UCI ProTour de 2009

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O UCI ProTour de 2009 foi a quinta edição do sistema UCI ProTour, no qual as equipas UCI ProTeam (primeira categoria) tiveram garantida e obrigada a participação em todas as carreiras com dita denominação de UCI ProTour.

Nesta edição apesar de que as carreiras organizadas pelas Grandes Voltas continuavam sem estar no ProTour se entraram num calendário global da UCI chamado UCI World Calendar, com a denominação de Carreiras Históricas[1] sendo nesse caso a participação não obrigatória e dada mediante convite ainda que com preferência para as equipas ProTour. Devido a esta união desapareceu a classificação ProTour surgindo a classificação UCI World Ranking. Com o que a partir desta edição o ProTour se converteu em "simplesmente" uma forma de definir às equipas de primeira categoria (equipas ProTeam) com as carreiras de máximo nível associadadas à UCI (carreiras ProTour).

Equipas (18)[editar | editar código-fonte]

Estas equipas tiveram garantida e obrigada a sua participação nas 14 carreiras UCI ProTour e opcional, por convite ainda que com preferência, no resto das 10 carreiras UCI World Calendar.

Código
UCI
Equipa Nº de carreiras do UCI World Calendar
nas que têm participado
ALM França Ag2r-La Mondiale 24 (todas)
AST Cazaquistão Astana 24 (todas)
BBO França Bbox Bouygues Telecom 24 (todas)
GCE Espanha Caisse d'Epargne 24 (todas)
COF França Cofidis, le Crédit en Ligne 23
EUS Espanha Euskaltel-Euskadi 23
FDJ França Française des Jeux 23
FUJ Espanha Fuji-Servetto 19
GRM Estados Unidos Garmin-Slipstream 24 (todas)
LAM Itália Lampre-NGC 24 (todas)
LIQ Itália Liquigas 24 (todas)
QST Bélgica Quick Step 24 (todas)
RAB Países Baixos Rabobank 24 (todas)
SIL Bélgica Silence-Lotto 24 (todas)
THR Estados Unidos Team Columbia-HTC 24 (todas)
KAT Rússia Team Katusha 23
MRM Alemanha Team Milram 24 (todas)
SAX Dinamarca Team Saxo Bank 24 (todas)

Ademais, como vem sendo habitual, também participaram combinados nacionais (com corredores de equipas dos Circuitos Continentais da UCI) nas carreiras UCI ProTour de países com pouca tradição ciclista que foram o Tour Down Under (selecção chamada UniSA-Australia) e a Volta à Polónia (selecção chamada Team Poland Bank BGŻ), que só tiveram uma permissão especial para correr nessas carreiras mais especificamente.[2] Essas participações produziram-se sem que os corredores de ditas selecções pudessem aspirar a obter pontuação (nem obviamente essa selecção nem a equipa oficial do corredor).[3] Essas carreiras com essas selecções foram as únicas excepções nas que se permitiu correr a corredores sem passaporte biológico já que algum dos seleccionados não estavam em equipas aderidas a dito passaporte.[4]

Carreiras (14)[editar | editar código-fonte]

Para a.C.rreiras Históricas, veja-se Carreiras Históricas 2009

Data[1] Carreira[1] Vencedor[5] Equipa do vencedor[5]
20-25 de janeiro Austrália Tour Down Under Austrália Allan Davis Quick Step
5 de abril Bélgica Volta à Flandres Bélgica Stijn Devolder Quick Step
6-11 de abril Espanha Volta ao País Basco Espanha Alberto Contador Astana
8 de abril Bélgica Gante-Wevelgem Noruega Edvald Boasson Hagen Columbia
19 de abril Países Baixos Amstel Gold Race Rússia Serguéi Ivanov Katusha
28 de abril-2 de maio Suíça Volta à Romandia República Checa Roman Kreuziger Liquigas
18-24 de maio Espanha Volta à Catalunha Espanha Alejandro Valverde Caisse d'Epargne
7-14 de junho França Critérium du Dauphiné Libéré Espanha Alejandro Valverde Caisse d'Epargne
13-21 de junho Suíça Volta à Suíça Suíça Fabian Cancellara Saxo Bank
1 de agosto Espanha Clássica de São Sebastião Espanha Carlos Barredo Quick Step
2-8 de agosto Polónia Volta à Polónia Itália Alessandro Ballan Lampre
16 de agosto Alemanha Vattenfall Cyclassics Flag of the United States.svg Tyler Farrar Garmin Slipstream
19-26 de agosto Luxemburgo Eneco Tour Noruega Edvald Boasson Hagen Columbia-HTC
23 de agosto França G. P. Plouay Austrália Simon Gerrans Cervélo

