Universidade Estadual do Maranhão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de UEMA)
Ir para: navegação, pesquisa
Universidade Estadual do Maranhão
UEMA
Lema Scientia ad Vitam
Fundação 25 de março de 1987
Tipo de instituição Pública
Mantenedora Governo do Estado do Maranhão
Localização São Luís, Maranhão, Brasil
Reitor(a) Gustavo Pereira
Total de estudantes 20 715
Graduação 17 688
Pós-graduação 3 027
Cores da escola      Azul

     Amarelo

Afiliações ABRUEM, RENEX
Orçamento anual R$ 209.886.197,36 (2014)
Página oficial www.uema.br

Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) é uma instituição de ensino superior pública do estado do Maranhão. Fundada em 1987, é a única universidade pública mantida pelo governo estadual. Com mais de 20 mil alunos e mais de 200 milhões de reais em orçamento, a instituição conta com 22 campi e 25 centros universitários.

História[editar | editar código-fonte]

A FESM foi criada pela Lei 3.260 de 22 de agosto de 1972, para coordenar e integrar os estabelecimentos isolados do sistema educacional superior do Maranhão. Constituída inicialmente por quatro unidades de ensino superior: Escola de Administração, Escola de Engenharia, Escola de Agronomia e faculdade de Caxias, a FESM incorporou, em 1975, a Escola de de Medicina Veterinária e em 1979, a Faculdade de Educação de Imperatriz.

A FESM foi transformada em Universidade Estadual do Maranhão através da Lei nº 4.400 de 30 de dezembro de 1981 e teve seu funcionamento autorizado pelo Decreto Federal nº 94.143 de 25 de março de 1987.

Reorganizada conforme Leis nº 5.921, de 15 de março de 1994 e 5.931, de 22 de abril de 1994, alterada pela Lei nº 6.663, de 4 de junho de 1996, é uma Autarquia de regime especial, pessoa jurídica de direito público, inscrita no Ministério da Fazenda sob o CGC nº 06.352.421/0001-68.

Em 27 de agosto de 2015 o campus de São Bento foi beneficiado com obras onde serão investidos mais de 9 milhões de reais para a construção de salas de aula, auditório, alojamento e reformas estruturais. Serão implantados cursos de graduação, na modalidade presencial, em ciências agrárias, criando 500 novas vagas para os alunos no primeiro ano.[1]

A UEMA é atualmente, vinculada à Gerência de Estado da Ciência, Tecnologia, Ensino Superior e Desenvolvimento Tecnológico - GECTEC e goza de autonomia didático-científica, administrativa, disciplinar e de gestão financeira e patrimonial, de acordo com o que preceitua o art 272 da Constituição do Estado do Maranhão.

Características[editar | editar código-fonte]

A autonomia científica consiste no exercício de competência privativa para estabelecer a sua política e os seus programas de ensino, pesquisa e extensão, criar, modificar, fundir ou extinguir cursos e currículos pleno, conferir graus, expedir diplomas e certificados, assim como outorgar bolsas, prêmios, títulos e outras dignidades universitárias.

A autonomia administrativa consiste no exercício de competência privativa para elaborar e reformular o seu Estatuto, normas a este complementares, baixar seus regimentos e manuais, dispor sobre o pessoal dos seus quadros, prover os cargos comissionados e as funções gratificadas, contratar obras e serviços de que necessitar, propor ao Chefe do Poder Executivo seus planos de cargos e salários e respectivas alterações, assim como escolher e indicar àquela autoridade nomes para o exercício dos cargos de Reitor e Vice-reitor.

A autonomia de gestão financeira e patrimonial consiste no exercício de competência para gerar e captar recursos, incorporar bens e recursos ao seu patrimônio, dispor dos mesmos, elaborar e administrar seus orçamentos e planos de trabalho, manter em suas contas os saldos anuais dos respectivos recursos, contabilizando-os, como Receita Patrimonial, para o exercício seguinte.

A autonomia disciplinar consiste na competência privativa para aplicar aos corpos docente, técnico- administrativo e discente as regras do seu Estatuto, do Estatuto dos Servidores Civis do Estado do Maranhão e do seu Regimento Interno; estabelecer normas de conduta pessoal, coletiva e de segurança a serem, obrigatoriamente, observadas em todos os campi da Universidade.

São objetivos da UEMA promover o ensino de graduação e pós-graduação, a extensão universitária e a pesquisa, promover a difusão do conhecimento, a produção de saber e de novas tecnologias interagindo com a comunidade, com vistas ao desenvolvimento social, econômico e político do Maranhão.

Campi[editar | editar código-fonte]

A instituição conta hoje com 22 campi e 25 centros. São eles:

  • Açailândia: Centro de Estudos Superiores de Açailândia - CESA;
  • Bacabal: Centro de Estudos Superiores de Bacabal - CESB;
  • Balsas: Centro de Estudos Superiores de Balsas - CESBA;
  • Barra do Corda: Centro de Estudos Superiores de Barra do Corda - CESBAC;
  • Carolina: Centro de Estudos Superiores de Carolina - CESCA;
  • Caxias: Centro de Estudos Superiores de Caxias - CESC;
  • Codó: Centro de Estudos Superiores de Codó - CESCD;
  • Coelho Neto: Centro de Estudos Superiores de Coelho Neto - CESCON;
  • Colinas: Centro de Estudos Superiores de Colinas - CESCO;
  • Coroatá: Centro de Estudos Superiores de Coroatá - CESCOR;
  • Grajaú: Centro de Estudos Superiores de Grajaú - CESGRA;
  • Imperatriz: Centro de Estudos Superiores de Imperatriz - CESI;
  • Itapecuru-Mirim: Centro de Estudos Superiores de Itapecuru-Mirim - CESITA;
  • Lago da Pedra: Centro de Estudos Superiores de Lago da Pedra - CESLAP;
  • Pedreiras: Centro de Estudos Superiores de Pedreiras - CESPE;
  • Pinheiro: Centro de Estudos Superiores de Pinheiro - CESPI;
  • Presidente Dutra: Centro de Estudos Superiores de Presidente Dutra - CESPD;
  • Santa Inês: Centro de Estudos Superiores de Santa Inês - CESSIN;
  • São João dos Patos: Centro de Estudos Superiores de São João dos Patos - CESJOP;
  • São Luís: Centro de Ciências Agrária - CCA, Centro de Ciências Sociais Aplicadas - CCSA, Centro de Educação, Ciências Exatas e Naturais - CECEN, Centro de Ciências Tecnológicas - CCT;
  • Timon: Centro de Estudos Superiores de Timon - CESTI;
  • Zé Doca: Centro de Estudos Superiores de Zé Doca - CESZD.

Em 27 de agosto de 2015, durante a AGRITEC - Feira Agrotecnológica de São Bento, o governador Flávio Dino anunciou a implantação de um campus da UEMA naquele município, o que elevará o número de campi para 23 e de centros para 26.[1]

Graduação[editar | editar código-fonte]

Ciências Agrárias e Biológicas



Ciências Exatas e Tecnológicas



Ciências Humanas



Curso de Engenharia de Computação[editar | editar código-fonte]

O curso de Bacharel em Engenharia de Computação da UEMA oferece uma formação técnico-cientifica e profissional geral, com duração de 10 semestres, de turno diurno, sendo que a partir do 8º Período os Estudantes podem escolher uma das três áreas de concentração em que são disponibilizadas disciplinas eletivas para cada área.

Laboratórios[editar | editar código-fonte]

LCB - Laboratório de Computação Básica

LAC - Laboratório de Automação e Controle

LTC - Laboratório de Telecomunicações

Outras informações[editar | editar código-fonte]

Diretor do Curso:[editar | editar código-fonte]

Rogério Moreira Lima Silva

Localização:[editar | editar código-fonte]

CCT - Centro de Ciências Tecnológicas, Cidade Universitária Paulo VI, S/N - Tirirical, São Luís - MA

Disciplinas Eletivas da Grade Curricular 2016[editar | editar código-fonte]

ELETIVAS DO GRUPO DE ENGENHARIA DE SOFTWARE E TECNOOGIA DA INFORMAÇÃO
NOME DA DISCIPLINA CT CP CE CH PRE
ES01 Arquitetura Dirigida Modelos 4 0 0 60
ES02 Computação Colaborativa 4 0 0 60
ES03 Computação Forense 4 0 0 60
ES04 Computação Pervasiva 4 0 0 60
ES05 Criptografia e Certificação Digital 4 0 0 60
ES06 Engenharia de Software Orientada a Serviços e a Qualidade 4 0 0 60
ES07 Padrões de Projeto de Software 4 0 0 60
ES08 Plano de Contingência 4 0 0 60
ES09 Programação Concorrente 4 0 0 60
ES10 Programação de Dispositivos Móveis Avançado 4 0 0 60
ES11 Programação Web Cliente 2 1 0 60
ES12 Programação Web Servidor 2 1 0 60 ES11
ES13 Segurança em Sistemas de Informação 4 0 0 60
ES14 Verificação, Validação e Teste de Software 2 1 0 60
ELETIVAS DO GRUPO DE ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO E CONTROLE
NOME DA DISCIPLINA CT CP CE CH PRE
EC01 Automação Hidráulica e Pneumática 4 0 0 60 EC11
EC02 Engenharia de Controle Avançado 4 0 0 60
EC03 Instrumentação Eletrônica, Sensores  e Atuadores 2 2 0 60
EC04 Controle de Sistemas Aeroespaciais 4 0 0 60
EC05 Princípios de Radar 4 0 0 60
EC06 Processamento de Sinais Biológicos 4 0 0 60
EC07 Processamento de Sinais Digital de Radar 4 0 0 60 EC06
EC08 Processos de Fabricação 4 0 0 60
EC09 Robótica Bioinspirada 4 0 0 60
EC10 Robótica Industrial 4 0 0 60
EC11 Sistemas Hidráulicos e Pneumáticas 4 0 0 60
EC12 Tópicos Emergentes em Automação e Controle 4 0 0 60
EC13 Tópicos Emergentes em Robótica 4 0 0 60
EC14 Tópicos Especiais em Instrumentação e Servomecanismos 4 0 0 60
ELETIVAS DO GRUPO DE ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES E REDES 
NOME DA DISCIPLINA CT CP CE CH PRE
ET01 Antenas e Propagação 4 0 0 60
ET02 Circuitos e Dispositivos de Micro-ondas 4 0 0 60
ET03 Comunicações Digitais 4 0 0 60
ET04 Comunicações Ópticas 4 0 0 60
ET05 Engenharia de Protocolos de Informação 4 0 0 60
ET06 Princípios de Radar 4 0 0 60
ET07 Redes de Telecomunicações 4 0 0 60
ET08 Redes Industriais 4 0 0 60
ET09 Redes Móveis e Sistemas Rádio 4 0 0 60
ET10 Regulação em Telecomunicações 4 0 0 60
ET11 Tópicos Emergentes em Telecomunicação 4 0 0 60
ET12 Segurança em Redes de Computadores 4 0 0 60
ET13 Criptografia em Redes de Comunicação 4 0 0 60
ET14 RFID – Princípios, Padrões e Projeto e Implantação em UHF 4 0 0 60
ELETIVAS DO GRUPO GERAL          
NOME DA DISCIPLINA CT CP CE CH PRE
EG01 Libras – Língua Brasileira de Sinais[1] 2 0 0 30

Referências

  1. a b Governo do Maranhão (27/08/2015). «Flávio Dino e ministro do Desenvolvimento Agrário anunciam ações para a Baixada Maranhense». Site do Governo do Estado do Maranhão. Consultado em 05/09/2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]