Ubaitaba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Ubaitaba
"Ubá"
"Cidade das Canoas"
"Capital da Canoagem"
"Dubai da Bahia"
Ponte sobre o Rio de Contas, um trecho da rodovia federal longitudinal BR-101 em Ubaitaba

Ponte sobre o Rio de Contas, um trecho da rodovia federal longitudinal BR-101 em Ubaitaba
Brasão de Ubaitaba
Brasão
Hino
Aniversário 27 de julho
Fundação 27 de julho de 1933
Gentílico ubaitabense
Padroeiro(a) Santo Antônio de Lisboa
CEP 45.545-000
Prefeito(a) Sueli Carneiro (Suka) da Silva Carvalho (PSB)
(2017–2020)
Localização
Localização de Ubaitaba
Localização de Ubaitaba na Bahia
Ubaitaba está localizado em: Brasil
Ubaitaba
Localização de Ubaitaba no Brasil
14° 18' 46" S 39° 19' 22" O14° 18' 46" S 39° 19' 22" O
Unidade federativa Bahia Bahia
Mesorregião Sul Baiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Ilhéus-Itabuna IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Aurelino Leal, Ibirapitanga, Maraú, Ubatã, Itacaré, Gongogi
Distância até a capital 450 km
Características geográficas
Área 221,753 km² [2]
Distritos Ubaitaba, Piraúna e Faisqueira
População 20 697 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 93,33 hab./km²
Altitude 52 m
Clima tropical Af
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,641 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 105 926,106 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 5 122,65 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura www.ubaitaba.ba.gov.br
Câmara www.camara.ubaitaba.ba.io.org.br

Ubaitaba (língua Tupi antigo: ubá-'y-taba) é um município brasileiro do estado da Bahia. Localiza-se em área de Mata Atlântica na mesorregião do Sul Baiano, na microrregião Ilhéus-Itabuna (ou Região Cacaueira). Limita-se territorialmente ao norte com o Ubatã e Ibirapitanga, ao sul com Aurelino Leal, ao leste com Maraú e Itacaré, e ao oeste com Gongogi. Seu território é dividido em três distritos: Ubaitaba, Piraúna e Faisqueira.[6]

Em 2010 tinha uma população de 20.691 habitantes, segundo dados censitários do IBGE. Atualmente estima-se que tenha 21.183 habitantes.[7] A região do município é muito relacionada a cultura do cacau.

Além da cultura do cacau, uma marca da cidade é a sua relação cultural com a canoagem competitiva e da canoa como meio de transporte. A canoagem é esporte praticado por seus habitantes, alguns com projeção nacional e internacional.[8][9] O nome Ubaitaba significa algo como "Terra das Canoas" ou "Cidade das Canoas" em língua Tupi.[10][11]

História[editar | editar código-fonte]

Ubaitaba formou-se a margem esquerda do Rio de Contas, numa planície entre as colinas e o rio. Sua origem relaciona-se a criação do Arraial de Faisqueira (1783), então área destinada a extração de madeira, a cultura da cana de açúcar, dos cereais e do cacau. Com o tempo, surgiram estradas para conduzir os trabalhadores as roças e escoar os produtos das lavouras para o Arraial de Faisqueira.

Ubaitaba que até 1944 se chamava Itapira, recebeu status de município pelo decreto nº 8567 de 27 de julho de 1933, com território desmembrado de Itacaré.[12]

Administração[editar | editar código-fonte]

Renato Laport. A autonomia política-administrativa de Ubaitaba é bastante inusitada. O município foi emancipado duas vezes. A primeira foi no mês de Julho de 1931, quando aconteceu a Reorganização Municipal da Bahia. A sub-prefeitura de Itapira foi considerada mais desenvolvida que Barra do Rio de Contas e por isso passou a ser a sede do município. Nesse ano era prefeito Renato Laport que ficou de 8 de Julho a novembro, quando foi afastado acusado de irregularidades administrativas e o capitão Joaquim Ribeiro Monteiro foi encarregado para ser interventor onde ficou por um mês, até que outra pessoa fosse nomeada para assumir o cargo. Mais tarde foi escolhido o coronel José Augusto Mendes para chefiar a prefeitura de Itapira, mas ele restabeleceu a sede do município para Barra do Rio de Contas e outra vez Itapira voltou a ser dependente politicamente daquele município.

