UCI WorldTeam

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

UCI World Team (em ocasiões também UCI Pro Team, ou simplesmente Pro Team) é o termo utilizado desde 2005 pela União Ciclista Internacional (UCI) para denominar a um equipa ciclista da máxima categoria do ciclismo em estrada masculino a nível mundial. Abaixo encontram-se as equipas de categoria Profissional Continental e Continental, considerados o segundo e terceiro degrau do profissionalismo respectivamente.

Dentro da reestruturação empreendida pela UCI para 2005 e anos posteriores, decidiu-se criar uma categoria que albergasse às melhores equipas do mundo (os UCI Pro Teams) que teriam a participação garantida e obrigatória nas melhores carreiras do calendário, agrupadas a sua vez numa nova competição denominada UCI Pro Tour. Em anos sucessivos o sistema de competição sofreu diversas modificações, desembocando no actual UCI World Tour (desde 2011), ainda que no relativo à categoria das equipas o organismo federativo considera-o um contínuo.

As primeiras 3 temporadas do UCI Pro Tour (2005-2007) as equipas nesta categoria eram 20, número que se reduziu a partir de 2008 a 18 equipas excepto nas temporadas 2013 e 2015 em que teve 19 e 17 equipas respectivamente. Estas esquadras estão obrigadas a participar em todas as corridas do WorldTour, ainda que podem participar também em corridas dos cinco Circuitos Continentais.

Equipas[editar | editar código-fonte]

Para a temporada de 2022 as equipas UCI World Team são 18, menos uma que a edição anterior (Team Qhubeka NextHash que não obteve licença).

Código UCI Nome País Anos Pro Team Licença até
ACT
AG2R Citroën Team  França
2006-2022
2022
AST
Astana Qazaqstan Team Cazaquistão
2007-2022
2022
TBV
Bahrain Victorious  Bahrein
2018-2022
2022
BOH
Bora-Hansgrohe  Alemanha
2017-2022
2022
COF
Cofidis  França
2005-2009, 2021-2022
2022
EFE
EF Education-EasyPost  Estados Unidos
2009-2022
2022
GFC
Groupama-FDJ  França
2005-2010, 2012-2022
2022
IGD
INEOS Grenadiers  Reino Unido
2011-2022
2022
IWG
Intermarché-Wanty-Gobert Matériaux  Bélgica
2021-2022
2022
IPT
Israel-Premier Tech  Israel
2020-2022
2022
TJV
Jumbo-Visma  Países Baixos
2005-2022
2022
LTS
Lotto-Soudal  Bélgica
2005-2022
2022
MOV
Movistar Team Flag of Spain.svg Espanha
2005-2022
2022
QST
Quick-Step Alpha Vinyl Team  Bélgica
2005-2022
2022
BEX
Team BikeExchange  Austrália
2012-2022
2022
DSM
Team DSM  Países Baixos
2013-2022
2022
TFS
Trek-Segafredo  Estados Unidos
2011-2022
2022
UAD
UAE Team Emirates  Emirados Árabes Unidos
2005-2022
2022

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Até 2004 a UCI classificava as equipas por divisões (Primeira, Segunda e Terceira) em função de seus resultados. As primeiras equipas da máxima categoria costumavam ter garantida sua participação nas melhores competições, como a Volta a França, enquanto o resto ficavam a expensas de obter alguma dos convites dos organizadores.

Concessão de licenças[editar | editar código-fonte]

É a UCI (mais especificamente, a sua Comissão de Licenças) quem decide a que equipas concede uma licença Pro Team, bem como por quantos anos. Os critérios seguidos para a sua concessão têm variado ao longo dos anos e são fonte de controvérsia.

