Turcologia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Difusão das línguas túrquicas

A turcologia é um conjunto de ciências humanas que reúne o estudo dos idiomas, história, literatura, folclore, cultura e etnologia dos povos turcos, os que falam línguas túrquicas. As primeiras informações etnológicas sobre as tribos túrquicas foram sistematizadas por volta do século XI pelo filólogo turco Mahmud al-Kashgari no Dīwān ul-Lughat it-Turk (dicionário de língua turca). Houve dicionários multilíngues redigidos em finais do século XIII para aplicações práticas no comércio internacional e na vida política: o Códex Cumânico Cumano-persa-latino-germânico e os dicionários armênio-quipchaque e russo-quipchaque.

Na Idade Média a turcologia foi centrada em torno dos estudos greco-bizantinos, por embaixadores, viajantes e geógrafos. Nos séculos XV-XVII o assunto principal da turcologia foi o estudo do Império Otomano e da língua turca, e das línguas turcas da Europa Oriental e da Ásia Ocidental. Em 1612 foi publicada uma gramática da Jerome Megizer, seguida em 1680 pela obra em quatro volumes Lexicon Turcico-Arabico-Persicum" de F. Mesgnin-Meninski. Exemplos mais recentes incluem o estudo das Inscrições de Orkhon, decifradas em 1893 pelo filólogo dinamarquês Vilhelm Thomsen e publicadas por Vasily Radlov, um etnologista russo nascido na Alemanha, fundador da moderna turcologia.[1]

Referências

  1. Poitou, Jacques (2010). «Ecriture de l'Orkhon». j.poitou.free.fr (em francês). Site langages / écritures / typographie. Consultado em 12 de janeiro de 2011. Cópia arquivada em 21 de setembro de 2010