Turismo religioso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Turismo religioso é um segmento de mercado do turismo, o qual difere dos demais porque tem como motivação fundamental a fé das pessoas. Está, portanto, ligado profundamente ao calendário de acontecimentos religiosos (procissões, romarias, entre outros) das localidades receptoras dos fluxos turísticos.

É comum chamar-se peregrinação a cada viagem de turismo religioso.

A nível mundial, o turismo religioso movimenta entre 300 e 330 milhões de pessoas por ano, gerando receitas de 15 a 18 mil milhões de euros.[1]

História[editar | editar código-fonte]

No século IV A.D., Helena de Constantinopla, mãe do imperador romano Constantino, peregrinou para Jerusalém e descobriu o local da crucificação e os vestígios da cruz original.[2] As Cruzadas foram também uma longa expedição cristã à Terra Santa.[2]

Lugares santos[editar | editar código-fonte]

Alguns destinos de turismo religioso no Brasil[editar | editar código-fonte]

A Basílica de Nossa Senhora Aparecida, no município de Aparecida, em São Paulo, está entre os principais destinos religiosos do Brasil.[3]
  • Bahia

Salvador (Santuário da Beata Irmã Dulce dos Pobres, inúmeras igrejas históricas)

  • Ceará

Juazeiro do Norte (Padre Cícero)

  • Goiás

Trindade (Santuário do Divino Pai Eterno)

  • Minas Gerais

Caeté (Santuário Nossa Senhora da Piedade), Congonhas do Campo (Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos), Monte Sião (Santuário da Medalha Milagrosa), Catas Altas (Santuário do Caraça), igrejas históricas em Ouro Preto, Sabará, São João Del Rei e muitas outras cidades

  • Pará

Belém (Festa do Círio de Nazaré, Basilica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré)

  • Santa Catarina

Nova Trento (Santuário de Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus)

  • Rio Grande do Sul

Farroupilha (Santuário de Nossa Senhora de Caravágio)

  • São Paulo

Aparecida (Basílica Santuário Nacional de Nossa Senhora da Conceição Aparecida), Cachoeira Paulista (sede da comunidade católica Canção Nova, Santuário da Santa Cabeça), Campinas (Santuário de Nossa Senhora das Lágrimas), Guaratinguetá (terra natal de Santo Antonio de Santana Galvão, o Frei Galvão), São Paulo (Catedral da Sé, Mosteiro de São Bento, túmulo de Frei Galvão, túmulo de Madre Paulina), Pirapora do Bom Jesus

Templo de Salomão - Com média de 400 mil visitantes por mês, a sede da Igreja Universal do Reino de Deus já recebe mais pessoas do que a Basílica Santuário Nosso Senhor do Bonfim, em Salvador; e as cidades de Juazeiro do Norte (CE) e Bom Jesus da Lapa (BA). O número também é superior ao de turistas que passam pelo Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, calculado em cerca de 3 milhões por ano.

Em Portugal[editar | editar código-fonte]

Em Portugal, o Santuário de Nossa Senhora de Fátima (incluindo os lugares da Cova da Iria, Valinhos e Aljustrel) é o principal destino turístico religioso, contando com cerca de seis milhões de visitantes por ano, a larga distância dos restantes principais locais, quase todos na zona Norte.[4]

Por sua vez, o Santuário do Bom Jesus do Monte e o Santuário do Sameiro, ambos em Braga, e o Santuário de São Bento da Porta Aberta, no Gerês, surgem depois na lista dos locais religiosos mais visitados, com cerca de um milhão de turistas por ano, acompanhados muito de perto pelo Santuário Nacional de Cristo Rei, em Almada, o Santuário do Sagrado Coração de Jesus (ou Bom Pastor), em Ermesinde, e do Santuário da Beata Alexandrina, em Balazar.

Outros locais ligados à religião com um número significativo de visitantes são o Santuário da Senhora da Penha, em Guimarães, o Mosteiro da Batalha, o Santuário de Nossa Senhora da Nazaré, o Santuário de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa, o Convento de Mafra, e o Mosteiro dos Jerónimos, este último já situado em Lisboa.[5]

Referências

  1. HENRIQUES, Ana Carolina Rolo dos Santos Afonso - No princípio estava o mar : Peniche : o património cultural, o turismo e o mar. Coimbra : [s.n.], 2010
  2. a b «Walking in the Footsteps of Jesus» (em inglês). Slate. 18 de janeiro de 2008. Consultado em 19 de julho de 2011. In the early fourth century A.D., Queen Helena, the mother of the Emperor Constantine, took a pilgrimage to Jerusalem and discovered the site of the crucifixion and the remains of the true cross (and maybe the tomb of Adam, too). [...] What were the Crusades if not a very long Christian tour of the Holy Land, complete with bad food and hostile innkeepers? 
  3. Mauricio Tonetto (30 de agosto de 2014). «Templo evangélico em SP é um dos maiores do mundo; veja lista». ZH Notícias. Consultado em 7 de março de 2016 
  4. «Religião movimenta 330 milhões de turistas por ano e seis milhões vão a Fátima». Diário de Notícias. 19 de fevereiro de 2017. Consultado em 19 de fevereiro de 2017 
  5. HENRIQUES, Ana Carolina Rolo dos Santos Afonso - No princípio estava o mar : Peniche : o património cultural, o turismo e o mar. Coimbra : [s.n.], 2010

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]