Sistema actual[editar | editar código-fonte]

Na actualidade o organismo realiza um ranking do mérito desportivo segundo uma série de pontos de mérito colectivos (da equipa) e individuais (a soma dos pontos de mérito acumulados nas duas temporadas anteriores pelos doze melhores ciclistas em modelo para o seguinte ano). Estes pontos de mérito não se correspondem com os pontos World Tour, e ao invés que estes sua atribuição e quantificação se realizam em segredo pelo organismo reitor; existem não obstante agências especializadas que oferecem esse serviço às equipas interessadas em conhecer a sua situação.

As 15 primeiras equipas nessa lista de méritos desportivos têm praticamente assegurada a renovação ou obtenção de uma licença Pro Team, ficando unicamente à espera de obter o visto bom da Comissão de Licenças no relativo a aspectos económicos, administrativos e éticos.

Além dessas quinze praças, a Comissão de Licenças concede 3 licenças mais entre os cinco seguintes do ranking (os situados entre o décimo sexto e o vigésimo). Dentre esses cinco conjuntos, os interessados em obter uma licença devem realizar uma apresentação ante a comissão defendendo a sua candidatura, detalhando sua estrutura e respondendo às perguntas que se lhes formulem. A decisão sobre a que três esquadras se atribuem as licenças restantes se rege por critérios desportivos, económicos, administrativos e éticos.

Ao final do processo, a Comissão de Licenças faz pública uma lista com as 18 equipas admitidas, e decide também por quanto tempo concede dita licença. O possuir a licença dá preferência à hora de ser Pro Team sempre que fique entre os 20 primeiros do ranking, eliminando requisitos.

Ainda que o sistema está desenhado para contar com 18 equipas Pro Team, na temporada 2013 teve 19 esquadras nesta categoria. Isto se deveu a que conquanto a Comissão de Licenças da UCI excluiu em sua lista ao Katusha (entre os quinze primeiros no ranking de méritos desportivos, mas recusado por não cumprir baixo seu ponto de vista com os critérios adicionais), o TAS aceitou o recurso do conjunto russo e este teve que ser readmitido pela UCI, incorporando ao Katusha a sua lista de dezoito.

Por outra parte, para a temporada 2015 outorgaram-se 17 licenças Pro Team e deram-se várias controvérsias neste sentido, já que teve alguns problemas para a recepção das licenças por algumas das esquadras. Assim, a equipa Astana cujo manager geral é o ex ciclista Alexandre Vinokourov, sofreu um longo processo de admissão devido às investigações abertas devidas a assuntos de dopagem, lhe dando uma licença provisória. Posteriormente a UCI chegou a reclamar num comunicado de 25 de fevereiro de 2015 a retirada da licença uma vez recebidos todos os documentos requeridos por parte da esquadra patrocinada pelo Governo de Cazaquistão,[1] ainda que finalmente não sucedeu mas se manteve à equipa baixa um estrito controle.[2]

Calendário[editar | editar código-fonte]

As equipas Pro Team têm garantido o seu concurso em todas as carreiras englobadas no UCI World Tour (dantes UCI Pro Tour), estando de facto obrigados a participar em todas elas. Esse calendário inclui as principais carreiras do mundo, tanto no relativo a voltas por etapas (as três grandes voltas inclusive) como a clássicas de um dia, que se disputam em sua maior parte em Europa. A UCI tem incluído ademais carreiras de recente criação em países extra europeus com uma menor tradição de acolher eventos de estrada, dentro de sua estratégia de globalizar o ciclismo como o são Austrália, Canadá e China. Além de acolher obrigatoriamente aos 18 equipas Pro Team, os organizadores da cada carreira podem convidar a várias equipas mais de menor nível (Profissionais Continentais).

Além de participar nas carreiras do World Tour, as equipas Pro Team podem correr em carreiras de menor entidade, englobadas dentro dos cinco Circuitos Continentais, sempre que sejam provas de categoria .HC (máxima dentro destes circuitos) ou .1 (segundo nível), mas não podem participar das .2 (categoria de menor nível).