Rui Santos. Ele passou da condição de sub-prefeito desde 1931 a prefeito de Itapira. Foi uma das pessoas que mais lutaram pela emancipação dessa localidade. Rui Santos, nascido em Casa Nova na Bahia, chegou em nossa cidade em 31. As suas principais obras foram a construção do prédio da antiga delegacia de polícia na Praça Santo Antonio, começo de urbanização da praça 24 de outubro (atual Dr. Xavier) e início da construção da Escola Osvaldo Cruz. Governou até a regularização das eleições que na época havia sido suspensa por conta da “Revolução de 30” que colocou Getúlio Vargas no poder. Rui Santos ficou no cargo até abril de 1934.Afastou-se para a capital do Estado e ficou respondendo pelo expediente municipal o seu secretário o Sr. Nicanor Souza. Este, ficou como prefeito interino por 3 meses até a nomeação do senhor Juvenal França em 5 de Julho do mesmo ano.

Governo e política[editar | editar código-fonte]

Prefeitos[editar | editar código-fonte]

A atual Prefeita municipal é Sueli Carneiro da Silva Carvalho, conhecida popularmente como Suka.[13] Os prefeitos municipais desde a sua emancipação política foram:[14]

  1. Ruy Santos (1933 a 1936)
  2. Juvenal de Lima França (1936 a 1937)
  3. João Oliveira Sabóia Ribeiro (1937 a 1940)
  4. Lourival Torreão (1941 a 1943)
  5. Francisco Macedo (1943)
  6. Cledenor Soares (1944)
  7. Acúrcio Magalhães (1945)
  8. Octacílio Manoel Gomes (1946 a 1950)
  9. Felipe Miranda (1951 a 1955)
  10. Asclepíades da Rocha Almeida (1956 a 1959)
  11. Octacílio Manoel Gomes (1959 a 1953)
  12. Walter Passos (1963 a 1967)
  13. José Carlos (Zé Vermelho) da Silva Almeida (1967 a 1971)
    • Filho de Ascleíades da Rocha Almeida[17][18]
  14. José Loyola de Andrade (1971 a 1973)
  15. José Carlos (Zé Vermelho) da Silva Almeida (1973 a 1975)
    • Zé Vermelho renunciou ao mandato pouco tempo após assumir
    • Assumiu nesse período interinamente o irmão e presidente da Câmara, Asclepiades (Banda do Cartório) Almeida
  16. Octalindo Manoel Gomes (1975 a 1977)
  17. Orlando de Almeida Magalhães (1977 a 1982)
  18. Armando Uzêda Pires (1982 a 1988)
  19. José Carlos (Zé Vermelho) da Silva Almeida (1989 a 1992)
  20. Armando Uzêda Pires (1993 a 1996)
  21. José (Zito) Guilherme Correia (1997 a 2000)
    • Nesse período assumiu por vezes Antonio Carlos (Bafa) Jambeiro
  22. Asclepíades (Bêda) Almeida Queiroz (2001 a 2004)
    • Sobrinho de José Carlos (Zé Vermelho) da Silva Almeida
  23. Cledenor Isaac (Kekede) Soares (2003)
    • Vice-prefeito, assumiu durante dois meses
  24. Asclepíades (Bêda) Almeida Queiroz (2004 a 2008)
  25. Alexandre Negri Almeida (2009 a 2012)
    • Primo de Asclepíades (Bêda) Almeida Queiroz
  26. Asclepíades (Bêda) Almeida Queiroz (2013 - 2016)
  27. Sueli Carneiro (Suka) da Silva Carvalho (2017 - atual)