Polémico précalendário[editar | editar código-fonte]

Ver também: Disputa entre a UCI e os organizadores das Grandes Voltas

Das carreiras que estavam no précalendário mas finalmente não se incluíram no calendário definitivo destaca a da Volta à Alemanha que não se disputou, devido aos numerosos casos de dopagem no ciclismo, segundo informou a organização, a 17 de outubro de 2008 num comunicado oficial[6] (que devia se disputar em setembro). Assim mesmo, teve carreiras inovadoras que estiveram nesse précalendário mas que finalmente também não se incluíram no calendário ProTour, foram: Prova na África do Sul (do 9 ao 6 de março), Prova na Rússia (do 11 ao 17 de maio), Prova na China (do 26 ao 31 de maio), Campeonato do Mundo de Ciclismo em Estrada (que nesse précalendário pontuava e devia se disputar em agosto) e Prova Final (que estava como incógnita).[7]

Esta tentativa de introdução de provas "exóticas" sem história nem tradição foi vista por muitos como uma tentativa de torpedear as carreiras organizadas pelas Grandes Voltas, que se somou à dúvida das equipas da conveniência de ter licença ProTour se não tinham assegurada a sua presença em muitas grandes carreiras[8] ao mesmo tempo que tinham que fazer grandes viagens para disputar carreiras com pouco interesse comercial para seus interesses. Depois de muitas dúvidas e reuniões e a pouco de se iniciar a temporada (em janeiro de 2009) finalmente se chegou a um acordo e a UCI retirou essas provas inovadoras e as Grandes Voltas acederam a criar um ranking e calendário comum.[9]

Por isso se acrescentaram provas tradicionais e com história que já estavam no calendário passado do ProTour como o Eneco Tour do Benelux[10] e a Vattenfall Cyclassics (que no précalendário estavam como incógnitas); e sobretudo com a inclusão da Amstel Gold Race, a Dauphiné Libéré e o Grande Prêmio de Plouay.[11] Enquanto, as carreiras organizadas pelos organizadores das Grandes Voltas também entraram no calendário de máxima categoria da UCI mas dentro do grupo denominado Carreiras Históricas.

Classificações[editar | editar código-fonte]

Veja-se: Classificações do UCI World Ranking de 2009

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c UCI (ed.). «2008 - 2009 UCI Road Calendar-Men Elite-World» (em inglês). Consultado em 16 de março de 2009 
  2. UCI (ed.). «UCI CYCLING REGULATIONS-(version on 24.07.09)-PART 2 ROAD RACES-Chapter I CALENDAR AND PARTICIPATION-2.1.005 International races and participation» (em inglês). Consultado em 18 de outubro de 2009. Cópia arquivada em 9 de maio de 2010 
  3. UCI (ed.). «UCI CYCLING REGULATIONS-(version on 24.07.09)-PART 2 ROAD RACES-Chapter X UCI WORLD RANKING (chapter replaced on 1.01.09)-Individual classification-2.10.002» (em inglês). Consultado em 18 de outubro de 2009. Cópia arquivada em 9 de maio de 2010 
  4. «As ambições chinesas do ciclismo-Desenvolvimento do ciclismo asiático». Consultado em 15 de novembro de 2012. Cópia arquivada em 15 de novembro de 2012 
  5. a b «2009 UCI World Calendar - Results». Consultado em 13 de junho de 2011. Cópia arquivada em 13 de junho de 2011 
  6. esciclismo.com, ed. (17 de outubro de 2008). «A Volta a Alemanha não disputar-se-á em 2009 pelos casos de dopaje». Consultado em 13 de setembro de 2009 
  7. Diário Basco (ed.). «A Volta ao País Basco manterá datas e formato». Consultado em 20 de outubro de 2009 
  8. Marca (ed.). «Os 17 equipas do Tour renunciam à licença ProTour». Consultado em 13 de novembro de 2009 
  9. El Mundo (ed.). «Fim do conflito entre a UCI e os organizadores das grandes voltas». Consultado em 20 de outubro de 2009 
  10. Marca (ed.). «A Volta ao Benelux renova 4 anos no calendário Pró Tour». Consultado em 20 de outubro de 2009 
  11. UCI (ed.). «2008 - 2009 UCI Road Calendar-Men Elite-World». Consultado em 20 de outubro de 2009. Cópia arquivada em 1 de agosto de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]