Histórico de equipas[editar | editar código-fonte]

Equipas Desaparecidas
Código UCI Nome País Anos World Team Desaparecimento
CA Crédit Agricole  França
2005-2008
2008
BMC BMC Racing Team  Estados Unidos
2011-2018
2018
CCC CCC Team  Polónia
2019-2020
2020
DOM Domina Vacanze  Itália
2005
2005
EUS Euskaltel Euskadi Flag of Spain.svg Espanha
2005-2013
2013
FAS Fassa Bortolo (equipa ciclista)  Itália
2005
2005
GST Gerolsteiner  Alemanha
2005-2008
2008
IAM IAM Cycling Suíça
2015-2016
2016
LEO/RNT/RLT Leopard Trek/RadioShack-Nissan/RadioShack Leopard  Estados Unidos
2011-2016
2016
LIQ/CAN Liquigas-Bianchi/Liquigas/Liquigas-Doimo/Liquigas-Cannondale/Cannondale  Luxemburgo
 Estados Unidos
2005-2014
2014
MRM Team Milram  Alemanha
2006-2010
2010
TQA Team Qhubeka NextHash África do Sul
2016-2021
2021
ONC/LST/LSW ONCE/Liberty Seguros Team/Liberty Seguros-Würth Team/Würth Team/Astana-Würth Team/Astana Flag of Spain.svg Espanha
2005-2006
2006
PHO Phonak Hearing Systems Suíça
2005-2006
2006
SDV/FUJ/FOT Saunier Duval-Prodir/Saunier Duval-Scott/Scott-American Beef/Fuji-Servetto/Footon-Servetto Flag of Spain.svg Espanha
2005-2010
2011
TMO/THR T-Mobile Team/HTC-Highroad  Estados Unidos
2008-2011
2011
CSC/SAX/SBS/STB/TST/TCS Team CSC/Team Saxo Bank/Saxo Bank Sungard/Team Saxo Bank-Tinkoff Bank/Team Saxo-Tinkoff/Tinkoff-Saxo/Tinkoff  Dinamarca
 Rússia
2005-2015
2015
TKA Team Katusha-Alpecin Suíça
2007-2019
2019
UNI Unibet.com  Suécia
2009
2007
USP/DSC Discovery Channel Pró Cycling Team/US Postal  Estados Unidos
2005-2007
2007
VCD Vacansoleil-DCM Pro Cycling Team  Países Baixos
2012-2013
2013
Equipas Activas mas sem licença UCI World Team
Código UCI Nome País Anos World Team Descida
BOU/BBO/EUC/DEN Bouygues Telecom/Bbox Bouygues Telecom/Team Europcar/Direct Energie  França
2005-2009
2014
2015

Cronograma[editar | editar código-fonte]

A cinzento escuro encontram-se assinaladas as equipas que actualmente não se encontram activas. A azul claro encontram-se assinaladas as equipas que actualmente competem em escalões inferiores (Continental Profissional ou Continental)

