Turismo em Chipre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A Pedra de Roma, onde, de acordo com a Teogonia de Hesíodo, a deusa Afrodite emergiu do mar.
Avakas Gorge em Akamas
Mapa topográfico de Chipre. Montes Troodos.
Praia de Protaras no verão
As praias de areia são frequentemente utilizadas como habitats para tartarugas-verdes.
A Pedra de Roma (fundo), com a Pedra Sarracena em primeiro plano
Praia Ayia Thekla

O turismo em Chipre ocupa uma posição dominante na economia.[1][2] Além disso, tem um impacto significativo na cultura de Chipre e no seu desenvolvimento multinacional/multicultural ao longo das décadas.[3][4] Em 2006, a indústria do turismo contribuiu com 10,7% do PIB que em termos reais gerou um total de US $ 5 445 milhões. No mesmo ano, o emprego total foi estimado em 113 mil empregos.[5] Com quase quatro milhões de chegadas de turistas por ano,[6] Chipre é o 40º destino mais popular do mundo.[7][8] No entanto, considerando o número de turistas per capita em relação a população local, ocupa o 6º lugar.[9] Chipre é membro de pleno direito da Organização Mundial de Turismo desde 1975.[10]

História[editar | editar código-fonte]

Varosha, Famagusta era um dos destinos mais populares de Chipre e um dos destinos mais populares do mundo até a invasão turca de Chipre em 1974.[11]

Chegadas por país[editar | editar código-fonte]

A Europa representa o destino mais comum das chegadas de turistas. Mais de 80% dos visitantes vêm do norte, oeste e leste da Europa, enquanto os turistas britânicos continuam sendo os mais tradicionais. Vários fatores contribuem para isso, incluindo o inglês amplamente falado, bem como as ligações tradicionais do colonialismo britânico e a presença de bases militares britânicas em Acrotíri e Deceleia. A desaceleração da economia britânica no final dos anos 2000 refletiu-se em uma queda na chegada de turista, destacando a dependência excessiva da indústria turística de Chipre de um só país.[12] Em 2009, esforços estavam em andamento para aumentar o número de chegadas de turistas de outros países. Notavelmente, e em linha com os mais recentes desenvolvimentos geopolíticos, o segundo maior segmento são os turistas russos – um segmento que deverá aumentar ainda mais.[13][14][15]

O número total de turistas em Chipre em 2018 foi de 3 938 625. A maioria dos visitantes que chegam em Chipre por curto prazo eram dos seguintes países:[16]

Posição País 2016 2017 2018
1  Reino Unido 1 157 978 Aumento 1 253 839 Aumento 1 327 805
2  Rússia 781 634 Aumento 824 494 Baixa 783 631
3  Israel 148 739 Aumento 261 966 Baixa 232 561
4  Alemanha 124 030 Aumento 188 826 Aumento 189 200
5  Grécia 160 254 Aumento 169 712 Aumento 186 370
6  Suécia 115 019 Aumento 136 725 Aumento 153 769
7  Polónia 42 683 Aumento 56 665 Aumento 89 508
8  Suíça ( e Liechtenstein) 46 602 Aumento 57 540 Aumento 74 216
9  Ucrânia 62 292 Baixa 48 190 Aumento 69 619
10  Roménia 28 741 Aumento 49 304 Aumento 66 969

Competitividade[editar | editar código-fonte]

De acordo com o Relatório de Competitividade em Viagens e Turismo de 2013 do Fórum Econômico Mundial, a indústria do turismo de Chipre está em 29º lugar no mundo em termos de competitividade geral. Em termos de infraestrutura turística, em relação à indústria do turismo, Chipre ocupa o primeiro lugar no mundo.[17] Com algumas das praias mais populares e limpas da Europa,[18][19] grande parte da indústria turística depende do "sol do mar e da areia" para atrair turistas.[20] Isso se reflete na distribuição sazonal de chegadas de turistas, com um número desproporcional de chegadas durante os meses de verão em relação ao inverno.[21]

Investimento[editar | editar código-fonte]

O relatório do Conselho Mundial de Viagens e Turismo de 2016 sobre a ilha descreve que o investimento total na indústria de viagens e turismo em 2015 foi de 273,7 milhões de euros, ou 14,0% do investimento total. Projeta um aumento de 5,3% em 2016 e 2,9% nos próximos dez anos para 384,6 milhões de euros em 2026.[22]

Bandeiras azuis[editar | editar código-fonte]

De acordo com o último relatório da KPMG, Chipre tem a concentração mais densa de praias com bandeira azul, das quais a maioria na parte oriental, o maior número de praias com bandeira azul por litoral e o maior número de bandeiras azuis per capita do mundo.[23]

Idioma e serviço[editar | editar código-fonte]

O inglês é a língua universal, já que a ilha tem uma visão internacional.[24] O francês e o alemão também são bem falados na indústria do turismo.[25] O grego e o turco continuam a ser as principais línguas faladas pelas comunidades cipriota grega e cipriota turca, respetivamente.[26]

Pessoal e educação[editar | editar código-fonte]

Em 2012, o Eurostat informou que Chipre é o país com a maior escolaridade da Europa, depois da Irlanda, uma vez que 49,9% dos residentes de Chipre têm diploma.[27] Em 2013, apenas três outros Estados-Membros da UE investiram mais fundos públicos na educação do que Chipre, medido pela percentagem do PIB (6,5% em comparação com uma média de 5,0% da UE).[28]