Em 2015 o governo municipal teve as contas municipais rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios do Estado da Bahia.[19]

Em 2016, na história do municipio foi eleita a primeira mulher prefeita de Ubaitaba. Com 50,56% dos votos, sendo a candidata Suka (PSB).[20]

Símbolos oficiais[editar | editar código-fonte]

Brasão[editar | editar código-fonte]

O brasão oficial da cidade de Ubaitaba contém referências ao uso de canoas através do Rio de Contas, e ao transporte rodoviário. O sítio na internet da Impresa Oficial de Ubaitaba apresenta no topo o brasão municipal.[21] O símbolo aparece também no site da Prefeitura na internet.[22]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Distribuição e localização do território[editar | editar código-fonte]

Ubaitaba vista da Ponte Sobre o Rio de Contas também na BR-101

Ubaitaba é um município da Mesorregião do Sul da Baiano, localizado em área de Mata Atlântica densa.

Localização, fronteiras e pontos extremos[editar | editar código-fonte]

Limita-se territorialmente ao norte com o Ubatã e Ibirapitanga, ao sul com Aurelino Leal, ao leste com Maraú e Itacaré, e ao oeste com Gongogi. Divide-se do município de Aurelino Leal pelo Rio de Contas, localizado na outra margem do rio.

Divisão política[editar | editar código-fonte]

Seu território é dividido em três distritos: Ubaitaba, Piraúna e Faisqueira.[6] Faisqueira é o segundo maior dos distritos. A sede localiza-se no distrito Ubaitaba. O menor dos três em número de habitantes é o distrito de Piraúna.

Clima[editar | editar código-fonte]

A cidade localiza-se em região com clima equatorial, com temperaturas médias acima dos 22 ºC e chuvas distribuídas ao longo de todo o ano, concentrando-se nos meses de dezembro a março. De acordo com a classificação climática de Köppen-Geiger tem clima equatorial de floresta tropical.

Dados climatológicos para Ubaitaba, Bahia
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 29,2 29,4 29,2 28,2 27,0 26,1 25,6 25,9 26,1 27,6 28,0 28,4 27,6
Temperatura média (°C) 25,6 25,7 25,6 24,8 23,7 22,7 22,4 23,4 24,0 24,3 24,8 25,0 24,3
Temperatura mínima média (°C) 22,1 22,1 22,0 21,5 20,5 19,4 19,3 21,0 21,2 21,0 21,6 21,7 21,1
Precipitação (mm) 131 98 171 154 115 139 135 112 77 83 123 134 1 472
Fonte: climate-data.org[23]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Ubaitaba (1991 a 2010). Em azul, comparação com índice da capital, Salvador (Bahia).

Em 2010, segundo dados censitários do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tinha uma população de 20.691 habitantes. Nos últimos anos a população do município diminuiu em relação na série histórica.[24] O índice de desenvolvimento humano do município cresceu nas últimas décadas, atingindo um nível considerado médio.[25]

Crescimento populacional
Censo Pop.
1940 12 141
1950 14 013 15,4%
1960 19 994 42,7%
1970 11 260 -43,7%
1980 16 030 42,4%
1991 21 062 31,4%
2000 23 854 13,3%
2010 20 691 -13,3%
Censos Demográficos, IBGE.[nota 1][26][27][28] [29]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Saúde[editar | editar código-fonte]

O município conta com apenas um hospital com leitos de internação hospitalar disponíveis.[30] O serviço é de gestão estadual com leitos disponíveis para o SUS e se chamava Hospital São Vicente de Paula, tendo modificado seu nome registrado no CNES mudado para União dos Comunitária dos Médicos da Bahia (UCMB) em fevereiro de 2016.[31] O hospital conta com leitos de internação em cirurgia geral, clínica médica e ginecologia e obstetrícia.[32] O hospital é cadastrado no CNES sob número 2602652.[33] Em março de 2016 foi noticiada reforma do seu centro cirúrgico.[34]

Transportes[editar | editar código-fonte]

O município fica às margens da rodovia federal longitudinal BR-101, que funciona como principal via de interligação intermunicipal e interestadual para a sua população. Outra estrada federal que passa pelo município é a BR-030.