2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022
Ag2r-La Mondiale Ag2r-La Mondiale Ag2r-La Mondiale Ag2r-La Mondiale Ag2r-La Mondiale Ag2r-La Mondiale AG2r-La Mondiale AG2r-La Mondiale AG2r-La Mondiale AG2r-La Mondiale AG2r-La Mondiale AG2r-La Mondiale AG2R Citroën Team AG2R Citroën Team
Astana Astana Astana Astana Astana Astana Astana Astana Astana Astana Astana Astana Astana–Premier Tech Astana Qazaqstan Team
Team NetApp Team NetApp Team NetApp Team NetApp-Endura Team NetApp-Endura Bora-Argon 18 Bora-Argon 18 Bora–Hansgrohe Bora–Hansgrohe Bora–Hansgrohe Bora–Hansgrohe Bora–Hansgrohe Bora–Hansgrohe
Cofidis Cofidis Cofidis Cofidis Cofidis Cofidis Cofidis Cofidis Cofidis Cofidis Cofidis Cofidis Cofidis Cofidis
Garmin-Slipstream Garmin-Transitions Garmin-Cervélo Garmin-Barracuda
Garmin-Sharp
Garmin-Sharp Garmin-Sharp Cannondale–Garmin Cannondale
Cannondale–Drapac
Cannondale–Drapac EF Education First–Drapac p/b Cannondale EF Education First Pro Cycling Team EF Pro Cycling Cycling EF Education–Nippo EF Education–EasyPost
Française des Jeux Française des Jeux
FDJ
FDJ FDJ-BigMat FDJ
FDJ.fr
FDJ.fr FDJ FDJ FDJ FDJ
Groupama-FDJ
Groupama-FDJ Groupama-FDJ Groupama-FDJ Groupama-FDJ
Team Sky Team Sky Team Sky Team Sky Team Sky Team Sky Team Sky Team Sky Team Sky Team Sky
Team INEOS
Team INEOS
Ineos Grenadiers
Ineos Grenadiers Ineos Grenadiers
Cycling Academy Cycling Academy Israel Cycling Academy Israel Cycling Academy Israel Cycling Academy Israel Start-Up Nation Israel Start-Up Nation Israel–Premier Tech
Verandas Willems Verandas Willems Veranda's Willems-Accent Accent.jobs-Willems Veranda's Accent Jobs-Wanty Wanty–Groupe Gobert Wanty–Groupe Gobert Wanty–Groupe Gobert Wanty–Groupe Gobert Wanty–Groupe Gobert Wanty–Gobert Circus–Wanty Gobert Wanty Gobert–Intermarché–Wanty–Gobert Matériaux Intermarché–Wanty–Gobert Matériaux
Silence-Lotto Omega Pharma-Lotto Omega Pharma-Lotto Lotto-Belisol Lotto-Belisol Lotto-Belisol Lotto Soudal Lotto Soudal Lotto Soudal Lotto Soudal Lotto Soudal Lotto Soudal Lotto Soudal Lotto Soudal
Caisse d'Epargne Caisse d'Epargne Movistar Team Movistar Team Movistar Team Movistar Team Movistar Team Movistar Team Movistar Team Movistar Team Movistar Team Movistar Team Movistar Team Movistar Team
Quick Step Quick Step Quick Step Omega Pharma-Quick Step Omega Pharma-Quick Step Omega Pharma-Quick Step Etixx-Quick Step Etixx-Quick Step Quick-Step Floors Quick-Step Floors Deceuninck–Quick-Step Deceuninck–Quick-Step Deceuninck–Quick-Step Quick-Step Alpha Vinyl Team
Bahrain–Merida Bahrain–Merida Bahrain–Merida Bahrain–McLaren Team Bahrain Victorious Team Bahrain Victorious