Organização de Turismo de Chipre[editar | editar código-fonte]

A Organização de Turismo de Chipre (em inglês: Cyprus Tourism Organisation), geralmente abreviada para CTO e conhecida como KOT em grego, era uma organização semigovernamental encarregada de supervisionar as práticas da indústria e promover a ilha como destino turístico no exterior. Em 2007, a CTO gastou cerca de € 20 milhões em promoção.[29] Em 2019, a CTO foi substituída por um ministério do governo, o Vice-Ministério do Turismo, que assumiu os ativos e responsabilidades da CTO.[30]

Notas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Cyprus Travel & Tourism - Climbing to new heights.» (PDF). Accenture. World Travel and Tourism Council. 2006. Consultado em 2 de março de 2007. Arquivado do original (PDF) em 12 de fevereiro de 2012 
  2. «Cyprus Profile: Cruising to Growth». www.cyprusprofile.com (em inglês). Consultado em 9 de novembro de 2020 
  3. Ayres, Ron (1 de janeiro de 2000). «Tourism as a passport to development in small states: reflections on Cyprus». International Journal of Social Economics. 27 (2): 114–133. ISSN 0306-8293. doi:10.1108/03068290010308992 
  4. «Opening the vault of tourism in Cyprus» (PDF). PwC Cyprus team. Julho de 2013 
  5. «Cyprus – Tourism – Asppen Overseas» (em inglês). Consultado em 9 de novembro de 2020 
  6. «Historic number of tourist arrivals in 2018 with 3.93m visitors». 17 de janeiro de 2019 
  7. «Moody's: Cypriot banks benefit from strong tourism in 2016». www.cna.org.cy. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  8. Christou, Jean. «CTO eyes nearly three million tourists in 2016 | Cyprus Mail». Cyprus mail (em inglês). Consultado em 9 de novembro de 2020 
  9. «Economy Statistics - Tourist arrivals (per capita) (most recent) by country». Nationmaster. Consultado em 29 de janeiro de 2010 
  10. «UNWTO member states». World Tourism Organization (UNWTO). Consultado em 2 de março de 2007. Arquivado do original em 20 de junho de 2006 
  11. shalw (31 de julho de 2020). «The abandoned town in Cyprus where celebrities used to frolic». Sound Health and Lasting Wealth (em inglês). Consultado em 9 de novembro de 2020 
  12. «Cyprus taps new markets amid decline in tourist arrivals». Xinhua. 23 de março de 2009. Consultado em 23 de março de 2009 
  13. «SigmaLive: Russian tourism: Cyprus and Greece in top choices». www.sigmalive.com. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  14. «Russian Tourism: Increase in Demand for Holidays in Cyprus and Greece». www.goldnews.com.cy. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  15. «Why do Russians choose Cyprus? | Cyprus Inorm | Cyprus inform». www.kiprinform.com. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  16. «Statistical Service - Services - Tourism - Key Figures». www.mof.gov.cy. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  17. «Travel and Tourism Competitiveness Index». World Economic Forum. 2011. Consultado em 1 de junho de 2011 
  18. «Revealed: Europe's best beach getaways». The Independent. London. 5 de abril de 2011 
  19. «EU bathing water continues to improve, says report». BBC News. 21 de maio de 2013 
  20. Habegger, Larry (10 de junho de 2007). «World Watch - European Clean Beaches». Chicago Tribune. Consultado em 11 de junho de 2007 [ligação inativa] 
  21. «Cyprus Tourism GP Citizenship». www.gp-citizenship.com. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  22. «World Travel and Tourism Council: Travel & Tourism - Economic Impact 2016 Cyprus. Documents download module». ec.europa.eu. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  23. «Insights - KPMG Cyprus». KPMG (em inglês). 4 de novembro de 2020. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  24. «Cyprus: Important Phrases - Tripadvisor». www.tripadvisor.com (em inglês). Consultado em 9 de novembro de 2020 
  25. «The Cypriot language | Cyprus Inorm | Cyprus inform». www.kiprinform.com. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  26. Hadjioannou, Xenia; Tsiplakou, Stavroula; Kappler, with a contribution by Matthias (1 de novembro de 2011). «Language policy and language planning in Cyprus». Current Issues in Language Planning. 12 (4): 503–569. ISSN 1466-4208. doi:10.1080/14664208.2011.629113 
  27. «Ireland the most educated country in EU, says Eurostat». University World News. Consultado em 9 de novembro de 2020 
  28. «Education and Training». Education and Training - European Commission (em inglês). Consultado em 9 de novembro de 2020 
  29. «Cyprus to spend a mere EUR 20 mln to promote tourism in 2008». Financial Mirror. 17 de agosto de 2007. Consultado em 19 de agosto de 2007. Cópia arquivada em 28 de setembro de 2007 
  30. «how many tourists visited cyprus in 2019». www.calcautomacao.com.br. Consultado em 9 de novembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Turismo em Chipre
Wikivoyage
O Wikivoyage possui o guia Chipre


Bandeira de Chipre Chipre
Bandeira • Brasão • Hino • Cultura • Economia • Geografia • História • Portal • Subdivisões • Imagens