Uanudine ibne Cazerune

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Uanudine ibne Cazerune
Emir magraua de Sijilmassa
Reinado Desconhecido
Antecessor(a) Cazerune
Sucessor(a) Maçude
 
Descendência Maçude
Outros filhos
Casa Banu Cazerune
Pai Cazerune ibne Fulful
Religião Islamismo

Uanudine ibne Cazerune (Wanudin ibn Khazrun) foi um nobre magraua do século X, membro do clã Banu Cazar e filho do fundador epônimo do ramo Banu Cazerune de Sijilmassa, Cazerune ibne Fulful. Foi o segundo emir magraua dessa cidade após a morte de seu pai.

Vida[editar | editar código-fonte]

Ruínas de Sijilmassa

Uanudine era filho de Cazerune, fundador epônimo dos Banu Cazerune de Sijilmassa, e irmão de Saíde. Após a morte de seu pai em data incerta, assumiu a posição de emir da cidade.[1][2] Pouco depois que assume o poder, teve que enfrentar uma invasão de tropas ziridas enviadas contra ele pelo emir Almançor ibne Bologuine (r. 984–996), mas foi capaz de derrotá-las e manter sua posição.[3] Ele era nominalmente vassalo do Califado de Córdova do Alandalus, mas ressentiu-se da preferência cordovesa por seu parente Ziri ibne Atia que governava Fez.[4] Por certo tempo, Uanudine caiu em desgraça com o hájibe cordovês Almançor e o filho e mistro do último, Abdal Malique Almuzafar, deu temporariamente o governo e Sijilmassa para Hamide ibne Iaçal. Em 999, porém, foi reconfirmado em sua posição.[5]

Com o colapso do Califado de Córdova, declarou-se governante independente, conquistar a região do rio Drá e em 1016-1017 tomou posse de Sefru, que era uma das dependências de Fez, e o vale do rio Mulucha. O emir de Fez Almuiz ibne Ziri (r. 1001–1026/1030) tentou recapturar seus domínios perdidos, mas também remover Uanudine de sua capital. Nesse ano, montou uma expedição com um poderoso exército, mas foi derrotado pelas tropas de Sijilmassa e recuou para Fez. Uanudine foi sucedido por seu filho Maçude. Se sabe que ainda teve outros filhos, cujos nomes não foram registrados.[5]

Referências

  1. ibne Caldune 1854, p. 14-16.
  2. Yver 1986, p. 1177-1178.
  3. ibne Caldune 1854, p. 13.
  4. Navarro 2004, p. 165.
  5. a b Yver 1986, p. 1178.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ibne Caldune (1854). Histoire des Berbères et des dynasties musulmanes de l'Afrique Septentrionale Vol. 2. Traduzido por Slane, William Mac Guckin. Paris: Imprensa do Governo 
  • Navarro, Xavier Ballestín; Ballestín, Xavier (2004). Al-Mansur y la dawla 'amiriya: una dinámica de poder y legitimidad en el occidente musulmán medieval. Barcelona: Edições da Universidade de Barcelona 
  • Yver, G. (1986). «Maghrawa». The Encyclopedia of Islam, New Edition, Volume V: Khe–Mahi. Leida e Nova Iorque: BRILL. ISBN 90-04-07819-3