GreenEDGE
Orica-GreenEDGE
Orica-GreenEDGE Orica-GreenEDGE Orica-GreenEDGE Orica-GreenEDGE
Orica–BikeExchange
Orica–Scott Mitchelton–Scott Mitchelton–Scott Mitchelton–Scott Team BikeExchange Team BikeExchange–Jayco
Skil-Shimano Skil-Shimano Skil-Shimano Project 1t4i
Argos-Shimano
Argos-Shimano Giant-Shimano Team Giant–Alpecin Team Giant–Alpecin Team Sunweb Team Sunweb Team Sunweb Team Sunweb Team DSM Team DSM
Rabobank Rabobank Rabobank Rabobank Blanco Pro Cycling
Belkin Pro Cycling
Belkin Pro Cycling LottoNL-Jumbo LottoNL-Jumbo LottoNL-Jumbo LottoNL-Jumbo Team Jumbo–Visma Team Jumbo–Visma Team Jumbo–Visma Team Jumbo–Visma
Leopard Trek RadioShack-Nissan RadioShack-Leopard Trek Factory Racing Trek Factory Racing Trek–Segafredo Trek–Segafredo Trek–Segafredo Trek–Segafredo Trek–Segafredo Trek–Segafredo Trek–Segafredo
Lampre-NGC Lampre-Farnese Vini
Lampre-Farnese
Lampre-ISD Lampre-ISD Lampre-Merida Lampre-Merida Lampre-Merida Lampre-Merida UAE Abu Dhabi
UAE Team Emirates
UAE Team Emirates UAE Team Emirates UAE Team Emirates UAE Team Emirates UAE Team Emirates
Bbox Bouygues Telecom Bbox Bouygues Telecom Team Europcar Team Europcar Team Europcar Team Europcar Team Europcar Direct Énergie Direct Énergie Direct Énergie Direct Énergie
Total Direct Énergie
Total Direct Énergie Total Direct Énergie
Team TotalEnergies
Team TotalEnergies
MTN Cycling MTN Energade MTN Qhubeka MTN Qhubeka MTN Qhubeka MTN Qhubeka MTN Qhubeka Team Dimension Data Team Dimension Data Team Dimension Data Team Dimension Data NTT Pro Cycling Team Qhubeka Assos
Team Qhubeka NextHash
BMC Racing Team BMC Racing Team BMC Racing Team BMC Racing Team BMC Racing Team BMC Racing Team BMC Racing Team BMC Racing Team BMC Racing Team BMC Racing Team CCC Team CCC Team
Team Katusha Team Katusha Itera-Katusha Itera-Katusha Team Katusha Team Katusha Team Katusha Team Katusha Team Katusha–Alpecin Team Katusha–Alpecin Katusha-Alpecin
IAM Cycling IAM Cycling IAM Cycling IAM Cycling
Team Saxo Bank Team Saxo Bank Saxo Bank-SunGard Team Saxo Bank
Team Saxo Bank-Tinkoff Bank
Team Saxo-Tinkoff Team Saxo Bank Tinkoff-Saxo Tinkoff
Liquigas
Liquigas-Doimo
Liquigas-Doimo Liquigas-Cannondale Liquigas-Cannondale Cannondale Cannondale
Euskaltel-Euskadi Euskaltel-Euskadi Euskaltel-Euskadi Euskaltel-Euskadi Euskaltel-Euskadi
Vacansoleil Vacansoleil Vacansoleil-DCM Vacansoleil-DCM Vacansoleil-DCM
Fuji–Servetto Footon–Servetto–Fuji Geox–TMC
Team Columbia-High Road
Team Columbia-HTC
Team HTC-Columbia HTC-Highroad
Team RadioShack Team RadioShack
Team Milram Team Milram

