Typecasting (atuação)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Na televisão, no cinema e no teatro, typecasting é o termo em inglês que designa o processo pelo qual um determinado ator torna-se fortemente identificado com um determinado personagem; um ou mais papéis específicos, ou personagens com as mesmas características, ou com determinado classes sociais ou grupos étnicos. Há casos nos quais determinado ator torna-se tão fortemente identificado com certo papel que fica muito difícil encontrar trabalhos para atuar com outros tipos de personagens.

Como alternativa, um diretor pode escolher elencar um ator "contra o tipo" (i.é., em um papel que seria incomum para que o ator, para criar um efeito dramático ou cômico). O typecasting também ocorre em outras artes cênicas. Um cantor ou uma cantora de ópera que tenha feito grande sucesso em determinado papel, como Denyce Graves como Carmen, pode tornar-se marcado ou marcada nesse papel.

Com personagens[editar | editar código-fonte]

Um ator é às vezes tão fortemente identificado com o papel que isso torna difícil para eles encontrarem trabalhos interpretando outros personagens. É especialmente comum entre os protagonistas nas séries de televisão e nos filmes.

Star Trek[editar | editar código-fonte]

Um exemplo está no elenco da série original de Star Trek. Durante a exibição original entre 1966 e 1969, William Shatner foi o ator mais bem pago: $5000 por episódio ($38000 atualmente), com Leonard Nimoy e os demais atores recebendo muito menos.[1] Entretanto, a mídia previu que Nimoy alcançaria o estrelato após o fim da série,[2] e James Doohan teve a expectativa de que aparecer numa série da NBC ajudar em sua carreira pós-Star Trek.[3]

Mas a série marcou tanto os atores, que logo em março de 1970, Nichelle Nichols queixou-se de Star Trek tê-la "definido tão estreitamente como atriz"[4]—que só Shatner e Nimoy continuaram a trabalhar de forma constante durante a década de 1970, e até mesmo o trabalho destes recebeu pouca atenção, a menos que fosse relacionado a Star Trek. Outras fontes de renda vinham da participação em convenções de Star Trek, frequentadas pelos fãs, denominados Trekkies; em 1978, DeForest Kelley, por exemplo, ganhou $50.000 ($ 188000 hoje) naquele ano.[5] As últimas produções da série terminaram em 1971,[6] mas, em 1979, no primeiro de seis filmes estrelando todo o elenco fez com Kelley recebesse $1 milhão para o filme, Star Trek VI: The Undiscovered Country (1991).

A revista Parade afirmou sobre o elenco, em 1978, que "[eles] perderam o controle de sua vida no momento em que pisaram na ponte de comando da nave de faz-de-conta USS Enterprise - em 1966". Ser profundamente identificado com um papel[7] deixou o elenco da série com um misto de emoções: Shatner chamou-a de "incrível e enfadonha" e Walter Koenig chamou de "bittersweet" (um misto de doçura e amargura), mas admitiu que há "uma certa imortalidade em ser associado a Star Trek".

Alguns dos atores da Next Generation também ficaram marcados. Patrick Stewart lembrou que um "distinto diretor de Hollywood com o qual eu quis trabalhar me disse: 'por que eu iria querer o Capitão Picard no meu filme?' Isto foi doloroso".[8] O seu mais proeminente papel não relacionado a Star Trek foi Professor Xavier da série de filmes X-Men, compartilhava semelhanças com Jean-Luc Picard. Stewart afirmou que "eu não tenho uma carreira no cinema. Eu tenho uma carreira de franquia"; ele continua a trabalhar no palco como um ator shakespeariano. No entanto, The Next Generation tinha uma das maiores rendas de seu tempo,[9] e o elenco se tornou muito rico.[10][11] Jonathan Frakes afirmou que "é melhor ser estigmatizado em determinado papel do não ser elencado."[12] Michael Dorn disse em 1991, "se o que aconteceu ao primeiro elenco é ser estigmatizado, então eu quero ser estigmatizado. Claro, eles não conseguiram outros trabalhos depois de 'Star Trek'. Mas eles estão fazendo o sexto filme. Nomeie-me alguém na televisão, que tenha feito seis filmes!"[13]

Outros exemplos[editar | editar código-fonte]

Daniel Radcliffe ficou estigmatizado como Harry Potter, uma vez que ele desempenhou o papel do protagonista em todos os oito filmes da franquia. Radcliffe foi confrontado com duas transições, a primeira de ator infantil a ator adulto e a segunda do estigma da associação a Harry Potter à interpretação de outros personagens.[14]

Personagens históricos[editar | editar código-fonte]

O ator soviético Mikheil Gelovani interpretou Josef Stálin, em 12 filmes feitos durante o período de vida do líder, dentre eles A Grande Aurora (1938), Lênin em 1918 (1939), O Juramento (1946), A Queda de Berlim (1950) e O Inesquecível Ano de 1919 (1952) - que refletiam o seu culto de personalidade; os filmes foram banidos ou tiveram as cenas com Stálin removidas após o Discurso Secreto de 1956. Após a morte de Stálin, a Gelovani foram negados novos papéis, uma vez que ele passara a estar profundamente identificado com o finado líder.[15] De acordo com O Livro Guinness de Fatos e Feitos de Filmes, Gelovani tinha provavelmente interpretado o mesmo personagem histórico mais vezes do que qualquer outro ator.[16] O colunista do Die Zeit, Andreas Kilb escreveu que ele terminou sua vida "um lamentável Kagemusha" da imagem de Stálin.[17]

Atuação conforme o tipo[editar | editar código-fonte]

Alguns atores aceitam de braços abertos o typecasting. Os fãs sempre esperam um determinado ator para interpretar certo "tipo", e os papéis que se desviam daquilo que é esperado podem ser fracassos de bilheteria. Este benéfico typecasting é particularmente comum em filmes de ação (por exemplo, Jackie Chan, Jet Li, Steven Seagal, Vin Diesel, Jean-Claude Van Damme, Sylvester Stallone, Arnold Schwarzenegger) e comédias (Charlie Chaplin, Adam Sandler, Chris Rock, Julia Roberts), mas muito menos comum em papéis dramáticos, apesar de muitos "filmes B" e "C" terem atores marcados por determinado tipo de papel.

Atuação contra o tipo[editar | editar código-fonte]

Alguns atores tentam escapar ao typecasting escolhendo papéis que são opostos aos papéis pelos quais eles são conhecidos; como alternativa, um diretor pode escolher elencar um ator em um papel incomum para criar um efeito dramático ou cômico. Exemplos notáveis incluem:

Referências

  1. Rioux, Terry Lee. From Sawdust to Stardust: The Biography of DeForest Kelley, Star Trek's Dr. McCoy. [S.l.: s.n.] ISBN 0-7434-5762-5 
  2. «Mr. Spock's Trek To Stardom» 
  3. «'Star Trek' Ace Is Former Pilot» 
  4. «Star Trek Player Nichelle Nichols Performing Here Tonight, Saturday» 
  5. «A Visit to Star Trek's Movie Launch» 
  6. «'Trekkers' keeping TV series out of this World». Boca Raton News 
  7. «TV VIEW; THE 'STAR TREK' CURSE: A LIFETIME STARFLEET COMMISSION» 
  8. «Patrick Stewart can't wait for Chichester role» 
  9. Vogel, Harold L. Entertainment Industry Economics: A Guide for Financial Analysis. [S.l.: s.n.] ISBN 0-521-87485-8 
  10. «In Step With: Patrick Stewart» 
  11. «Patrick Stewart: Keep on Trekkin'» 
  12. «Jonathan Frakes - The Next Generation's Number One, Will Riker, and Trek director» 
  13. «How Gene Roddenberry and his Brain Trust Have Boldly Taken 'Star Trek' Where No TV Series Has Gone Before : Trekking to the Top» [ligação inativa] 
  14. «How Daniel Radcliffe Killed Harry Potter and Found 'What If'» (em inglês) 
  15. «Mikhail Gelovani: One-Role Actor». Soviet Film. 9. ISSN 0201-8373 
  16. Robertson, Patrick. The Guinness Book of Movie Facts & Feats. [S.l.: s.n.] ISBN 9781558592360 . Page 105.
  17. «Die Meister des Abgesangs» [The Masters of the Swan Song]. zeit.de (em German) 
  18. http://www.filmnoirblonde.com/billy-wilder-on-barbara-stanwycks-double-indemnity-wig-her-wonderful-brain-casting-fred-macmurray/
  19. «Top 25 Greatest Villains - Henry Fonda as Frank». Time 
  20. Salisbury, Mark; Tim Burton. «Batman». Burton on Burton. [S.l.: s.n.] ISBN 0-571-22926-3 
  21. Vilões da Antiga Detroit. Featurette. 2007, RoboCop 20º Aniversário de DVD.
  22. «EMMYS Q&A: Matthew McConaughey On Following Oscar With The Game-Changing HBO Series 'Detective'» 
  23. a b c d e f http://www.denofgeek.com/uk/movies/actors/41250/15-actors-who-magnificently-played-against-type
  24. «Cannes Film Review: 'The Meyerowitz Stories (New and Selected)'». Variety 
  25. «Top 25 Greatest Villains - Henry Fonda as Frank». Time