O antigo Ministro dos Transportes, o economista Paulo Sérgio Passos, durante a sua gestão se envolveu com obras de infraestrutura rodoviária no município e na região.[35][36][37][38][39] Ele é natural de Muritiba, mas viveu durante a juventude em Ubaitaba.[40]

O meio de transporte fluvial com a utilização de canoas e balsa é muito utilizado. O Rio de Contas serve como um meio de transporte principal entre Ubaitaba e o município vizinho de Aurelino Leal.

O aeroporto mais próximo do município com voos regulares para a capital e outros estados é o Aeroporto de Ilhéus.

O uso de cavalos, burros e jegues para o transporte ainda é usual, com uso ou não de carroças.

Educação e ciência[editar | editar código-fonte]

Milton Santos, acadêmico considerado um dos maiores geógrafos brasileiros, ganhador do "Nobel da Geografia", o prêmio Vautrin Lud,[41] publicou um dos seus primeiros trabalhos justamente sobre Ubaitaba. Apesar de ser natural de Brotas de Macaúbas, o professor morou em Ubaitaba na infância.

O último Plano Municipal de Educação foi publicado em 2015.[42]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Música[editar | editar código-fonte]

Fernando Lona foi um importante cantor e compositor da MPB. Ficou nacionalidade conhecido por sua composição Porta Estandarte em conjunto com Geraldo Vandré, registrada no álbum "5 Anos de Canção". Faleceu em 1977, ainda jovem, num acidente automobilístico.[43] Em Ubaitaba, o "Lago Fernando Lona" foi nomeado em sua homenagem.

Esporte[editar | editar código-fonte]

Canoagem[editar | editar código-fonte]

A canoagem em Ubaitaba faz parte da sua cultura e é considerado o esporte que mais representa a cidade.[42][44] De fato, a cidade é inclusive sede da Federação Baiana de Canoagem e da Associação Cacaueira de Canoagem.[45][46] Os atletas da cidade ganharam grande projeção nacional e internacional, especialmente a partir da participação de Jefferson Lacerda nos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992.

"Entrei na canoagem para defender o nome de Ubaitaba. Eu tinha um objetivo de não deixar o pessoal de outras cidades da região vir aqui e ganhar." - Jefferson Lacerda[47]

Jefferson Bispo Lacerda foi um pioneiro da canoagem de Ubaitaba e fez parte da primeira equipe brasileira de canoagem. Iniciou sua carreira somente aos 27 anos após tentar vários esportes. [48] Encontrou muitas dificuldades para exercer o esporte na década de 1980 e quase desistiu do esporte.[49] Esteve em Cuba e confessa que aprendeu muito na ilha. Mesmo após deixar o esporte competitivo, continuou ensinando como Educador Físico e inspirou diversas gerações de canoístas.[50]

Isaquias Queiroz, natural de Ubaitaba e conhecido também como "Sem Rim",[51] é um canoista brasileiro, atleta do Club Athlético Paulistano de São Paulo, que representou o Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Segundo o próprio Jefferson Lacerda, quem deu o priemeiro remo a Isaquias foi ele.[52]

Isaquias disputou três provas nos Jogos Rio 2016 e ganhou medalhas nas três. Na prova do C1-1000 m, disputando ao lado do então campeão olímpico e mundial, o alemão Sebastian Brendel, ficou com a segunda colocação, ganhando uma medalha de prata para o Brasil, fazendo história na canoagem como o primeiro brasileiro a conquistar três medalhas em uma mesma edição dos Jogos Olímpicos. Seu parceiro de canoagem e também medalhista olímpico Erlon Silva, é da cidade vizinha de Ubatã.

O sucesso de Isaquias nas olimpíadas e o seu carisma fizeram muitas pessoas inclusive proporem que a famosa Lagoa Rodrigo de Freitas, nomeada em homenagem a um aristocrata português, mudasse de nome para "Lagoa Isaquias Queiroz".[53][54]

Ao longo de 2016, seguindo a fama da cidade por causa da canoagem, vários governantes planejam investimentos no esporte no município.[55]

Futebol[editar | editar código-fonte]

O município tem um estádio de futebol dedicado basicamente a práticas esportivas da modalidade. O Estádio Municipal Filipe Miranda, localizado no centro da cidade, tem o nome de um antigo prefeito da cidade.

A Liga Ubaitabense de Futebol (LUF), fundada em em 30/01/1976, é uma associação civil de direto privado que incentiva o futebol no município. É filiada à Federação Bahiana de Futebol.[56][57][58] Em 2014, foi assinado um convênio entre a Prefeitura do Município e a entidade para a participação da Seleção de Ubaitaba no Campeonato Intermunicipal de Futebol Amador do Estado da Bahia, sendo o então presidente da entidade o senhor Everaldo Silva Melo.[59] Anualmente, a Liga organiza o Campeonato Interbairros de Futebol. Na edição de 2016 do campeonato, o time Faisqueira I (do distrito de Faisqueira) foi consagrado bi-campeão municipal.[60]

Festas populares[editar | editar código-fonte]

Ubaitaba tem grande  diversidade cultural e muitas festas tradicionais. As principais festas são: a cavalgada Festa do Cavalo de Ubaitaba, a Festa do Dia da Cidade (27 de julho), a Festa de Reis, o São João de Ubaitaba e as Festas ao Padroeiro Santo Antônio.[42]

A cavalgada da cidade atrai inúmeros participantes de diversas cidades vizinhas.[61] Em 2015 a festa completou sua vigésima sexta edição (XXVI Festa do Cavalo).[62]

Literatura[editar | editar código-fonte]

Na literatura do município destaca-se Clodomir Xavier de Oliveira (Closinho), descendente direto daquele que é considerado um dos fundadores da cidade, o Dr. Francisco Xavier de Oliveira.[42] O autor é um dos patronos da Academia de Letras de Itabuna.[63]

O poeta e compositor Webber Tannus, falecido em 2016, além do nome do músico Fernando Lona são citados como importantes para a literatura do município.[64][65]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. A cidade chamava-se Itapira nos documentos oficiais do Censo de 1940.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. a b «Histórico | Portal Oficial Prefeitura de Ubaitaba». www.ubaitaba.ba.gov.br. Consultado em 24 de dezembro de 2016 
  7. IBGE (20 de julho de 2014). «Cidades IBGE - Informações Ubaitaba» 
  8. «Folha de S.Paulo - Internacional - En - Sports - Opinion: The Example Comes from the Canoe - 24/07/2015». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  9. «Brazil wins its first canoe medal thanks to a man nicknamed 'Missing Kidney'». Washington Post. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  10. «Ubaitaba é 'cidade das canoas' em tupi. E foi de lá que surgiu Isaquias Queiroz». HuffPost Brasil. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  11. «Da cidade das canoas vem o canoeiro que transporta medalhas». Jornal Nacional. 25 de julho de 2016. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  12. «Ubaitaba Bahia - BA Histórico» (PDF). IBGE. 11 de dezembro de 2009. Consultado em 9 de abril de 2013 
  13. «Ubaitaba: O prefeito Bêda e os vereadores eleitos também foram diplomados segunda (17) 17 de Dezembro de 2012». ubaitaba.com. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  14. «Prefeitos (Ubaitaba)». ubaitaba.com. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  15. «Ruy Santos - Senado Federal». Senado Federal do Brasil. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  16. Brasil, CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação História Contemporânea do. «Ruy Santos». CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  17. «UBAITABA: DEPOIS DE 28 ANOS FAMÍLIA ALMEIDA FICA FORA DA CORRIDA SUCESSÓRIA - Jornal Tribuna da Região». Jornal Tribuna da Região. Jornal Tribuna da Região. 6 de agosto de 2016 
  18. «Ubaitaba: depois de 25 anos família Almeida fica fora da corrida sucessória». Jornal Tribuna da Região. 6 de agosto de 2016. Consultado em 11 de janeiro de 2017 
  19. «Prefeito de Ubaitaba tem contas rejeitadas». www.tcm.ba.gov.br. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  20. «Mulheres perdem 12,5% das prefeituras municipais na Bahia». Eleições 2016 na Bahia. 3 de outubro de 2016 
  21. «Portal da Prefeitura Municipal de Ubaitaba - Pagina Inicial». www.ubaitaba.ba.io.org.br. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  22. «Portal Oficial Prefeitura de Ubaitaba». www.ubaitaba.ba.gov.br. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  23. «Ubaitaba» (em inglês). climate-data.org. Consultado em 9 de janeiro de 2017 
  24. «Sistema IBGE de Recuperação Automática - SIDRA». sidra.ibge.gov.br. Consultado em 10 de janeiro de 2017 
  25. «IBGE | Cidades | Bahia | Ubaitaba | Índice de Desenvolvimento Humano Municipal - IDHM». www.cidades.ibge.gov.br. Consultado em 23 de janeiro de 2017 
  26. «População nos Censos Demográficos - Sistema IBGE de Recuperação Automática - SIDRA». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2017. Consultado em 9 de janeiro de 2017 
  27. «Censo Demográfico de 1960». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2017. Consultado em 10 de janeiro de 2017 
  28. «Censo Demográfico de 1950». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2017. Consultado em 10 de janeiro de 2017 
  29. «Recenseamento Geral do Brasil. [1o. de Setembro de 1940] Série Regional. Parte XII - Bahia. Tomo I. Censo Demográfico. População e Habitação. Quadros de totais referentes ao Estado e de distribuição segundo os municípios. Quadros sinóticos por município.». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2017. Consultado em 10 de janeiro de 2017 
  30. «CnesWeb - Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde». cnes2.datasus.gov.br. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  31. «CnesWeb - Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde». cnes2.datasus.gov.br [Identificação: União Comunitária dos Médicos da Bahia (Competência 02/2016)]. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  32. «Ficha Estabelecimento - Ambulatorial / Hospitalar». cnes2.datasus.gov.br. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  33. «CnesWeb - Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde». cnes2.datasus.gov.br (Estabelecimento de Saúde do Município: Ubaitaba). Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  34. «Ubaitaba: Centro cirúrgico do Hospital São Vicente de Paulo é totalmente reformado». UBAITABA URGENTE. 19 de março de 2016 
  35. Line, A TARDE On. «Rodovia Maraú-Ubaitaba terá obras de manutenção ainda este mês». Portal Sul da Bahia.  
  36. «CDL DE UBAITABA COBRA DO MINISTRO DOS TRANSPORTE A PAVIMENTAÇÃO DA BR-030 - Jornal Tribuna da Região». Jornal Tribuna da Região. 9 de setembro de 2014 
  37. «MINISTRO DOS TRANSPORTES ASSINA EDITAL DE LICITAÇÃO PARA DUPLICAÇÃO DA RODOVIA ILHÉUS/ITABUNA - Jornal Tribuna da Região». Jornal Tribuna da Região. 9 de setembro de 2014 
  38. «Asfaltamento da rodovia Ubaitaba Maraú deverá sair em 2014 10 de Novembro de 2012». ubaitaba.com. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  39. «Maraú-Ubaitaba: Ministério dos Transportes garante inicío das obras de manutenção na BR-030 ainda este mês». www.bahianoticias.com.br. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  40. Brasil. «CPDOC - Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil». PASSOS, Paulo Sergio de Oliveira. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  41. Denis. «Festival International de Géographie - Prix Vautrin-Lud». www.fig.saint-die-des-vosges.fr. Consultado em 24 de dezembro de 2016 
  42. a b c d Ubaitaba, Prefeitura Municipal de (22 de junho de 2015). «Lei Municipal Nº 1185/2015 (Aprova o Plano Municipal de Educação)». Diário Oficial do Município de Ubaitaba. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  43. «Luiz Américo - A História da MPB». www.luizamerico.com.br. Consultado em 24 de dezembro de 2016 
  44. «Berço de Isaquias, Ubaitaba quer se tornar polo nacional de canoagem (Olimpíada no Rio)». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  45. «Confederação Brasileira de Canoagem». www.canoagem.org.br. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  46. «Conheça a história da Associação Cacaueira de Canoagem». globoesporte. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  47. «Cidade das canoas: Jefferson Lacerda, um pioneiro da canoagem brasileira». globoesporte.com 
  48. Katia,, Rubio,. Atletas olímpicos brasileiros. [S.l.: s.n.]. ISBN 9788582055816 OCLC 936234414
  49. «Cidade das canoas: à sombra do ouro, o futuro nas remadas do Rio de Contas». globoesporte.com 
  50. «Cidade das canoas: Jefferson Lacerda, um pioneiro da canoagem brasileira». globoesporte.com 
  51. «Brazil wins its first canoe medal thanks to a man nicknamed 'Missing Kidney'». Washington Post. Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  52. «Ex-atleta detona base da canoagem: 'Novo Isaquias em 2020 é milagre'; CBCa rebate». ESPN 
  53. «Cariocas já querem mudar nome de Rodrigo de Freitas para 'Lagoa Isaquias Queiroz'». ESPN 
  54. «Lagoa Isaquias Queiroz? Medalhista curte ideia de mudar nome do local». globoesporte.com.  
  55. «Após sucesso de Isaquias Queiroz, Ubaitaba espera centro de treino de canoagem - ISTOÉ Independente». ISTOÉ Independente. 28 de agosto de 2016 
  56. «Público e renda do jogo da semifinal entre Ubaitaba (2) x (1) Coaraci - 16 de Dezembro de 2012». ubaitaba.com. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  57. «Liga Ubaitabense de Futebol convoca eleições». Liga Ubaitabense de Futebol convoca eleições | FBF - Federação Bahiana de Futebol 
  58. «Liga Ubaitabense De Futebol - Ubaitaba». empresasdobrasil.com.br. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  59. Ubaitaba, Prefeitura Municipal de (1 de setembro de 2014). «TERMO DE CONVÊNIO QUE ENTRE A PREFEITURA MUNICIPAL DE UBAITABA E A LIGA UBAITABENSE DE FUTEBOL» (PDF). Diário Oficial do Município de Ubaitaba. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  60. «Ubaitaba: Faisqueira I é bi campeão do Campeonato Interbairros 2016». Ubaitaba: Faisqueira I é bi campeão do Campeonato Interbairros 2016 | FBF - Federação Bahiana de Futebol 
  61. «Festa da Cavalgada de Ubaitaba promete bater recorde de público neste sábado (30)». Itacaré Urgente. 30 de maio de 2015 
  62. «Trio da Huanna e Seu Maxixe animam XXVI Festa do Cavalo em Ubaitaba». UBATÃ NOTÍCIAS :: Bahia . A informação ao seu alcance!. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  63. «UMA GRANDE SAUDADE: CLODOMIR XAVIER DE OLIVEIRA, MEU MESTRE». www.academiadeletrasdeitabuna.com.br. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  64. «Escritores e Poetas - UBAITABA Ubaitaba.com - SEMPRE ATUALIZADO! 20 de Setembro de 2012». ubaitaba.com. Consultado em 5 de janeiro de 2017 
  65. «Morre em Ipiaú vítima de infarto, o músico Ubaitabense Webber Tannus.». Itacaré Urgente. 16 de outubro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]