2009-2010[editar | editar código-fonte]

As equipas UCI Pro Tour (de primeira categoria) são regidos pela regulamento UCI Pro Tour decidindo a UCI que equipas entram neste grupo estudando as propostas que lhes cheguem, todas estas equipas têm acesso às corridas do UCI World Calendar ou UCI World Tour. Os requisitos gerais para as equipas Profissionais Continentais (de segunda categoria) que podem correr estas corridas são menos estritos que o das equipas Pro Tour, e ademais, ao não ter um número limitado de equipas o nível desportivo mal se tem em conta, estes estavam divididos em vários sub-grupos dependendo os requisitos que cumpriam:[3]

  • Equipas com "Wild Card" (podem correr todas as corridas): passaporte biológico, sem problemas económicos e outros "estritos requisitos desportivos, legais, administrativos e éticos".[4]
  • Equipas sem "Wild Card" com passaporte biológico (só podiam correr as Corridas Históricas): falta algum dos requisitos para obter a "Wild Card" mas se pagam o passaporte biológico.
  • Equipas sem "Wild Card" (não podiam correr nenhuma corrida do UCI World Calendar): falta algum dos requisitos para obter a "Wild Card" e não pagam o passaporte biológico.

Ademais, para a temporada 2010 introduziu-se um novo ponto para poder deixar correr a equipas que não cumprissem os requisitos mencionados anteriormente concretamente equipas de categoria Profissional Continental sem "Wild Card" para correr em corridas Pro Tour e equipas Continentais (terceira e última categoria do profissionalismo) para correr em corridas Históricas, ainda que os requisitos foram difíceis de cumprir já que essa equipa devia aderir ao passaporte biológico e ter entrado entre os 17 melhores equipas do UCI World Ranking na temporada anterior. Norma feita para que algumas equipas potentes que não tivessem podido cumprir os requisitos principais pudessem correr nessas corridas de máximo nível. Uma mostra do difícil que foi recorrer a esse ponto para participar nas corridas do UCI World Calendar é que nenhuma equipa recorreu a ela porque não cumpria ditos requisitos.

2011-2019[editar | editar código-fonte]

A partir do 2011, com a nova denominação de UCI WorldTour, desapareceram as "Wild Card" e todas as equipas Profissionais Continentais tiveram acesso às corridas de máxima categoria, isto supôs uma maior rigidez nos requisitos para entrar em dita categoria.[5] No entanto deixaram de novo de pontuar para a classificação desta máxima categoria.

2020-actualidade[editar | editar código-fonte]

O Comité Directivo da União Ciclista Internacional aprovou a partir do ano 2020 importantes mudanças no ciclismo de estrada profissional, a nova estrutura do ciclismo entrou em vigência a partir de 1 de janeiro de 2020. Os seus principais elementos e mudanças para o futuro imediato do ciclismo detalham-se a seguir:

  • Novo calendário na competição ciclista: O calendário UCI dividir-se-á em três categorias: UCI WorldTour (máxima categoria a nível mundial), UCI ProSeries (segunda categoria) e Circuitos Continentais da UCI (última categoria).[6] Esta nova divisão UCI ProSeries substitui as classes 1.hc (Corrida de um dia), as 2.hc (Corrida de vários dias), e as classes *.1 (Corrida de vários dias). Agora se compõem de 1.pro (Corrida de um dia) e 2.pro (Corrida por etapas).[6] A UCI oferecerá um contrato mínimo de três anos para dar estabilidade aos organizadores das corridas.
  • Equipas: As equipas classificar-se-ão da mesma maneira que estabelece o calendário UCI, isto é, dividir-se-ão em três divisões com idêntica denominação: UCI WorldTeam, UCI ProTeam (conhecidos como Profissionais Continentais) e UCI Continental Team.[7] As equipas UCI WorldTeam se compõem de 18 equipas como máximo, integrados entre 27 e 30 corredores. Cabe assinalar que o número de equipas UCI ProTeam podem ser de 20 até 30 corredores profissionais. Na outra categoria não há limite de equipas, já que isto dependerá do cumprimento dos requisitos regulamentares específicos de cada divisão.[8]
  • Participação nas corridas: As 18 equipas UCI WorldTeam têm acesso directo à corridas do calendário UCI WorldTour, além das duas melhores equipas UCI ProTeam (de acordo com a classificação mundial UCI World Ranking ao final da temporada anterior) e os convites que sejam recusadas serão redistribuídas pelos organizadores a outras equipas UCI ProTeam, mediante as Wildcards os organizadores podem convidar a outras 2 equipas de categoria UCI ProTeam para um total de 22 equipas de 8 corredores para as Grandes Voltas e de 25 equipas para as outras corridas.[6] Para as corridas UCI ProSeries e os Circuitos Continentais da UCI não há limite de participação de equipas, no entanto, as equipas UCI WorldTeam e UCI ProTeam, têm cota limitada para competir de acordo ao ano correspondente estabelecido pela UCI.[9]
  • Simplificação dos rankings: Estabelece-se um único ranking calculado a nível internacional chamado UCI World Ranking (o UCI WorldTour Ranking desaparecerá). Esta nova classificação tem em conta todas as corridas do calendário UCI internacional e dividir-se-á em três partes: individual, por equipas e por nações. Esta classificação terá em conta os resultados, ponderados em função da sua importância, de todas as competições profissionais do ciclismo de estrada.[6][8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências