Externamente, o Tupolev Tu-144 é muito parecido com o Concorde — destacam-se no Tu-144 os canards (pequenas asas dianteiras) retráteis e o desenho de suas asas ter cortes retos.

Acidentes[editar | editar código-fonte]

No Show Aéreo de Paris em 3 de junho de 1973 o Tu-144 teve o seu primeiro acidente fatal. A aeronave foi a de número de série 01-2. Durante um movimento tentando erguer a aeronave, em potência máxima, a aproximadamente 600m de altitude, ela se instabilizou, fazendo com que o nariz se voltasse para baixo, e numa tentativa de reerguer a aeronave a asa esquerda partiu. A aeronave foi-se despedaçando até cair no solo e explodir. O acidente matou todos os 6 ocupantes e mais 8 em terra, ferindo ainda mais 16 pessoas e destruindo 15 casas.[4]

Em 23 de maio de 1978 um segundo acidente fatal ocorreu com o TU-144D número 77111. Durante um teste a ruptura de uma tubulação de combustível causou o vazamento de oito toneladas de combustível dentro da asa direita. O avião fez um pouso forçado em Yegoryevsk e foi destruído. Dois tripulantes morreram e seis ficaram feridos.[5][6]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento relacionado

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Tupolev Tu-144
Ícone de esboço Este artigo sobre um avião, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.